terça-feira, 30 de junho de 2015

Minha opinião sobre o livro "O pior dia da minha vida" da escritora Alice Kuipers

O Pior Dia da Minha Vida
de Alice Kuipers
Edição/reimpressão:2014
Páginas: 184
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722354066
Coleção: Noites Claras
Preço:12.51 euros

Comecei a ler:29-06-2015
Terminei de ler:30-06-2015

Sinopse:
«Tudo o que Sophie mais deseja é esquecer o que aconteceu... Mas as marcas que aquele dia fatídico deixou são demasiado profundas e, perdida nas suas memórias, a jovem refugia-se dentro de si mesma, num isolamento crescente, à medida que a sua relação com o mundo e com os que a rodeiam se vai deteriorando. As recordações de Emily, a irmã três anos mais velha e sua confidente, vão-se impondo, quase obsessivas, e Sophie terá de ser capaz de enfrentar a tragédia ocorrida no seu passado e de se libertar da culpa que sente se quiser recuperar o equilíbrio da sua vida. Uma obra inspiradora sobre as consequências trágicas dos atos terroristas, sobre o estado disfuncional em que um grande sofrimento nos pode mergulhar e, acima de tudo, sobre a capacidade de nos perdoarmos e reconstruirmos o nosso futuro.»retirado do site wook

Criticas:
«Belíssimo, dilacerante, imperdível.»
Voices of Young Adults

«Kuipers consegue, com grande talento, tornar a história de Sophie dolorosamente real, contudo repleta de esperança. A sua voz singular, na primeira pessoa, e os pormenores inesperados que brilham através da tragédia dão uma nova luz a temas que nos são familiares.»
Kirkus Reviews

Minha opinião:
Esta escritora não é nova para mim já li dela "A vida na porta do Frigorífico" que gostei bastante.
Neste livro "O pior dia da minha vida" questionei-me de a escritora Alice Kuipers alguma vez terá perdido algum familiar, muito honestamente a sensação que me dá é que não e se sim não sabe passar para o papel o que uma adolescente sente com a perda de um ente querido, neste caso com a perda de uma irmã.

A história tinha tudo para ser um excelente livro, tudo como quem diz tinha tema-perda inesperada de um familiar- mas faltou-lhe as personagens estarem ao nível do tema.

Sophie é uma adolescente que perde a sua irmã mais velha Emily e fecha-se numa redoma de sofrimento, torna-se uma estranha na escola, agressiva para com a sua mãe, e deixa de saber estar e saber ser.
A dor que se sente com a perda de alguém é inexplicável é uma dor que nos dilacera por dentro, posso referir que é mau, mas só quem passa por essa perda é que sabe o quanto é doloroso. Sentimos as emoções todas e torna-mo-nos extremamente sensíveis a tudo, mas também crescemos com o passar dos dias, a dor não passa a saudade não deixa de existir mas vamos aprendendo a viver com isso. Não foi isso que a escritora fez com a personagem principal, com muita pena minha, ela colocou Sophie como uma adolescente que não consegue superar esse sofrimento de perda e torna-se o centro do problema.
Sophie seria uma personagem exemplar para ilustrar como a perda de uma irmã é dolorosa, mas ela revelou-se uma personagem egoísta, imatura, que em vez de ser um ponto de apoio para a mãe, que está a sofrer a perda de uma filha, torna-se um fardo emocional, o que provoca ainda mais dor à sua mãe. A mãe de Sophie é uma mulher forte ela criou as suas duas filhas praticamente sozinha logo não merecia o desdém que Sophie lhe dá nesta altura da vida que ela tanto necessita da sua filha. Perdeu uma filha e perde a outra para o sofrimento.
A acção passa a correr e temos apenas momentos cansativos, narrados pela personagem principal, que bate sempre na mesma tecla, a escritora devia ter dado espaço para as personagens crescerem e desta forma passarem correctamente a mensagem do livro, porque deste modo foi tudo muito superfícial e Sophie a meu ver é uma personagem extremamente egoísta.
Depois ainda surgem outros problemas que a escritora não soube trabalhar com eles, um deles é o de como uma adolescente  tem de lidar com uma mãe alcoólica, por isso ela deixa de comer, torna-se vítima de um dos maiores distúrbios alimentares e dos mais problemáticos em termos de tratamento e de aceitação por parte do doente, pois para além de uma doença física é acima de tudo uma doença do foro psiquiátrico- bulimia -. No entanto, a escritora achou por bem, colocar a personagem com distúrbio, a diagnosticar e a procurar ela própria ajuda. Quer dizer um mundo cor de rosa que na vida real não existe.

