domingo, 17 de maio de 2015

Minha opinião sobre o livro "Um longo regresso a casa" da escritora Gail Caldwell

Um Longo Regresso a Casa
de Gail Caldwell
A história de um amor sem limites
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 208
Editor: Livros d'Hoje
ISBN: 9789722048903
Preço: 14.40 euros (comprei por 4.90 euros)

Comecei a ler: 15-05-2015
Terminei de ler: 16-05-2015

Sinopse:

«Esta é uma velha história: eu tinha uma amiga com quem partilhava tudo, até que ela morreu e também isso nós partilhámos. Um ano depois de ela ter partido, quando eu julgava já ter ultrapassado a loucura daquele sofrimento inicial, caminhava no parque de Cambridge onde durante anos Caroline e eu passeámos os cães. Era uma tarde de inverno e o local estava vazio - a estrada fazia uma curva, não havia ninguém à minha frente nem atrás de mim e eu senti uma desolação tão grande que, por momentos, os meus joelhos ficaram imóveis. "O que estou aqui a fazer?", perguntei-lhe em voz alta, habituada agora a conversar com uma melhor amiga morta. "Devo seguir em frente?"» retirado do site wook



Críticas:
«A memória quase perfeita: bela, humilde, pessoal e repleta de ideias intimistas. Uma história concebida para ser saboreada e partilhada» Time

«A amizade no feminino é o âmago deste livro...(Gail Caldwell descreve) tanto a capacidade das mulheres poderem estar juntas, como as preciosas que podem, se quiserem, retribuir: força, humor, afeto e amor-próprio.» Julie Myerson, The New York Book Review

«Universal! Caldwell revela toda a alegria da comunhão com uma alma gémea.» Los Angeles Times

Vídeo...


Minha opinião:
Quando adquiri este livro não tive a noção de se tratar de uma auto-biografia espaço temporal da escritora Gail Caldwell, não sei porquê mas achei que seria um outro tipo de livro.

Mas ainda bem que o adquiri pois esta foi uma leitura em que me deixou conhecer esta escritora de uma forma tão nobre e ao mesmo tempo tão triste. Gail expõe nesta obra muito do seu eu pessoal, desde os seus problemas graves com o álcool que começaram aos 14 anos de idade e terminaram aos 31 anos, fala-nos  das suas relações amorosas falhadas, do encontro inesperado com Caroline que veio a tornar-se a sua melhor amiga da sua loucura por cães grandes da raça samoiedos. 

Gail tem uma dependência química com o álcool que a vai destruindo aos poucos sem que ela dê conta disso, quando se apercebe que provavelmente pode ser alcoólica, fazendo uma análise fria do historial familiar em que existem vários casos de alcoolismo, ela começa por ficar assustada mas continua a consumir.
Como é escritora tem a plena noção que deve escrever nos períodos da manhã pois a partir das nove da noite já não sabe o que faz, escreve mas não escreve nada conexo de modo que ao outro dia ela entenda. Toda esta deteorização física e intelectual levam-na a procurar terapia e daí aos alcoólicos anónimos foi um passo pequeno para quem lê mas gigante para quem o executa.
Ela conhece a sua grande amiga Caroline que também teve problemas com o álcool, anorexia, e é uma fumadora compulsiva algo que enerva imenso a Gail.
Gail adquire um cão grande da raça samoiedos e Caroline também tem um cão grande. Começam a fazer caminhadas com os seus cães e a partilhar as suas histórias de vida, tornam-se tão próximas uma da outra que quando separadas se uma está mal a outra tem a intuição disso.
Ambas aprendem muito uma com a outra Gail aprende canoagem e Caroline aprende a nadar, tornam mais do que irmãs, são confidentes. 
Contudo a vida já não tinha sido um mar de rosas para ambas e depois da acalmia voltou a tempestade. Certo inverno Caroline fica doente e depois de ser diagnosticado uma pneumonia, depois tuberculose, é feito o diagnóstico que acho eu Gail já pressentia cancro com metástases por várias partes do corpo em fase 4. Pouco tempo de vida.

Após a partida de Caroline, e de todas as questões sentimentais com que Gail se vai confrontando acontece passado alguns anos a partida de Clemmie a sua cadela samoiedo. Gail está novamente sozinha como quando deixou a sua casa no Texas para vir para Nova Inglaterra, mas ai tinha a companhia errónea do álcool, agora sentia-se completamente só, apesar dos muitos amigos que possuía. Então Gail decide adquirir um novo cão samoiedo para sua companhia.

Este é um livro que mexe com os sentimentos, faz refletir sobre o real valor da vida, das pessoas e da amizade.

Gostei do livro, apesar de mexer muito com os sentimentos e sentimentos profundos, principalmente para quem já perdeu alguém que amava, foca o cancro o que também me perturbou neste momento da minha vida. A perda é para mim o tema mais importante do livro, perda de dignidade, perda do respeito dos outros por nós, perda de amigos, perda do amor próprio, perda de uma companhia. O livro de Gail a meu ver resume-se a um sentimento de perda constante que a foi tornando mais forte e mais lutadora.

