sexta-feira, 30 de março de 2012

Quem me dera ter uma sala só minha ....

No inverno seria maravilhoso e no verão decorada com flores e com um aroma a frutos silvestres... definitivamente esta é a minha sala ideal....quem sabe um dia!?

Nunca saiu sem o meu livro...

retirado daqui
É exactamente este sentimento que eu sinto em relação aos livros, completam-me. Se sair à rua e não levar um livro, mesmo sabendo que não vou ter tempo para pegar nele, sinto um vazio imenso. Não querendo exagerar, mas quem gosta de livros entende-me de certeza, quando saiu sem o livro parece que sou perfurada de uma ponta a outra. Este sentimento começa mal dou conta que deixei o meu livrinho em casa sozinho, ai que angústia, será que alguém vai mexer nele, enfim tudo lhe pode acontecer porque ele não está comigo. E eu? Se tiver que esperar por alguma coisa que vou fazer sem ter o meu livro... que dilema. Por isso agora optei por ter um livro de bolso sempre comigo, pelo menos tenho o que ler quando estou fora de casa. É de referir também que cada vez existem mais e melhores livros de bolso, apesar de que ainda é necessário investir mais nessa vertente. São mais baratos e alguns lêem-se muito bem.
Boas leituras!

Ao Leitor...

retirado daqui

Ao Leitor

A tolice, o pecado, o logro, a mesquinhez
Habitam nosso corpo e o espírito viciam,
E adoráveis remorsos sempre nos saciam,
Como o mendigo exibe a sua sordidez.

Fiéis ao pecado, a contrição nos amordaça;
Impomos alto preço à infâmia confessada,
E alegres retornamos à lodosa estrada,
Na ilusão de que o pranto as nódoas nos desfaça.

Na almofada do mal é Satã Trismegisto
Quem docemente nosso espírito consola,
E o metal puro da vontade estão se evoca
Por obra deste sábio que age sem ser visto.

É o diabo que nos move e até nos manuseia!
Em tudo que repugna, uma jóia encontramos;
Dia após dia, para o Inferno caminhamos,
Sem medo algum, dentro da treva que nauseia.

Assim como um voraz devasso beija e suga
O seio murcho que lhe oferta uma vadia,
Furtamos ao acaso uma carícia esguia
Para espremê-la qual laranja que se enruga.

Espesso, a fervilhar, qual um milhão de helmintos,
Em nosso crânio um povo de demônios cresce,
E, ao respirarmos, aos pulmões a morte desce,
Rio invisível, com lamentos indistintos.

Se o veneno, a paixão, o estupro, a punhalada
Não bordaram ainda com desenhos finos
A trama vã de nossos míseros destinos,
É que nossa alma arriscou pouco ou quase nada.

Em meio às hienas, às serpentes, aos chacais,
Aos símios, escorpiões, abutres e panteras,
Aos monstros ululantes e às viscosas feras,
No lodaçal de nossos vício ancestrais,

Um há mais feio, mais iníquo, mais imundo!
Sem grandes gestos ou sequer lançar um grito,
Da Terra, por prazer, faria um só detrito
E num bocejo imenso engoliria o mundo;

É o Tédio! - O olhar esquivo à mínima emoção,
Com patíbulos sonha, ao cachimbo agarrado.
Tu o conheces, leitor, ao monstro delicado
- Hipócrita leitor, meu igual, meu irmão.

Charles Baudelaire

Reading...

retirado daqui

I love Books

0.365x365_large
retirado daqui 

O que não fazer...ao livro

retirado daqui

quarta-feira, 28 de março de 2012

"Os Contos de Beedle o Bardo" de J.K.Rowling

Título original:"The Tales of Beedle the Bard"
Título em Portugal:"Os Contos de Beedle o Bardo"
Autora: J.K. Rowling
1.ª Edição: Dezembro de 2008
Páginas: 110
Editor: Editorial Presença
ISBN:  97898722340571
Tradutora: Marta Fernandes e Manuela Madureira



Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para leitura orientada na sala de aula com alunos do 5º e 6º ano de escolaridade que ainda não adquiriram hábitos de leitura. 



Sinopse:
Em Harry Potter e os Talismãs da Morte, o sétimo e último livro da saga, Albus Dumbledore ofereceu a Hermione um livro de contos baseados na tradução das runas antigas e ajudaria Harry na sua derradeira missão - destruir os Horcruxes de Lord Voldemort. Assim, em Os Contos de Beedle, o Bardo, encontramos os cinco contos que compõe o livro e, apesar de O Conto dos Três Irmãos ser contado no último volume da saga, os restantes quatro são revelados pela primeira vez. Cinco histórias fantásticas que irão deliciar, divertir e arrepiar tanto Muggles como feiticeiros.

