terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Desafios pessoais para o ano de 2015

Como vem sendo tradição desde que abri este cantinho, no final de cada ano faço uma reflexão sobre como correu o ano em termos literários e se cumpri o desafio a que me propôs,mais uma vez para minha tristeza não foi cumprido o desafio de 2014. Assim como para além de não o ter cumprido desisti dele mal vi que era impossível levá-lo até ao fim. Foi uma opção minha interromper o desafio e por isso sou a única responsável pelos meus actos, não foi por falta de livros cá por casa que não cumpri o desafio, mas porque não me senti este ano que está a terminar incentivada para a leitura o suficiente para ler os 100 livros a que me propôs ler no início do ano. Acabando desta forma por nem chegar aos trinta livros.
Mas o ano de 2015 vai ser um ano muito diferente a todos os níveis, nomeadamente ao nível literário.
Tal como vem sendo tradição, estou a repetir-me, vou tentar mas desta vez vou tentar mesmo ler os 100 livros do desafio que quero cumprir no ano de 2015...este é o objectivo de 2015 contudo existem outros, no meio desses outros existe um muito importante e que tal como ler os 100 livros vou esforçar-me ao máximo para o cumprir e que é adquirir o menor número possível de livros. Este último objectivo é porque eu gasto muito dinheiro em livros que se vão acumulando aqui por casa e já não tenho espaço para eles, daí a importância de ler 100 livros o que ia de algum modo esvaziar um bocadinho muito pequenino a minha estante de livros por ler.
Gostava muito de começar a ler a saga da Guerra dos Tronos  de Georger R. Martin, a saga de J.R.Ward da Sombra da Noite, ler Ken Follett, Jodi Picoult, José Rodrigo dos Santos (tenho todos os livros dele e ainda não li nenhum, que vergonha), ler Lesley Pearse (tenho todos os livros dela cá em casa e ainda não li nenhum, o que também é uma vergonha)e tenho muitos outros escritores aqui por casa que nunca peguei e gostava de explorar. Queria muito acabar de ler a obra da Sveva Casati Modignani, tenho muitos livros dela cá em casa, fora os poucos que já li tenho todos os que foram lançados em portugal até à data. Queria ler as sagas que também pairam aqui por casa tais como divergente, Nas assas do tempo, Eragon, A noite de todas as almas, Tatiana etc...
Bom, tal como se pode verificar juntar 100 livros para ler não vai ser um feito muito difícil, o mais complicado é eu controlar as compras dos livros novos que vão sair durante o ano, mas tenho que ter uma grande força interior e pensar que vou conseguir e sempre que me der a tentação de adquirir novos livros pensar na quantidade enorme de pilhas que tenho em casa para me deleitar.
Ao longo dos últimos dias e para ficarem com uma ideia coloquei nas margens do blogue os livros que tenho só na estante do meu escritório ainda tenho na sala de estar e no sótão e esses não os coloquei aqui. 
Um outro objectivo que eu tenho para o ano de 2015 e que de certa forma me vai ajudar a cumprir com o objectivo de ler os 100 livros é seleccionar melhor o que vejo na televisão e até poderei mesmo dizer, ver menos televisão. Fazer mais serões de leitura com a televisão desligada, pois se estou a ler não necessito de ter a TV ligada. 

Um outro objectivo que eu tenho para 2015 que tenho vindo a adiar de ano para ano mas que acho que chegou o momento, dado que a vontade é muita é reler os livros do Harry Potter, tenho muitas saudades do pequeno feiticeiro, mesmo muitas e quero reler e relembrar os momentos maravilhosos que passei na companhia destes amigos maravilhosos.
Gostava muito de começar o ano de 2015 logo com leituras fantásticas e muitas para não deixar acumular para o meio e final do ano, desta forma será mais fácil cumprir com o meu objectivo, que é ler os 100 livros. Quem lê isto nem imagina o quanto é importante para mim conseguir atingir esse patamar de livros lidos é algo que faz muito tempo que eu tento conseguir e não consigo. Desde que fundei este blogue que tento ler os 100 livros e não consigo e é algo para mim muito importante mesmo, por isso tenho que me esforçar muito para poder atingir esse número.Esforçar porque sou uma leitora muito lenta, não leio com muita rapidez como muitas pessoas o fazem o máximo que consigo ler num bom dia mas mesmo muito bom são 100 páginas num dia normal 50 páginas não mais do que isso, daí que ler o número de livros que me proponho seja algo que para mim significa atingir um patamar que  todos estes anos eu tentei e não consegui e que quero muito conseguir, não me farto de dizer isto pois é a mais pura das verdades.

Para me acompanhar durante o ano de 2015 e a quem quiser fiz um selo onde está o desafio literário do ano...

Quem quiser pode levar o selinho para o seu blogue, ofereço com todo o carinho acreditem que é com muita alegria.

Bons desafios e acima de tudo boas leituras para o ano de 2015...

Feliz ano novo meus amigos...

São os votos do Blog Atmosfera dos Livros, que este novo ano que se avizinha seja no mínimo igual ao que passou mas de preferência muito melhor...caramba temos que ser optimistas e desejar tudo de melhor para nós ...muita saude, muita paz, muitas alegrias, menos fome no mundo, menos violência, menos violência doméstica e infantil, menos corrupção...porque não não terminar mesmo com estes cancros sociais?!

Mas acima de tudo muitos e muitos....

FELIZ ANO DE 2015...

sábado, 27 de dezembro de 2014

Pensamento...

"Há aqueles que não podem imaginar o mundo sem pássaros;
Há aqueles que não podem imaginar o mundo sem água;
Ao que me refere, sou incapaz de imaginar um mundo sem livros."

Jorge Luís Borges 
Boas Leituras!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

As minhas prendas literárias no sapatinho...

Este ano para surpresa minha tive muitos livros no meu sapatinho e todos eles corresponderam às minhas especulativas logo estou super, mega e hiper feliz... vejam lá: 


Como se pode ver foi um natal repleto de livrinhos facto que eu não estava nada à espera, mesmo nada. Ainda para mais todos eles livros que eu queria muito, mesmo muito. O Pai Natal foi muito generoso comigo este ano de 2014 e para além dos livros ainda me trouxe uma botija de água para os pés mas das eléctricas, que se aquecem 3 minutos à corrente e fica toda a noite quentinha na cama, um creme para o corpo, umas meias super giras e muito quentinhas e ainda uma caixinha de chocolates. Bom não me posso queixar este ano, pois tive um ano repleto de prendinhas e todas muito bonitas.
Continuação de boas festas...
                      