Tive curiosidade e fui pesquisar sobre a raça samoiedo a raça de Clemmie e fica aqui uma foto, são lindos.
Excertos:
"Na torrente da vida, os momentos dourados passam por nós e nós não os vemos mais do que areias; os anjos vêm visitar-nos e só os reconhecemos depois de eles terem partido." George Eliot

"Se alguém descesse do céu à terra e me dissesse que apenas podia guardar uma coisa sobre si, eu escolheria a sua excessividade." pág.44

"A juventude e o orgulho podem ser armas poderosas contra a desgraça do álcool, mas apenas durante algum tempo." pág. 63

"Porque é que bebia? Quando o terapeuta me fez a pergunta, vários anos depois de ter deixado de beber, pareceu-me uma das questões mais caricatas que jamais ouvira. E porque não haveria de beber? Não queria ferir os seus sentimentos, por isso, encolhi os ombros e respondi tão honestamente quanto pude.«Pooorque», disse, com um pequeno desprezo. «O mundo inteiro ficava dourado». Foi preciso ouvir as palavras em voz alta para perceber que a cor do sublime era em si mesma um indicador do problema." pág.64

"Os alcoólicos-um mundo sobre o qual eu não conseguia sequer pensar sem sentir vergonha e terror- eram pessoas falhadas que tinham bebido até ao limite, e para quem a única saída era deixar de beber. Isso era impensável para mim, um espaço cinzento, muito cinzento, sem momentos de euforia, bem-estar ou mesmo mudança." pág.65/66

"...esta versão sempre deixou de fora foi a luta interna - o desejo de beber que tenta eclipsar a luz da sobrevivência - que alguém no auge da dependência atravessa. Todas as manhãs, ao acordar para o arrependimento de mais uma noite falhada, eu engolia o medo e jurava que daquela vez, naquele dia, tomaria apenas quatro bebida. ... A cassete repetia-se ao longo do dia - coragem / medo, decisão / ansiedade, negociação / rendição - e depois começava por abrir o frigorífico à procura de gelo e todo o meu corpo exultava de alívio e o ciclo recomeçava." pág.72

"«Tenho medo que percebas como isto é grave», disse-lhe. «Se te disser, tenho medo que penses que não sou suficientemente forte para aguentar e tentes esconder o teu medo.» 
 «Gail», respondeu. «Eu já sei como isto é grave. De certa forma, isto é pior para ti e para o Morelli do que para mim»" pág.152/153

"Vive na minha ausência como se vivesses numa casa,
A ausência é uma casa tão vasta
Que lá dentro passarás através das paredes
E pendurarás quadros no ar" Pablo Neruda pág.178

Boas leituras.

11 comentários:

  1. Ola, Carla!
    Tudo bem?
    Nao conhecia esse livro mais parece interesante.
    Adorei a capa e tamen a sua resenha.
    Beijinhos da Espanha. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amigo,
      Tudo bem comigo e contigo?
      Este livro é muito interessante sob o ponto de vista das perdas humanas, do alcoolismo, das amizades puras é um bom livro, aconselho a sua leitura.
      Beijinhos de Portugal;)
      Muitas leituras sempre.

      Eliminar
  2. Olá,
    Parece ter uma história emocionante e forte.
    Não conhecia o livro mas parece ser interessante.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tânia,
      Sim é um livro que mexe muito com os nossos sentimentos, uma história forte e comovente.
      Beijocas e boas leituras.

      Eliminar
  3. Ois,

    Bem deve ser bem interessante e bem emocionante, gostei do teu comentário, quem sabe um dia venha a ler :)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,
      Foi uma leitura muito intensa e emocionante, aconselho a leitura numa altura em que estejas com o ego em cima.
      Beijocas e boas leituras.

      Eliminar
  4. Olá,
    Quando vi este livro nunca pensei que se tratasse de uma auto-biogradia, mas pela tua opinião parece-me ser um livro interessante e com temas pertinentes.
    Ai, esses cães são lindíssimos.
    Já agora por curiosidade e se quiseres dizer claro, és professora de quê?
    Em relação à questão de emprestar livros também pondere em pedir-te que me envies algum na altura das férias que é quando terei mais tempo, para já tenho pouco tempo para me comprometer com muitas leituras e segundo me pareceu até temos um gosto literário idêntico, então. :) E tu, no caso de quereres que te empreste algum, também não tenho problema nenhum em fazê-lo, parto do princípio assim como tu, que ambas somos de confiança. Vai vendo o que eu vou postando nas compras e assim e se te interessar algum dizes-me. Tenho por exemplo o de David Levithan - a cada dia que disseste que andavas à procura, caso não encontres e queiras lê-lo em breve, já sabes. Lembrei-me deste porque me tinhas falado nele.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,
      Acreditas que não estava a contar que o livro fosse sobre este tema, de inicio fiquei um pouco reticente mas depois adorei, é um pouco forte em termos de sentimentos e emoções, mas é fantástico.
      Olha aceito de todo agrado trocar livros contigo, pois temos mesmo gostos semelhantes e somos pessoas adultas como tu o referes não temos que nos preocupar com as devoluções pois serão feitas como é óbvio.
      Agora fico mais descansada pois sei que quando quiser ler podes emprestar-me o Livro que tanto procuro.
      Olha assim também é uma boa maneira de poupar-mos dinheiro;), funcionamos como a biblioteca uma da outra kkkkk.
      Beijocas e boas leituras.

      Eliminar
    2. Olá, novamente,
      Desculpa esqueci-me de dizer sou professora de Biologia e Geologia 10.º e 11.º, Ciências Naturais e Biologia 12.º ano.
      Na altura das férias é sempre bom, escusamos de gastar dinheiro temos que ser realistas, como as coisas andam.
      Beijinhos e boas leituras.

      Eliminar
    3. Olá,
      Devem ser disciplinas interessantes, não tive nenhuma dessas a partir do 10ºano. Pode ser que tenhas mais sorte com a colocação este ano. :)
      Sim, isso é verdade, assim sempre poupamos algum dinheiros e vamos lendo livros que queremos ler e não temos ou até mesmo livros que nem conhecemos.
      Beijinhos.

      Eliminar
    4. Olá,
      Espero bem que sim, para o próximo ano lectivo as coisas mudem, tenho esperanças nisso.
      Beijinhos, obrigada e boas leituras.

      Eliminar