Escrito e ilustrado por J. K. Rowling, parte dos lucros da venda deste livro reverterão a favor do Children’s High Level Group, uma instituição de beneficência que luta pela defesa e promoção dos direitos das crianças, com o objectivo de dar uma vida melhor a crianças e jovens desfavorecidos.



Minha opinião:

Este livro é constituído por cinco contos, sendo estes os seguintes: 
  1. O Feiticeiro e o Caldeirão Saltitante;
  2. A Fonte do Justo Merecimento;
  3. O Feiticeiro do coração medonho;
  4. A coelha Babita e a Árvore Tagarela;
  5. O conto dos Três Irmãos.
Gostei muito deste livrinho de contos com que esta escritora nos premiou mais uma vez. Adorei o modo como as personagens da saga de Harry Potter são transportadas para este livro, será de referir que no final de cada conto temos acesso às notas de Albus Dumbledore. Acreditem que em alguns contos estava desejosa por saber o que ele ia dizer, como fosse uma pessoa e crítico literário.

Não quero de forma alguma relatar os contos, mas desde já fica a ideia de que gostei de todos em especial do segundo e do quinto. 
Ao longo da crítica feita por Albus, existe uma comparação entre os Feiticeiros e os denominados Muggles, facto que não deixou de ter a sua graça.

CLASSIFICAÇÃO: MUITO BOM _5_
Boas leituras!

terça-feira, 27 de março de 2012

"Os Jogos da Fome" de Suzanne Collins


«O filme «The Hunger Games: Os Jogos da Fome» estreou este fim-de-semana nos cinemas norte-americanos e as receitas de bilheteira colocam-no entre as melhores aberturas de sempre no cinema.
Os números dos primeiros dias de exibição traduziram-se em mais de 117 milhões de euros, sendo que a nível internacional, «Os Jogos da Fome», rendeu cerca de 44 milhões de euros.
Esta estreia milionária chega perto dos números de registados por «Batman: O Cavaleiro das Trevas» que abriu com 119 milhões de euros e «Harry Potter e os Talismãs da Morte» com 127 milhões de euros.
Os dados são avançados pelos estúdios Lionsgate e, segundo o «Huffington Post», o filme do realizador Gary Ross fica no primeiro lugar das melhores estreias de filmes que não são sequelas.
«Os Jogos da Fome» ultrapassam também qualquer um dos filmes da saga «Twilight», incluindo o primeiro capítulo, que estreou em 2009 com números perto dos 107 milhões de euros.
O filme tem no elenco Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson e Liam Hemsworth, e é baseado no romance de Suzanne Collins. O segundo capítulo, «Catching Fire» está previsto para chegar aos cinemas em Novembro de 2013.» Retirado daqui.
http://youtu.be/fKeZ9TIVVJ8


Eu só vejo o filme depois de ler os livros...para não apanhar desilusões. 
Bom filme ou como no meu caso boa leitura;)

Actualizações literárias cá por casa....

   Este ano estou a conseguir cumprir com um dos objectivos de 2012 mais complicados, não comprei nenhum livro para as minhas inúmeras estantes. Estantes estas que devido às doações que tenho feito estão a ficar exactamente como eu gosto...cada prateleira tem uma fila de livros, assim sendo consigo ver sempre os livros que tenho.


Contudo tenho livros que não são meus mas sim da biblioteca da escola onde lecciono, e é desta forma que  engordo o orçamento familiar, lendo os que tenho em casa e lendo livros da biblioteca escolar e municipal.

Hoje levantei na biblioteca da escola os seguintes títulos:
  1. Lua de Joana;
  2. Os herdeiros da Lua de Joana;
  3. Enquanto estiveres aí;
  4. Joana, a Louca;
  5. A cidadela Branca;
  6. Crónica dos bons malandros;
  7. Morte em Veneza;
  8. Lua Mágica, o outro mundo;
  9. À noite logo se vê;
  10. Histórias do fim da Rua;
  11. Só o amor é real;
  12. D.Amélia;
  13. O Recruta.
Como podem ver tenho muito por onde meter a minha cabeça durante a pausa lectiva....
Boas leituras;)

segunda-feira, 26 de março de 2012

Sim é mesmo isto, ler é o meu...


ESCAPE...

MAS TAMBÉM O LIVRO É O MEU MELHOR AMIGO...

E LER NÃO FAZ DE MIM....