Minha opinião sobre o livro "Sete Minutos" de Lara Morgado

Sete Minutos
de Lara Morgado
Romance
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 272
Editor: Editora Guerra & Paz
ISBN: 9789897020735
Preço: 11,99 euros

Sinopse:
"O que seria da Humanidade que somos se aqueles que hão-de vir se recusassem a nascer? Raul, médico conceituado de uma clínica de fertilidade, descobre um cromossoma peculiar que aparece sete minutos depois da fecundação. A descoberta vai conduzi-lo a uma dimensão espiritual desconhecida. Raul começa a ouvir vozes de almas que ainda não nasceram. E, contra tudo o que seria de esperar, a mensagem urgente que estes seres lhe comunicam é a de que… não querem nascer! Uma revelação que vai mudar por completo a sua existência e a de toda a Humanidade. Não somos nós que não queremos filhos, são os filhos que se recusam a nascer. Nascer pode ser assustador… ou talvez não." retirado da contracapa do livro

O vídeo...do youtube:


Minha opinião:

Este é o primeiro livro que li da escritora Lara Morgado e devo desde já referir que não contava ser transportada para tão brilhante viajem filosófica sobre o tema abordado no livro.
Logo na capa fui confrontada com uma questão a meu ver muito pertinente, sendo ela a seguinte:"Se a vida não acaba, será que começa?", esta premissa deu-me que pensar. Primeiro porque nunca encarei a vida como ela não acabando, para mim a vida acaba, pode continuar numa outra dimensão sob a forma de alma, mas a vida terrena essa acaba, logo se a vida terrena acaba então também começa, certo?
Desta forma, desde o início o livro me prendeu, a forma como está escrito, com a existência de um narrador um pouco, fora do normal ainda me cativou mais. A constante e permanente forma como o leitor é questionado tanto pelo narrador como pela personagem principal, Raul, fez com que existissem momentos de refleção pela minha parte como leitora.
Adorei o diálogo se assim se pode chamar entre o famoso e conceituado médico Raul e o que ele batizou de venturos, que é o óvulo e o espermatozóide sete minutos antes de ocorrer a fecundação.A forma como um adulto pede para não morrer aqui é quase que contraposta com a vontade do venturo  de não quer nascer.
A questão que me ficou na mente foi o porquê de não querer nascer, não querer vir ao mundo, será a ideia que os venturos têm do mundo dos humanos assim tão negativa, será que se fosse possível perguntar às almas se elas queriam vir ao mundo elas queriam?
E se não queriam qual seria o motivo? A violência, guerras, ganância, fome, intolerância, a cada vez menor capacidade do ser humano perdoar, a crueldade, a pedofilia, os maus tratos infantis, a violência doméstica. Ou somente o facto de não querer nascer.
Com o desenrolar da história vão surgir muitas surpresas que não vou contar aqui pois tiraria o desencanto ao possíveis leitores deste magnífico livro, só vou levantar um bocadinho mais o véu, Raul escreve um livro que vai mudar o mundo e a mentalidade do ser humano e quem lhe dá mais força para tal é uma ventura a Lúcia.
Este livro fez-me refletir sobre a essência da natureza humana, desta forma é sem sombra de dúvida um livro que aconselho vivamente a sua leitura, foi uma enorme surpresa literária para mim.
Quando terminei a sua leitura só me recordei de um outro livro que também mexeu com as minhas emoções mais profundas que foi "Saga de um Pensador" de Augusto Curry.
Aconselho vivamente a leitura deste livro fabuloso.
Boas leituras! 

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

A escritora Lara Morgado

"Lara Morgado nasceu em 1981 no Porto. É licenciada em Psicologia pela Universidade do Porto, no ramo de Psicologia do Comportamento Desviante. Começou por trabalhar em contexto prisional, desenvolvendo o seu TRABALHO a nível individual e em grupo com a população reclusa. Mais tarde, a sua acção profissional viria a estender-se a outras áreas, participando em projectos de intervenção comunitária. Ainda como estudante, foi fundadora do grupo de teatro X-Acto, assinando tanto os textos como a encenação das doze peças de teatro realizadas, ao longo de dez anos. Paralelamente ao acompanhamento individual e à psicoterapia, na sua acção como psicóloga, o teatro e a escrita foram sempre utilizados como estratégias de intervenção."retirado da internet

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Feliz Natal...


domingo, 21 de dezembro de 2014

Minha opinião sobre o livro"Dois anos e uma eternidade" de Karen Kingsbury

Dois Anos e Uma Eternidade
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 224
Editor: TopSeller
ISBN: 9789898626066

Sinopse:

"Molly Allen vive sozinha em Portland. Na memória guarda os momentos felizes que viveu na livraria A Ponte — a mais antiga livraria no centro histórico de Franklin, com um homem que deixou para trás cinco anos antes. O amor que os uniu era de uma espécie rara, arrebatadora, que ela não voltou a encontrar desde então.

Ryan Kelly é músico e vive em Nashville. Depois de um noivado falhado e de vários anos em digressão, também ele tem dificuldade em reencontrar a felicidade. Por vezes, quando se sente mais solitário, regressa à livraria e recorda as horas que partilhou secretamente com Molly.

Charlie e Donna Barton são os donos da livraria A ponte, e durante quatro décadas partilharam com os clientes o amor pela leitura. Mas quando a cidade é atingida pelas cheias, Charlie entra em desespero. Sente-se prestes a perder as duas paixões da sua vida: a livraria, que construiu e acarinhou ao longo dos anos, e a mulher, Donna, que não mais conseguirá sustentar. Quando a tragédia acontece, leva a um reencontro inesperado entre Molly e Ryan."retirado do site wook

Algumas opiniões:

"Dois anos e Uma Eternidade tem personagens atraentes e é uma verdadeira história de amor, não só com pessoas, mas também com livros! Sendo uma leitora ávida, compreendo que não haja nada como o cheiro e o toque dos livros. Num mundo tão cheio de tecnologia, é refrescante ver que o amor por um bom livro e as pessoas que ele afeta nunca será substituído!" Kim F.

