domingo, 9 de outubro de 2011

"O Executor" de Lars Kepler


Título original:"Paganinikontraktet"
Título em português:"O Executor"
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 528
Editor: Porto Editora
ISBN: 978-972-0-04331-3
Idioma: Português

Sinopse:
                
“Uma mulher aparece misteriosamente morta numa embarcação de recreio ao largo do arquipélago de Estocolmo. O seu corpo está seco, mas a autópsia revela que os pulmões estão cheios de água. No dia seguinte, Carl Palmcrona, diretor-geral de Armamento e Infraestruturas de Defesa da Suécia, é encontrado enforcado em casa. O corpo parece flutuar ao som de uma enigmática música de violino que ecoa por todo o apartamento.
Chamado ao local, o comissário da polícia Joona Lina sabe que na sua profissão não se pode deixar enganar pelas aparências e que um presumível suicídio não é razão suficiente para fechar o caso. Haverá possibilidade de estes dois casos estarem relacionados? O que poderia unir duas pessoas que aparentemente não se conheciam?
Longe de imaginar o que está por detrás destas mortes, Joona Lina mergulhará numa investigação que o conduzirá, através de uma vertiginosa sucessão de acontecimentos, a uma descoberta diabólica. Existem pactos que nem mesmo a morte pode quebrar…
(retirado da contracapa do livro)

O autor, Lars Kepler:


"Lars Kepler é o pseudónimo de uma dupla de escritores de sucesso na Suécia: Alexander Ahndoril e Alexandra Coelho Ahndoril. O Hipnotista foi o primeiro livro que escreveram juntos.
Alexander Ahndoril nasceu em Estocolmo, em 1967. Dramaturgo e romancista, publicou o seu primeiro romance, The Diretor, em 1989 e é considerado um dos jovens escritores de referência na nova literatura sueca. A sua obra conta já com oito romances e quinze peças de teatro. 
Alexandra Coelho Ahndoril nasceu em 1966. Filha de mãe portuguesa, cresceu em Helsingborg e vive em Estocolmo. Divide o seu tempo entre a escrita, a crítica literária e uma tese sobre Fernando Pessoa. Com o primeiro romance,Castle of Stars, publicado em 2003, obteve o Catapult Prize 2003 para a melhor obra de estreia, conquistando a admiração de milhares de leitores na Suécia. Entretanto, publicou já mais dois romances." (retirado do site wook)

Minha opinião:
Devo referir que nunca tinha lido um policial, ou melhor dizendo o único policial que li foi:”O Código da Vinci” de Dan Brown, por isso considero que o meu conhecimento neste género de leitura é nulo.
Contudo, e apesar de não ter muito conhecimento na área, sei ver quando um livro está bem escrito e tem enredo, e este livro tem isso tudo e mais alguma coisa. Adorei a leitura deste policial, gostei imenso do modo como a narrativa começa, apresentando desde logo ao leitor dois assassinatos: Uma jovem mulher num aparece morta numa embarcação, corpo seco mas os pulmões cheios de água, o diretor-geral de Armamento e Infraestruturas de Defesa da Suécia aparece morto no seu apartamento, mais concretamente…enforcado. Nada melhor que estas pitadas para dar logo um impulso à leitura. Claro está que tive algumas dificuldades em entrar no enredo do livro, pois não estou habituada a este tipo de escrita, quase que alucinante, sempre com dados novos e passo a expressão “sempre a abrir”. Pelo menos foi isto que eu senti quando lia o livro, não senti as páginas a passar foi um livro que li sem notar o desfolhar das páginas. Enquanto lia parecia que estava a ver um filme policial género que gosto mas não sou muito fã, contudo deste estava a adorar. Fiquei deveras fã desta dupla de escritores suecos. Tenho cá em casa um outro livro que é “O Hipnotista” que pelo que li está a ser adaptado ao cinema.
Um aspecto muito positivo foi a descoberta de um novo género literário que quero começar a ler mais frequentemente. Gostei da intriga, do mistério e do enredo deste livro. Adorei a personagem Jonna Linna, comissário da polícia que pela descrição feita ao longo do livro associei ao actor Daniel Craig,  não me perguntem o porquê pois não sei responder. Gostei da personagem Alex do modo como  o seu problema foi abordado, isto é, a  dificuldade em dormir era o seu maior problema, nem era bem dificuldade, ele simplesmente não dormia, a não ser que… Pois é não quero revelar muito sobre este livro mas aconselho vivamente a sua leitura, principalmente aos que dizem como eu dizia …”não gosto de policiais”.
Leiam que não se vão arrepender;)

Boas leituras.

5 comentários:

  1. Olá Leitora! Fiquei radiante com a tua opinião (e com o facto de estares mais receptiva a leitura de policiais ehehe) Eu gostei mais do Hipnotista do que o Executor, por isso peso que vai ser uma excelente leitura tb ;)

    Um grande beijinho, boas leituras!
    A menina dos policiais ;)

    ResponderEliminar
  2. Olá Verovsky
    Pois eu adorei ler este livro só tenho um problema...ao ler um policial sonho toda a noite com assaltos;)

    ResponderEliminar
  3. Olá, gostaria de seguir o meu blog " A borboleta de papel" ficaria muito feliz, já que temos algo em comum que é o amor pela leitura. :)
    bjss

    www.aborboletadepapel.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Tenho curiosidade em tentar um destes dias!! Além de que o nome dela me parece bem português. :)

    ResponderEliminar
  5. Oi

    Aconselho leres um policial da Agatha Christie. Pode ser que gostes.

    Abraço

    ResponderEliminar