MAS FAZ DE MIM UMA PESSOA BEM MAIS FELIZ...
E CARREGADA DE IMAGINAÇÃO...UMA PESSOA QUE SABE
QUE LER É UMA VIRTUDE E NÃO UMA ATITUDE DE 
FALHANÇO PERANTE A VIDA...
QUEM PENSA QUE OS LEITORES QUE DEVORAM LIVROS...
O FAZEM POR NÃO TER MAIS NADA QUE FAZER ESTÁ MUITO ENGANADO...

LER É UMA FORMA DE ESTAR NA VIDA E NÃO UM MOMENTO,
SIMPLES E ISOLADO NO TEMPO E NO ESPAÇO.

PARA OS LEITORES E PARA OS QUE OS RESPEITAM...

FAÇAM O FAVOR DE SEREM FELIZES...  

sábado, 24 de março de 2012

Another Book, please

Read more

Leiam mais...
ler faz bem à mente, faz bem ao coração e não deixa que as tuas células nervosas deixem de se conectar pelas sinapse .... não autoriza a que os neurotransmissores se dêem ao luxo de nada fazer...
Ler mais faz bem ao teu carácter, torna-te uma pessoa melhor.
Acredita que é possível ler 3 a 4 livros por mês basta estar mentalmente disponíveis para isso...


DEDICO ESTA MENSAGEM A TODOS QUE NÃO SABEM O QUE É UM BIBLIÓFILO E NÃO SABEM O QUE É AMAR A LEITURA...

Quando as saudades apertam ....

Quando as saudades apertam eu releio um livro...contudo mais facilmente vejo um dos filmes...

Comecei a ler fantasia com este menino de óculos e a sua vassoura depois fui para o mundo dos vampiros com...a saga do Twilitter. Gostei muito mesmo muito.
A partir destas duas sagas não li mais nenhuma de fantasia. Tenho aqui por casa algumas que são muito boas pelo menos pelas críticas que tenho lido. Já tenho saudades de ler uma boa SAGA....

1.º TAG_11 PERGUNTAS

Este questionário foi passado pela A. do blog Leituras de A a B ... aqui ficam as minhas respostas.
As nossas perguntas:

1- Qual a maior qualidade que aprecias numa pessoa?
Honestidade.

2 - Que defeito não suportas?
Traição.

3 - Profissão de sonho:
Bibliotecária:)

4 - Qual a cidade/vila/aldeia portuguesa que mais gostas?
A minha Vila do Conde;)

5 - Local preferido para ler?
No sofá da minha sala.

6 - Se a tua vida fosse um livro, que titulo teria?

7- Qual o teu género literário preferido?
Romance histórico e estou a começar a ficar adepta da fantasia.

8 - Quem são os teus escritores preferidos?
Phillippa Gregory, Anita Shreve e Sveva Casati.

9 - Se fosse possível, que personagem literária gostarias de conhecer?
Harry Potter.

10 - Qual o filme adaptado de um livro que mais gostaste de ver?
"Um momento Inesquécivel" de Nicholas Sparck.

11 - Que livro gostarias de ver transformado em filme?
Qualquer um do José Rodrigues dos Santos.


Regras:
1. Criar um post e responder às questões de quem te deu a TAG no post;
2. Criar 11 novas perguntinhas diferentes para passar adiante;
3. Escolher 11 bloggers para dar a TAG e colocar o link dela no post;
4. Ir para a página das bloggers selecionadas e dizer-lhes que foram tagueadas;
5. Não se pode taguear a blogger que nos indicou a TAG;
6. Avisar a blogger que nos passou a TAG quando fizermos o post sobre a mesma.

As Minhas Perguntas:
1- Qual o livro que mais te marcou pela positiva?
2- Qual o livro que releste mais vezes?
3- Qual o livro que se podesses comprarias agora sem pensar duas vezes?
4-Quantos livros tens em casa por ler? (valor apróximado)
5- Consegues ler em qualquer sítio, ou só no silêncio?
6- Se a tua vida fosse uma peça de teatro, que género achas que seria?
7- Tens algum animal doméstico? Se sim qual é a espécie?
8- Leste a saga do Harry Potter?
9- Quantos livros lês em média por mês?
10- Gostas de ler livros mais finos ou livros com volume?
11- Quantos livros consegues ler ao mesmo tempo?

OS BLOGUES ESCOLHIDOS SÃO....
Boas leituras;)

quinta-feira, 22 de março de 2012

Leio tudo...



"Eu leio o que estiver à minha frente:
cartaz, bula, HQ, cordel, jornal,
revista, placa, livro... isso é normal
- leitura é coisa boa, minha gente!
Quem lê fica melhor, inteligente,
e eu fui, desde pequeno, incentivado;
cresci como leitor apaixonado
e a vida me ensinou mais de uma vez
(escutem bem o que eu digo a vocês):
Leitura é diversão e aprendizado.