"Comovente, inspirador, instigador. Uma história sobre encontrar o nosso caminho de volta. Assim que se começa a ler, não vai querer pousar o livro. Uma história sobre sentimentos reais que mostra as consequências das decisões que não são feitas com fé. Lembra-nos que milagres podem acontecer com fé e amor. Há mensagens incríveis nesta história para todos, desde que estejamos abertos a elas." Natasha D.

Minha opinião:

Este foi o primeiro livro que li desta escritora e desde já devo referir que foi uma brilhante descoberta literária. Gosto muito do modo como ela escreve e consegue transmitir os sentimentos no desenrolar de todo o enredo. O resumo da história está muito bem conseguido na sinopse do livro, se avançar mais vou contar o final coisa que não quero fazer, pois neste pequeno livro iria tirar todo o brilhantismo que a escritora tão bem conseguiu.
É um livro que aconselho vivamente, tem uma história linda de "morrer" que me fez sonhar e mete livros à mistura o que torna tudo ainda mais maravilhoso. Só vou desvendar uma coisinha fiquei com vontade de conhecer Charlie e a sua livraria A Ponte.
Mais uma  vez um livro a não perder...se poder leia.
Boas leituras!

O vídeo...do youtube:

sábado, 20 de dezembro de 2014

A escritora Karen Kingsbury

"Karen Kingsbury, autora bestseller do New York Times e do USA Today, é uma das escritoras preferidas do público americano.
Com mais de 50 romances escritos, e vencedora de inúmeros de prémios, já vendeu mais de 20 milhões de exemplares, atingindo consecutivamente o n.º 1 de vendas dos tops americanos.
A sua escrita, caracterizada como comovente e inspiradora, vale-lhe regularmente convites das grandes estações de televisão americanas, aparecendo em programas como Today Show, Fox News, USA Today, entre tantos outros.
Enquanto oradora, Karen participa regularmente em eventos, falando com mais de 100 000 mulheres todos os anos." retirado do site wook

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Minha opinião sobre o livro "Filha da Magia" de Barbara Bretton

Filha da Magia
Livro 4
de Barbara Bretton; Tradução: Marta Mendonça
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 340
Editor: Quinta Essência
ISBN: 9789897260346

Sinopse:
"Em Sugar Maple, Vermont, Chloe Hobbs não podia estar mais feliz com a sua gravidez. No entanto, com a chegada da nova moradora da vila, as coisas vão tornar-se ainda mais mágicas! 
Laria é um bebé perfeito e Chloe e Luke são uns pais babados mas, ao descobrirem que Laria sai à mãe nas artes mágicas, torna-se claro que a bebé pode ter mais poder do que aquele com que uma profissional como Chloe consegue lidar.
Em Filha da Magia, Barbara Bretton continua a saga iniciada em Feitiços de AmorA Magia do Amor e Sonhos Encantados."retirado do site wook

Minha Opinião: (contém spoilers)
Este é o último volume da saga de Sugar Maple e diga-se de passagem que Barbara Bretton volta ao bom caminho depois do menos encantado livro dos Sonhos Encantados. No livro Filha da Magia começamos logo desde o início com a movimentação e a magia com toda a força o que faz com que me tenha prendido à leitura desde o primeiro capítulo. Chloe está grávida de oito messes e meio e Luke continua a não querer comunicar à sua família tal facto, mas o inesperado acontece, a sua mãe aparece em Sugar Maple e fica a conhecer a mãe do seu neto mas não consegue falar com o seu filho, pois este está a auxiliar um amigo mágico. Temos uma novidade que vem do livro anterior que é a troll Elspeth (muito chata e que está sempre resmungar) que veio de Salem para acompanhar a gravidez de Chloe.
Toda a vila de Sugar Maple está unida a auxiliar Chloe na sua gravidez e na sua loja de lãs e no seu dia a dia, o que é de salientar em relação ao livro anterior.
Chloe e Luke, mais Chloe do que Luke decidem após muitas investidas da família de Luke irem conhecer a família deste, claro está que foi uma péssima ideia, bombardearam Chloe de perguntas muito constrangedoras e mesmo muito intimas. Na viagem de regresso Chloe tem a sua filha dentro do Jeep  mas tudo acaba em bem, pelo menos nesta fase da história.Ao fim de uma semana Chloe e Luke fazem a tradicional apresentação da filha Laria à sociedade mágica de Sugar Maple, contudo mais uma vez o inesperado acontece, a família de Luke combina aparecer em peso nesse mesmo final de semana para visitar a pequenina bebé. Com a ajuda de todos os habitantes da vila os humanos vão passar uma agradável tarde com os seres mágicos sem que nada corra mal. Mas os pais de Luke resolvem ficar em Sugar Maple para auxiliar o casal de jovens pais e Chloe tem a "brilhante" ideia de os convidar a ficarem na casa deles. A pequena Laria parece já ter alguns poderes mágicos, pelo menos apresenta uma força fora do comum, dando um pontapé à avó que lhe coloca o olho negro e mamando com uma força tal que é muito complicado fazer com que ela largue a maminha da  sua mãe feiticeira.
Mas o inexplicável acontece quando a pequenita começa a ter ataques em que fica toda esticada, Chloe chama as suas amigas mas estas nada podem fazer e aconselham a recente mãe a levar a sua filhota a um hospital de humanos dado que Laria é três quartos humana, o conselho é aceite e Chloe e Luke seguem para o hospital mais próximo. Pouco depois de lá estarem chegam os pais de Luke e qual o espanto do jovem casal quando vêem a irmã mais nova de Luke com o seu mais recente namorado Jake que ninguém gosta e simpatiza com ele a não ser a própria Meg. No hospital tudo corre bem ao final de um dia longo em que se prova que em principio Laria não terá nada, contudo o clima continua pesado devido à presença de James.
Meg pede a Luke e Chloe para ficarem na casa deles a dormir esta noite pois está sem dinheiro e no dia seguinte partiram rumo à Califórnia. Por muito que seja custoso olhar para o actual namorado de Meg tanto Chloe como Luke concordam, com a estadia de ambos na sua casa. Contudo algo acontece que faz com que James fique sozinho com Laria dentro do Jeep e o inesperado ocorre ele foge com a bebé. O que desencadeia um rebuliço de acontecimentos e leva a que o troll que tinha sido banido por Chloe e Luke regresse para a proteção de Laria e Chloe se aperceba que James é do reino das fadas e está a ser usado por Dan filho de Isadora a sua maior inimiga para ser levada para o reino das fadas, o outro lado do nevoeiro, contudo tudo acaba em bem. Chloe consegue salvar a pequenita Laria das mãos de James (este está a ser manipulado por Dan) e regressar a  casa com o seu amado humano Luke.
Assim termina a saga de Sugar Maple que vai deixar saudades, gostei muito dos livros todos apesar do terceiro,"Sonhos Encantados", ter sido uma leitura muito chatinha, comparada com as outras.
Boas leituras!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Minha opinião sobre o livro "Sonhos encantados" de Barbara Bretton