Depois de tudo isto, posso dizer que não gostei do livro, não gostei da forma como a escritora abordou temas que tinham muito para dar e ela não conseguiu, tenho muita pena o tema da perda dá pano para mangas como se costuma dizer, e associado ao tema de alcoolismo e da bulimia podia-mos ter aqui um livro fantástico mas infelizmente, a meu ver não temos. Não gostei e muito honestamente não recomendo. Mas atenção pode existir quem goste na leitura é assim o facto de eu não ter gostado não invalida que seja um livro brilhante, bom não vou exagerar, mas um livro que se goste.
Vou dar uma estrela no Goodreads em homenagem à mãe da personagem principal senão não dava nenhuma estrela.
Não tenho excertos, não encontrei nenhum suficientemente interessante para colocar aqui.
Boas leituras!     

14 comentários:

  1. Pois, pela tua opinião este é um livro que não convence.

    Beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Iceman,
      Este livro tinha tudo para ser um bom livro mas a escritora não soube, a meu ver, pegar no tema e desenvolve-lo de uma forma realista e coerente. A dada altura apeteceu-me perguntar à escritora se ela alguma vez tinha sofrido uma perda de alguém muito querido. É que eu perdi o meu pai aos 10 anos e sei que o que ela relata nada tem a ver com a realidade dos factos.
      Beijinhos e boas leituras.

      Eliminar
  2. Ola, Carla!
    Nao conhecia esse livro. Outro mais que me apunto na minha lista de leituras pendentes.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,
      Eu não gostei nada deste livro, mas pode ser que gostes, espero que sim.
      Beijinhos e boas leituras.

      Eliminar
  3. Olá,
    Não conheço a autora nem o livro.
    Melhores livros virão. É pena que a leitura não tenha sido tão agradável como o esperado mas acontece.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tânia,
      Tinha tantas expectativas boas para este livro, e acho que foi isso que mais me fez ficar triste. Já tinha lido "A vida na porta do Frigorífico" desta escritora e adorei, um livro brilhante. Este uma desilusão tremenda uma falta de sensibilidade em tratar o tema, eu até diria uma falta de conhecimento do sentimento de perda de alguém que nos é próximo.
      Mas não podemos gostar de todos os livros, não é?
      Beijinhos e boas leituras.

      Eliminar
  4. Olá Carla!
    Que pena que este livro não te agradou. Às vezes, as leituras não correm como estamos à espera, mas melhores virão =)
    Beijinhos e vais ver que a próxima leitura corre bem =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tita,
      Foi uma enorme desilusão, sabes quando um livro tem material para ser bom mas foi mal trabalhado pela escritora, foi mais isso que me deixou irritada.
      Mas num ano chegar a junho com uma leitura que não gostei, acho que não me posso queixar.
      Beijinhos e boas leituras.

      Eliminar
  5. Ois,

    Pena não teres gostado do livro, ainda assim tens os agradecimentos da minha carteira, não vou ler :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha,
      Pois é acontece, lá se foram uns euros, a tua carteira agradece e a minha entristece.
      Beijinhos e boas leituras.

      Eliminar
  6. Olá,
    Nunca tinha lido uma opinião negativa no teu blog, isto é, nunca apanhei nenhum post de um livro que não recomendasses aos teus leitores e uma vez que temos gostos literários muito idênticos, creio que também iria gostar deste livro.
    É uma pena quando a premissa de um livro é bom, mas é o autor/a que não a sabe explorar. :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tânia,
      Eu estava com expectativas muito elevadas em relação ao livro, já tinha lido o anterior desta escritora e tinha adorado. Este foi uma desilusão sem fim, os temas estão mal explorados e mal abordados. Mas claro esta é a minha opinião, não passa disso.
      Beijinhos e boas leituras.

      Eliminar
  7. Olá Carla
    Não conhecia nem o livro nem a autora. Mas pela tua opinião realmente é uma pena não ter sido bem aproveitado, porque a sinopse parece interessante.
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sara,
      Olha para mim foi uma enorme desilusão, mas pode ser que outras pessoas gostem. Eu gostei muito do primeiro livro desta escritora lançado cá em portugal "A vida na porta de um Frigorífico", achei um livro excelente. Logo estava a contar com mais dela, e acho que ela fica muito aquém do tema que se propõe desenvolver, do tema principal e dos secundários. Deixou muito a desejar, mas esta é somente a minha opinião.
      Beijinhos e boas leituras.

      Eliminar