Criança pode ler desde pequena:
um livro também fala por figura
e, folheando com desenvoltura,
sozinha ela vai lendo, assim, serena...
Também gosto demais de ver a cena
da mãe lendo pro filho ali deitado,
na hora de dormir, tão fascinado
com uma história boa que se conta.
Aí vejo a verdade que desponta:
Leitura é diversão e aprendizado.




Agora, uma pergunta eu vou fazer
e quero ver quem sabe me contar:
como é que um cego pode se expressar
em texto escrito? Quem sabe dizer?
Um jovem lá na França fez valer
seu raciocínio privilegiado
e ”Braille” foi o código inventado
- foi mesmo uma conquista muito boa.
Por isso digo pra qualquer pessoa:
Leitura é diversão e aprendizado.




Às vezes, é legal ler em voz alta
um texto que se adora... sabe quando?
Em roda ou num sarau, compartilhando
poesia como o solo de uma flauta.
A música, aliás, tem uma pauta:
é onde o canto fica registrado
e, se o compositor for inspirado,
pra sempre cantarão a sua escrita.
Partindo disso, pense bem, reflita:
Leitura é diversão e aprendizado.
Grande abraço, e viva a literatura de cordel!"
Retirado do site Mundo cordel

segunda-feira, 19 de março de 2012

"Fama, Amor e Dinheiro" de Menna Van Praag

Título original: "Hapier than she`s been"
Título em Portugal:"Fama, Amor e Dinheiro"
Autora:Menna Van Praag
1.ª Edição: Setembro de 2011
Páginas: 160
Editor: Quinta Essência
ISBN:  9789898228635
Tradutora: Dina Antunes

Sinopse:
Um livro que nos enche de esperança, coragem, inspiração, e nos mostra como podemos ter tudo o que queremos e ser felizes. 
"May Fitzgerald tem, de repente, tudo o que sempre quis. Depois de anos a sentir-se gorda e pouco atraente e a procurar o amor nos sítios errados, tem finalmente a vida e o homem dos seus sonhos. Tudo devia ser tão perfeito - seguira a sua voz interior e ela conduzira-a à vida mágica com que sonhara. Mas quando a sua nova vida como escritora de sucesso tem início, os velhos demónios de May surgem para a atormentar. As antigas  inseguranças reaparecem e ela deixa-se fascinar pela lisonja e pelo brilho da fama. O seu comportamento começa a afectar o namorado e ameaça destruir a relação de ambos. Conseguirá ela dar a volta à situação e provar que realmente é possível ter tudo?"
Minha opinião:
Este livrinho vem no seguimento de um outro intitulado "Homens, dinheiro e chocolate" (minha opinião). Um facto que gostava de deixar aqui bem patente não se deixem levar pelos títulos destes livros. A meu ver são livros de auto-ajuda e que nesse ponto de vista desempenham muito bem o seu papel. Gostei de o ler, mas como já tinha lido o primeiro as minhas expectativas eram de certa forma elevadas, e acreditem, sempre que isto acontece, apanho uma enorme desilusão.
Uma história simples com a mesma protagonista que no livro anterior, mas agora com mais segurança, com um amor e com o seu livro lançado... o que leva a que ela se recorde do passado que tanto a marcou, o abandono do pai. 
Este livro está carregado de diálogos fabulosos, e só por isso já valeu a pena ter dedicado o meu tempinho...que é tão pouco, a realizar esta leitura. Saí mais rica interiormente, Maya conseguiu com que eu vivesse por algumas horas os seus dilemas e os sofrimentos, assim como as alegrias e o sabor dos seus doces;)
Leitura que recomendo, mas só para quem gosta do género de auto-ajuda, lê-se num ápice por isso se poderem levantem numa biblioteca e leiam.
Classificação: 3 - Gostei
Boas leituras!

domingo, 18 de março de 2012

A sensação é tão boa....e eu sinto-me nas nuvens!

(retirado daqui)
"Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história."
Bill Gates

terça-feira, 13 de março de 2012

Ai quem me dera....