Sonhos Encantados
Livro 3
O que faria se as pessoas que ama, os sítios que conhece, desaparecessem de repente?
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 336
Editor: Quinta Essência
ISBN: 9789898228697

Sinopse:
"Não sei o que acontece convosco, mas eu ando sempre a perder coisas - as chaves, os óculos de sol e os marcadores da camisola que estou a fazer. Mas uma vila inteira? Nunca me aconteceu tal coisa! Precisamente quando estava prestes a construir um lar com a minha alma gémea cem por cento humana, Luke MacKenzie, a fada Isadora, minha inimiga, atacou...
Até o Livro dos Feitiços, a minha ligação vital com o mundo da magia, desapareceu em combate, a par dos meus amigos, da minha casa e da minha loja de artigos de tricô. Mas depois a minha amiga Janice aparece com a gata Penny e a minha lã. De repente, percebo que, se quiser salvar a minha casa, teremos de voltar a Salem, onde segredos de família e ódios seculares me empurrarão para o combate da minha vida...
Em Sonhos Encantados, Barbara Bretton continua a saga iniciada em Feitiços de Amor e A Magia do Amor." retirado do site wook

Minha Opinião:

Este não é como os livros anteriores, Feitiços de Amor e A Magia do Amor, Sonhos Encantados não é de todo um livro leve e divertido, nem tão pouco com muita ação e que me conseguiu prender desde a primeira página até ao final.Este livro não tem acção desde o início e é um tanto ou quanto maçador não desisti da sua leitura em consideração ao que já tinha lido da escritora e em só faltar mais um para acabar esta saga, também devido ao facto de querer saber onde tinha ido para a vila de Sugar Maple...
Neste terceiro livro depara-mo-nos com o desaparecimento de Sugar Maple, ou seja, o desaparecimento da terra natal de Chloe, a conhecida feiticeira em fase de aprendizagem que no livro anterior tinha banido da sua terra natal a sua maior inimiga a fada Isadora.
No primeiro capitulo Chloe questiona-se se quando baniu Isadora não terá também banido Sugar Maple, com todos os seus habitantes e todas as suas lojas e até com o livro dos Feitiços que tanta falta faz a Chloe. A feiticeira aprendiz e o seu namorado Luke tentam entrar na zona onde era Sugar Maple mas são expulsos por uma força que os repele e não os deixa penetrar na floresta que lá se instalou. Contudo eles não são os únicos habitantes que ficam de Sugar Maple, a sua amiga Janice e a sua gata Penny também não foram sugadas com a vila. É então que Luke se lembra que provavelmente Sugar Maple estará em Salem, isto devido às semelhanças entre esta pequena vila com a grande cidade que ficou conhecida por na idade média queimar as bruxas e as feiticeiras... claro que a ideia foi aceite com muita relutância inicialmente mas depois nada havendo a fazer os três deslocaram-se a Salem. Estes primeiros capítulos mostram as dificuldades que tiveram a chegar a Salem, com queda de árvores, despiste do automóvel, falta de gasolina, etc...
Chegados a Salem não sabem muito bem o que fazer e andam à procura de pistas que os levem ao encontro de Sugar Maple.
Muita coisa acontece em Salem e muitos encontros são os que Chloe vai ter com os seus antepassados que fazem com que ela perceba melhor o que aconteceu à sua vila.
Não me vou adiantar mais na história pois caso contrário daqui a nada estou a contar a história toda, o que não será nada agradável para quem possa ler este post.
Numa perspectiva geral vale apena ler este livro, têm que ter um pouco de paciência no  início da história mas a partir do meio temos de novo as aventuras a que a escritora nos habituou nos anteriores livros apesar de cá entre nós este ter sido o livro que menos gostei até agora e que mais me custou a ler.
Boas leituras!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

I Love Books because...

retirado daqui

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Minha Opinião sobre o livro "Corações Re-apartidos" de Ana Paula Almeida

Corações Re-Partidos
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 215
Editor: Editora Guerra & Paz
ISBN: 9789897020681
Coleção: Clube do Livro SIC

Sinopse:
"A misteriosa morte de um taxista conduz os investigadores Cruz e Miranda a duas moradas. Diogo, o morto, deixou duas viúvas, duas casas iguais, uma vida dupla. Marta e Cristina são as mulheres que se vêm confrontadas com a cruel verdade: o homem que amam morreu e enganou-as uma vida inteira. Mas a alma de Diogo teima em não sossegar e tenta corrigir depois de morto o que não conseguiu em vida. E Cruz vive também um dilema semelhante, vendo na história do morto o espelho daquele que pode vir a ser o seu amargo destino. Juntas no luto e no amor pelo mesmo homem, Marta e Cristina lutam contra a raiva e a deceção.
Todos alimentam uma única esperança: deixar viver nos seus corações re-partidos o mais precioso dom da vida, o amor.
Com prefácio de Francisco Moita Flores."retirado do site wook

Críticas de imprensa
«A criatividade está bem patente neste seu novo livro.»
Helena Sacadura Cabral