Sinto falta de tempo para ler, falta de estar uma tarde inteirinha na esplanada, sentada no sofá a ler o meu livro de momento.
Esta falta de tempo atormenta-me a escolha do livro que vou pegar para ler. Quando tenho mais minutos disponíveis para a leitura consigo entrar nas personagens e ocorre a fusão entre o meu mundo e o mundo delas. Mas se os minutos são escassos eu fico com a sensação que não estou a conhecer bem o personagem, que não estou a conseguir viajar até ao interior das páginas do livro.
Um pequeno grande desabafo...de quem anda com falta de tempo para ler e por isso...fica sempre a mudar o livro;)
Beijinhos e boas leituras;)

segunda-feira, 12 de março de 2012

Maria João Lopo de Carvalho

"Maria João Lopo de Carvalho nasceu em 1962 e licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade Nova de Lisboa. Professora de Português e de Inglês no ensino público e privado, representante em Portugal dos colégios ingleses Pilgrims, fundou e dirigiu a Know How, Sociedade de Ensino de Línguas e a Know How, Edições Produções e Publicidade destinada à tradução e à criação de livros personalizados para crianças e à conceção anual do Guia da Criança. 
Publicou o primeiro romance, o best-seller Virada do Avesso, em 2000 eAcidentes de Percurso, em 2001. 
Divorciada, mãe de dois filhos, fala e escreve pelos cotovelos e tem sempre tempo para tudo, sobretudo para os amigos."



Boas leituras....

sexta-feira, 9 de março de 2012

PRÉMIO DARDOS


A Teresa , do blogue "Rol de Leituras"  e o André do blogue "Pensar nos livros" tiveram a gentileza de me oferecer este selo, que significa o seguinte:

"O Prémio Dardos reconhece os valores que cada blogueiro mostra em cada dia no seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais... que, em suma, demonstram a sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre as suas letras, entre as suas palavras."


Sinto-me muito feliz por terem-me considerado merecedora de tal prémio. O meu muito obrigado;)

A aceitação deste reconhecimento implica três regras:
1- Se aceitar, exibir a imagem.
2- Linkar o blog do qual recebeu o prémio.
3- Escolher 15 blogs para entregar o Prémio Dardos.
...viajar pela leitura...
...Os devaneios da Jojo...

Agora façam como eu entreguem o prémio a blogues que achem que são merecedores...

Boas leitura!

domingo, 4 de março de 2012

Pascal Quignard

Pascal Quignard
"Escritor francês, Pascal Quignard nasceu a 23 de abril de 1948 em Verneuil-sur-Avre. Oriundo de umafamília invulgarmente culta, ambos os seus pais eram professores de Línguas e Literaturas Clássicas, tendotido também escritores e músicos entre os seus antepassados. Assim sendo, foi instruído desde muitopequeno no sentido de poder dominar em absoluto o idioma materno, com particular incidência nos seusaspetos etimológicos.
Após ter concluído os seus estudos secundários na terra natal, ingressou no curso de Filosofia daUniversidade de Nanterre, que frequentava quando eclodiu a célebre revolta estudantil de maio de 1968.Obtendo o seu diploma no ano seguinte, passou a desempenhar as funções de leitor externo junto daproeminente firma editorial Gallimard. Também nesse ano se estreou como escritor, ao publicar um ensaiodedicado à figura de Sacher Masoch, e que levava o título L'Être du Balbutiement (1969). Seguiram-seAlexandra de Lycophron (1971) e La Parole de la Délie (1974).
Promovido em 1976 a membro do comité de leitura da empresa, Quignard continuou no entanto a escrever,passando ainda indelével pela crítica e pelo público em geral. Não obstante, após Michel Deguy (1976), osprimeiros volumes de Carus (1980-1990) e de Les Tablettes de Buis d'Apronenia Avitia (1984-1989, AsTábuas de Buxo de Apronenia Avitia), e Le Voeu de Silence (1985), Pascal Quignard conseguiu enfimconsolidar a sua posição entre os meios literários, ao aparecer em 1986 com a primeira parte da obra LeSalon du Wurtenberg (1986-1988). A erudição, o carácter remoto mas cuidado da linguagem que tornaramo seu trabalho num sucesso, seriam também o grande cunho de Les Escaliers de Chambord (1989-1991).
Depois de ter lecionado na Universidade de Vincennes e na Escola Prática de Ciências Sociais, e de terfundado, conjuntamente com o ex-Presidente da República François Mitterrand, o Festival de Ópera eTeatro Barroco de Versalhes, ascenceu, em 1990, ao cargo de secretário-geral do serviço literário daGallimard. No entanto, em 1994, abandonou todas as suas funções para se dedicar inteiramente à escrita.
Da sua obra mais tardia destacam-se Tous Les Matins du Monde (1991-1993, Todas as Manhãs do Mundo),romance que mereceu uma adaptação para o cinema pela mão do realizador francês Alain Corneau, no anode 1991, e que contava a história da vida do músico Marin Marais; L'Occupation Americaine (1994-1996, AOcupação Americana) e Dernier Royaume (2002)." (Retirado integralmente da Infopédia)



Boas leituras!