«Um espelho de duas almas.»
Simone de Oliveira

«O leitor dificilmente interrompe a história.»
Fernando Dacosta

Minha Opinião:
Este é o primeiro livro que li de Ana Paula Almeida, foi uma leitura muito leve mas interessante, com personagens um tanto ao quanto estereotipadas mas que de certa forma correspondem a alguns padrões da nossa sociedade.
A história começa com um assalto a umas bombas de gasolina onde Diogo um taxista estava a abastecer o seu táxi e é baleado na sequência deste incidente Diogo morre. A partir daqui é chamado o 112 e a polícia GNR e a polícia Judiciária pois estamos perante a ocorrência de um homicídio. 
Achei muito interessante e divertida a forma como a escritora coloca o morto a falar principalmente na parte em que ele fala do modo como não gostava de ser colocado aos bichos mas sim de ser cremado e da sua preocupação no seu segredo ser revelado...ele era bígamo.
Os polícias são personagens notoriamente, a meu ver,também volto a repetir estereotipadas temos o Cruz mulherengo que acaba por ser um bom polícia mas em termos de vida pessoal deixa muito a desejar e por outro lado temos o Miranda um bom marido e pai de família que tenta ajudar no que pode o seu companheiro Cruz. 
Por outro lado temos as duas mulheres de Diogo Cristina a mãe de Inês e a primeira e oficial esposa do taxista, depois temos Marta que andava com Diogo à dois anos e que desconhece a existência de uma outra mulher na vida deste. Cada uma delas segundo o morto completava-o de uma forma diferente..."Porque é que nós nunca pensamos que a vida se extingue num segundo e nunca reparamos erros, deixamos tantas coisas por dizer e adiamos cenas que até são, podem ser, importantes?!" pág.97
Esta trama tem o seu lado romântico e policial, o que de certa forma acabou por me prender ainda mais à leitura. Será de salientar que esta é uma leitura leve com diálogos simples, tal como as descrições e no fundo todo o livro e história em si.
Um aspecto caricato é o facto das duas mulheres de Diogo Vaz terem ficado amigas e não se terem mostrado muito surpresas pela descoberta da bigamia do seu companheiro, acho que aqui poderia ter sido mais explorada esta questão, mas respeito a opção da escritora, afinal estamos perante uma leitura soft e divertida.
Será de salientar que não sendo este um livro brilhante é um livro interessante que me proporcionou momentos de leitura engraçados, principalmente pela omnipresença do morto e pelos seus comentários que de certa forma tentavam chegar ao inspector Cruz-o responsável pelo caso.Obtive desta forma bons momentos de leitura e este é um livro que gostei de ler. 
Boas leituras!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

A escritora _Ana Paula Almeida_

"Escrever é um bálsamo, uma terapia, o meu momento zen", diz na altura em que publica o seu quarto romance
Depois de “O Comboio das Mulheres”, “Códigos de Silêncio” e “Sabes, Meu  Amor”, Ana Paula Almeida apresenta o seu quarto livro, “Corações Re-partidos”, um romance de amor, paixão, traição e morte.
Generosa, disponível, extrovertida, de trato simples e agradável, a autora entrou para a SIC há 21 anos, após 5 anos a lecionar, e quase dez na imprensa. “A minha carreira de jornalista a par com a possibilidade de poder ser, também, escritora, faz com que tudo valha a pena e cada dia de trabalho seja sempre um bom momento”, sublinha a jornalista.
Corações Re-partidos é o seu quarto romance?
Sim, um romance de amor, um quase policial, um livro sobretudo divertido, de amor, paixão, traição, morte... e vida para além da morte.
Depois de um dia inteiro a trabalhar como jornalista ainda tem disponibilidade para escrever em casa?
A disponibilidade é sempre muito pouca, depois de um dia  que começa às 7h e termina às 2h da manhã. Estou quase sempre muito cansada, depois do trabalho como repórter na SIC, depois do que tenho que fazer enquanto mãe de uma miúda de 11 anos e dona de casa a tempo inteiro... Contudo, escrever é um bálsamo, uma terapia, o meu momento zen, o meu tempo de qualidade. Só no silêncio consigo ter paz e inspiração para escrever e dar asas aos meus sonhos.
Como surge a ideia para um romance. Inspira-se em algo que leu ou que viveu?
A vida, o quotidiano, as pessoas que conheço, que entrevisto, de que ouvi falar, factos fora do comum, histórias invulgares, um olhar, algumas pessoas, alguns ambientes, tudo me pode inspirar, depende muito do momento, do local, da fase em que me encontro. Sou extrovertida mas também introspetiva e gosto muito de observar pessoas e situações que me marquem de alguma forma, pela positiva ou pela negativa.
Porquê a escolha de um trio amoroso no centro do seu novo romance? 
Um bígamo não assumido, um homem que trai e reparte o seu coração por mulheres que ficam com ele partido... A realidade e a ficção andam muitas vezes de mão dada!
Tem o fio da história todo na cabeça quando começa a escrever, ou a história corre ao sabor da sua imaginação?
Geralmente tenho a  narrativa delineada na minha cabeça mas, à medida que a vou escrevendo, e as personagens vão ganhando corpo e estrutura, às vezes mudo um pouco o rumo dos acontecimentos, mas, regra geral, não altero muito da história que quero contar.
Escreve compulsivamente pela noite fora, ou é disciplinada e segue um horário para a escrita? 
Adoraria ter um horário definido para poder escrever, viver da escrita, mas a vida não mo permite; tenho que ir levar e buscar a filha à escola, ao ballet, ir às compras, ir trabalhar, conciliar uma série de atividades que não me permitem estar diante da folha em branco horas a fio, a não ser à noite, quando as coisas estão arrumadas, o dia seguinte planificado e a família toda deitada.
Que balanço faz da sua experiência literária?
O balanço é, para já, positivo pois tenho escrito e publicado o que gosto e em géneros diferentes, não tenho dois livros parecidos... Os Códigos de Silêncio vão na 4ª edição.
Já tem o próximo romance a fervilhar na sua cabeça?
Sim, já tenho o próximo romance adiantado, estes "Corações Re-partidos" estavam prontos há algum tempo, guardados na gaveta, foi um amigo meu que trabalha no meio que me incentivou a mostrá-lo ao mundo. Escrevo por puro prazer, tento contar bem uma história, agora se o público gosta, nunca se sabe...
Qual foi o melhor elogio que lhe fizeram?
O melhor elogio talvez tenha sido que a minha escrita "agarra o leitor, prende a atenção, é muito direta e muito visual, que parece muito cinematográfica mas e também muito poética, com alguns momentos emocionantes e divertidos, e que quem me lê quase sempre se identifica com um momento ou uma personagem qualquer." 
Qual o melhor momento da sua vida profissional?
Ter entrado para a SIC, há 21 anos.
E pessoal?
Foi, sem dúvida, o dia 13 de maio em que me tornei mãe e passei a ver a vida e o mundo sob outra perspetiva, relativizando todos os problemas e estabelecendo novas metas e prioridades.
Qual é o seu maior sonho?
É ser feliz, com tudo o que isso implica, ter saúde, que a minha filha seja feliz e realizada a todos os níveis, ter trabalho, amar e ser amada, ter equilíbrio, paz, harmonia na minha vida, e que todos os que me rodeiam estejam igualmente bem. Ninguém é feliz sozinho!
Que idade tem a sua filha? Ela já leu o seu romance?
A Sara tem 11 anos, é óbvio que ainda é muito nova para ler o que eu escrevo, com excepção para "A Lua é toda tua", do livro anterior... mas está sempre muito curiosa e dá-me os parabéns quando alguém me felicita por este romance. E acha estranho que eu ainda escreva à mão, em resmas de papel branco, e depois passe os livros para computador.
Que programas fazem juntas ao fim de semana?
Gostamos de passear à beira-mar, de ir ao cinema e às compras.
Tem algum hobby?
Nunca tive tão pouco tempo livre como agora, mas sempre gostei de ler, de ir ao cinema e de viajar, esses são ultimamente os meus melhores hobbies.
O que lhe arranca uma gargalhada?
Alguns erros de português dados pelo meu companheiro, esloveno. Farto-me de rir quando ele diz que já vai "buscar-lo", "comer-lo", ou "onde está a minha pijama, a minha crema", etc. Acho imensa graça! Eu até podia corrigi-lo, mas depois não era a mesma coisa.
Cozinha para os seus amigos?
Quando posso sim,  e, embora não seja grande  "mestre" de cozinha, adoro cozinhar e receber amigos em casa.
Comove-se com facilidade? 
Sou super sensível, lamechas e comovo-me mesmo com muita facilidade, sou de lágrima fácil, especialmente se as situações envolverem crianças ou idosos... com a minha filha, então, quando a vejo dançar em palco, com algumas coisas que ela me diz, "derreto-me" toda. Também há determinadas músicas e cenas de filmes que me põem com "pele de galinha" e de olhos brilhantes e salgados...
A felicidade é o quê?
A felicidade é contentarmo-nos com o que temos, não exigirmos de mais à vida, sob o risco de estarmos permanentemente ansiosos, tristes, frustrados... há que aceitar as coisas como elas vêm, como elas são, creio que nada acontece por acaso, já sofri bastante e nunca perdi a fé nem o rumo. Se estabelecermos metas, objetivos exequíveis a médio prazo, cada passo é uma vitória, uma concretização, um sorriso! Estamos em crise de tudo, material e de valores, mas se gostarmos de nós como somos, se aceitarmos o que não podemos mudar trabalhando sempre em prol dos nossos sonhos, alguns vão-se realizando e ser feliz é ter saúde, trabalho, amor, é poder ter sonhos e ter com quem partilhá-los. 
Está bem com a vida?
Procuro estar sempre bem com a vida, ver sempre o copo meio cheio, porque estou tranquila, feliz, equilibrada, tenho pais, filha, companheiro, amigos com maiúscula e leais, alguns há mais de 30 anos, estou permanentemente apaixonada pela vida, que é um dom, uma dádiva e tão breve... 
entrevista retirada da internet

Minha opinião sobre o livro "Um Anjo da Guarda" de James Patterson e Gabrielle Charbonnet

Um Anjo da Guarda
de Gabrielle Charbonnet, James Patterson
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 304
Editor: TopSeller
ISBN: 9789898626905

Sinopse:
"Será o nosso coração capaz de amar para além do mundo real?
Michael era o amigo imaginário de Jane, que a acompanhava, guiava e protegia quando ela, ainda criança, se sentia sozinha. Apesar de a mãe ser uma bem-sucedida produtora da Broadway e do ambiente glamoroso que a rodeava, Jane não era uma menina feliz. Michael e Jane eram os melhores amigos mas, quando ela fez 9 anos, o seu amigo imaginário teve de partir…
Vinte e três anos mais tarde, Jane é uma dramaturga de sucesso, trabalha na produtora da mãe e tem um namorado atraente e encantador. No entanto, ela continua infeliz e sem conseguir esquecer Michael. Até que, inesperadamente, volta a vê-lo. Teria Michael afinal sido sempre real?
Uma história de amor mágica e comovente, com uma reviravolta emocionante, que nos faz acreditar no poder do amor verdadeiro."retirado do site wook

Adaptação à sétima arte:

Minha opinião:
Sou um pouco suspeita para comentar qualquer livro de James Patterson pois é um dos meus escritores favoritos, contudo prometo desde já que vou tentar ao máximo ser imparcial e esquecer quem escreveu este livro.
Desde já devo dizer que quando ouvi falar deste livro fiquei logo presa, mesmo sem saber quem o tinha escrito, pois adorei o tema e o pouco que fiquei a saber da história e foi isso que me levou a comprá-lo quando já tinha prometido não comprar mais livros este ano de 2014.
Este é um livro fantástico, que nos transmite uma lição de vida incrível e que aconselho a todos os apaixonados por leitura a lerem...este certamente vai ser relido e foi mais um que se revelou uma enorme surpresa para este ano de 2014. Li este livro em dois dias o que para mim é um recorde pois sou bem lenta a ler por isso pode-se ver como o livro me prendeu, a história é brilhante de forma a que eu até fiz um resumo que contém spoilers para quem quiser ler, claro.
Aconselho vivamente a leitura deste livro...não se vão arrepender. Mais uma vez James Patterson em grande.

Breve resumo do livro:Contém spoilers

Este livro está dividido em três partes, na primeira parte:"Era uma vez em Nova Iorque", temos a apresentação das personagens desta história. Jane uma menina insegura ao contrário do que possa parecer ao olhar de um adulto, tem um amigo secreto que se chama Michael e como todo amigo secreto só ela é que o vê. Michael vem ao mundo de Jane para a ajudar a superar as suas tristezas, provocadas pelas ausências da sua mãe Vivienne, que é linda de morrer segundo Jane e já está na procura do seu quarto marido, sendo o segundo o pai de Jane. O mundo desta menina desmorona-se naquele que deveria ter sido o dia mais importante da sua vida, o dia do seu nono aniversário, em que a sua mãe está preocupada em "engatar" o seu futuro candidato a quarto marido e em festejar o sucesso da sua peça de teatro e se esquece do aniversário da filha e da prenda que esta tanto queria. Mas Jane perdoa este facto à sua mãe e fica muito feliz com a visita de dois minutos do seu pai com a sua futura mulher, contudo quando está sozinha com Michael ela chora com a tristeza do que pensou que seria a sua festa de anos e a sua prenda, um cãozinho de verdade, mas o seu mundo desmorona-se quando Michael diz que não vai poder voltar a estar com ela, pois ela já tem nove anos e a partir desta idade os amigos imaginários têm de ir embora.

pág.25
"Amar significa que as pessoas nunca estão separadas."

Segunda parte:"Vinte e três anos mais velha, mas não necessariamente muito mais inteligente",nesta parte do livro (a mais longa)ficamos a conhecer a Jane adulta, com 32 anos, mas não menos insegura que a Jane criança. Aqui a nossa protagonista feminina namora com um homem aparentemente e mesmo só aparentemente com tudo de BOM, pela descrição o homem fisicamente dos sonhos de qualquer mulher, mas infelizmente para Jane não passa de um idiota chapado. Profissionalmente Jane trabalha nas produções da sua mãe Vivienne mas desenvolve os seus projectos teatrais e cinematográficos sozinha, pelo menos tenta, dado que a sua mãe está sempre a meter o bedelho, passo a expressão no seu trabalho, na sua vida amorosa e em tudo o que Jane, profissional competente e acarinhada por todos, tenta desenvolver sozinha.
Contudo, Michael continua na vida de Jane, o que não seria de esperar, dado que segundo a tradição os amigos imaginários são esquecidos logo após o seu desaparecimento, o que não aconteceu em relação ao Michael na vida da Jane. E por incrível que apareça Michael aparece de novo na vida da Jane pois ela vai reconhece-lo no mesmo café onde costumavam comer o gelado de café com chocolate, num dia muito triste para Jane, em que ela termina o namoro com Hugh.
Jane e Michael começam a sair e a estar juntos todos os dias, divertem-se fazem coisas que faziam quando Jane era criança e tornam-se cada vez mais intimos, até ao dia em que o beijo surge. 
Nesse mesmo dia Jane é surpreendida pela sua mãe que está na sua casa e deixa no ar um "recado" que consiste em lhe dizer que a sua avó morreu com problemas de coração quando Vivienne tinha 37 anos de idade, Jane fica a pensar no que quererá ela dizer com isto. 
No dia seguinte Michael não apareceu e Jane foi para o trabalho como o costume, contudo encontrou no seu escritório o seu ex-namorado Hugh que queria fazer as pazes com ela e queria o papel principal para um filme que ela estava a realizar, como Jane não cedeu ele insultou-a e ela deu-lhe um murro na cara no exacto momento em que a sua mãe entra no escritório e diz-lhe que se não fosse ela Jane não era nada, claro que com outras palavras menos bruscas mas que levam Jane a despedir-se.
Michael está a pensar na sua vida como é possível ele se ter cortado a fazer a barba como é possível ele sentir amor e tristeza e porque foi que voltou a ver a Jane, no meio de todas estas dúvidas surge a resposta que é bem dolorosa Michael veio para Nova Iorque porque Jane vai morrer, esta era a sua missão.

Terceira parte:"A fragilidade da vida",  nesta última parte temos a esperada aproximação de Jane e Michael a todos os níveis. Mas também temos o afastamento de Michael da Jane, pois ele pensa que se a deixar ela não morrerá e deixa-a.É então que Michael se apercebe que interpretou mal o seu sexto sentido e que não tinha voltado para a Jane porque esta ia morrer mas sim para a ajudar numa fase muito dificil da sua vida, Vivienne está a morrer. Afinal quem morre não é Jane mas sim a sua mãe. O final é feliz mesmo com a morte de Vivienne, Jane e Michael ficam juntos e têm dois filhos lindos.

Boas leituras;)

sábado, 6 de dezembro de 2014

Minha Opinião sobre o livro "A Revolta"Terceiro e último livro da trilogia Os Jogos da Fome de Suzanne Collins

A Revolta
Os Jogos da Fome - Livro III
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 280
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722346535
Coleção: Via Láctea

Sinopse:
"Katniss Everdeen não devia estar viva. Mas, apesar dos planos do Capitólio, a rapariga em chamas sobreviveu e está agora junto de Gale, da mãe e da irmã no Distrito 13. Recuperando pouco a pouco dos ferimentos que sofreu na arena, Katniss procura adaptar-se à nova realidade: Peeta foi capturado pelo Capitólio, o Distrito 12 já não existe e a revolução está prestes a começar. Agora estão todos a contar com Katniss para continuar a desempenhar o seu papel, assumir a responsabilidade por inúmeras vidas e mudar para sempre o destino de Panem - independentemente de tudo aquilo que terá de sacrificar…" retirado do site wook

Opiniões:

«Este volume final da trilogia Jogos da Fome... é porventura o mais belo, um romance magnificamente orquestrado que triunfa a todos os níveis.» 
Publishers Weekly 

«Fiquei completamente obcecada por este livro.Os Jogos da Fome é uma obra extraordinária.» 
Stephenie Meyer

«Não conseguia parar de ler.»
Stephen King

Minha opinião:

Acabei a trilogia Os Jogos da Fome de Suzanne Collins que gostei bastante e recomendo. Dos três livros o que mais gostei foi sem dúvida o segundo, prendeu-me mais e teve um final surpreendente que eu não podia imaginar nem nos meus pensamentos mais hilariantes. O primeiro livro foi também muito bom apesar de ter sido uma introdução à história  dos Jogos da fome foi muito bem conseguido assim como este último livro. Este livro foi uma surpresa pela positiva pois ao contrário do que li na blogosfera, que o considera na sua maioria um livro que deixa muito a desejar para terminar a saga, eu devo dizer que o adorei em todos os seus pormenores. Gostei imenso das dúvidas da Katniss em ser ou não o mimo-gaio, gostei do afastamento dela do Caio, do que o Capitólio fez ao Petta e da sua tentativa de recuperação no distrito 13. O modo como os soldados do distrito 13 conseguem invadir o distrito 2 e a forma como invadem o Capitólio.
Gostei do livro contudo podia ter mais um pouco de acção e menos descrição este é o único ponto que tenho a apontar a este livro, contudo fazendo uma análise todos os três livros têm estas reflexões da Katniss o que torna o livro menos "movimentado" mas que depois dá uma adaptações fenomenais à sétima arte.
Tenho que salientar que este livro é a meu ver um livro de sentimentos em que nos encontramos no interior de Katniss e vivemos com ela todas as suas dúvidas todos os seus anseios e seus devaneios.

Tem spoilers a partir daqui...Muito obrigada ao blog Esmiuçar página a página
"Neste volume Katniss encontra-se no Distrito 13, após o seu Distrito ter sido destruído e mais de 90% da população ter morrido. Felizmente conseguiu ser resgatada da arena, no livro anterior, algo que não foi possível para o Peeta. Ela encontra-se num estado um pouco precário depois de tudo pelo que passou, dá ideia que um pouco da personalidade característica dela ficou na arena. A Presidente dos Rebeldes, Coin, no entanto, quer que ela seja o "Mimo-Gaio", a imagem da rebelião. Katniss acaba por aceitar com algumas condições, dentro as quais, a imunidade de todos os tributos capturados pelo Capitólio e ser ela a matar o Presidente Snow. Assim, a Katniss, o Finn e o Gale intervêm nas guerras que se vão desenrolando nos vários distritos até estes caírem, enquanto isso, são filmados para irem aparecendo na televisão interrompendo as emissões do Capitólio, graças às habilidades do Beete.
Entretanto o Peeta, a Annie (a paixão do Finn e futuramente sua esposa) e a Johanna são resgatados do Capitólio. Seria uma excelente noticia se o Peeta não achasse que a Katniss é um Mute, e não um Mute qualquer, um "Mute nojento"... Really, Peeta? Um "Mute nojento"? Andaste a beber veneno de vespas batedoras? Mas foi exatamente isso que aconteceu, a forma do Capitólio o torturar era injetando veneno de vespas-batedoras, provocando fortes alucinações. Isto fez com que as memórias dele sobre a Katniss fossem alteradas e agora ele quer matá-la.
Quando todos os distritos pertencem aos Rebeldes está na altura de invadir o Capitólio. A Katniss pertence ao pelotão do Finn e do Gale, estando responsáveis por fornecer imagens para a câmara, não estando por isso na linha da frente. Mas quando um dos elementos do pelotão morre, a Presidente Coin envia o Peeta para substituir. Isto mostra logo que algo não está bem, com esta atitude a Presidente Coin só pode crer que o Peeta se livre da Katniss. No entanto, o Peeta começa a tentar decifrar quais as memórias verdadeiras e quais as falsas, umas vezes com sucesso e outras vezes nem por isso, encontrando-se de baixo de uma forte vigilância.
Vários acontecimentos levam a uma falsa missão por parte da Katniss, responsável por matar o Presidente. Durante essa missão são vários aqueles que morrem, e eu gostava de realçar o Finn, era uma personagem que eu gostava particularmente, mas é uma guerra e nem todos sobrevivem. 
Quando a Kat se aproxima da mansão de Snow, são largadas bombas sobre várias crianças que se encontravam aí concentradas, então entram vários paramédicos rebeldes para as socorrer. Quando as bombas voltam a explodir. Este tipo de bombas tinha sido desenvolvida pelo Gale e pelo Beete no Distrito 13. Paramédicos rebeldes disse eu. Mas não disse quem se encontrava entre eles, a rapariga pela qual tudo começou, a Prim. É muito de desconfiar que uma rapariga de 14 anos tenha ingressado nesta missão, por isso, mais outra coisa contra a Coin.
Katniss assiste a tudo, quando acorda está novamente num estado bastante precário, o Capitólio caiu e a Coin é a nova Presidente. E Kat será a responsável por matar Snow, tal como tinha pedido. Ao divagar pela mansão encontra o Snow, e ele diz-lhe que não foi o responsável pelas bombas que mataram Prim, e todas aquelas crianças, e sim a Coin. Antes do julgamento os 7 tributos vivos votam se querem ver realizado uns Jogos da Fome com apenas crianças do Capitólio, diretamente relacionadas com as pessoas de poder. Obviamente a Katniss votaria contra, mas aí é que se enganam! Sinceramente não percebi o porque de ela concordar, não faz qualquer sentido e é algo que fica meio perdido no livro.
Durante o julgamento, que se segue à votação, a Rapariga em Chamas tem acesso ao seu arco e a uma seta, o ex-presidente está preso e ela só tem de lhe acertar no coração. E acerta mesmo em cheio, mas no da Coin.
A Katniss é presa num quarto e aí fica com ideias de suicídio, incapaz de realizar. Quando sai descobre que foi julgada e considerada inocente. Regressa ao Distrito 12, com o Haymitch, onde demora a recuperar do estado em que se encontrava. Mas consegue com a ajuda de um Peeta quase recuperado, um Peeta que confessa amar, com quem casa e tem 2 filhos."Retirado do site Esmiuçar página a página  

Adorei a trilogia aconselho vivamente a leitura dos livros e só depois a visualização dos filmes.

Esta trilogia é a minha preferida logo a seguir à saga do Harry Potter. 
Boas leituras;)

Adaptação ao cinema:
A adaptação ao cinema foi feita em dois filmes até agora só saiu o primeiro e é deste que vou deixar aqui o trailler.