sexta-feira, 31 de julho de 2015

Leituras de Agosto...

Com todos os Desafios literários do Goodreads, alguns com a duração de 2 meses outros com a duração de 6 meses,com o Desafio Sagas que dura até ao final do ano de 2015 ainda com a Leitura Conjunta Goodreads que tem a duração do mês de Agosto e o Desafio Pessoal de leitura de Clássicos para o mês de Agosto. Acho que chegou a hora de fazer um ponto da situação e ver os livros que pretendo ler no mês de Agosto.
Desafio 1-Verão
Escolhi o tema: 1. Praia


1.1) Nada melhor que estender a nossa toalha e apanhar banhos de sol! Escolhe um livro cuja ação se desenrole durante o Verão;
«O Verão das nossas Vidas» de Luanne Rice LIDO
1.3) Quem é que não gosta de chegar à praia e ver o contraste entre a areia e o azul do mar? Escolhe um livro com uma capa Azul.
«Maximum Ride - O Resgate de Angel» de James Patterson LIDO
Ronda especial
Independentemente do desafio que escolhas, poderás ainda completar os seguintes:
2. É, igualmente, a oportunidade de arrumar algumas séries/sagas que já se acompanha há algum tempo. Termina uma série/trilogia eu vou começar.
«Maximum Ride - O Resgate de Angel» de James Patterson LIDO
3. Finalmente, é altura perfeita para ler aquele livro que já está na nossa estante há imenso tempo, mas que ainda não tivemos a oportunidade de começar. Escolhe um livro que esteja na tua estante há mais de 6 meses.

«Ao Encontro do Destino» de Amy Hatvany LIDO
«Confissões-Os Crimes dos Colégios Privados» de James Patterson LIDO
«Espero por ti» de Jennifer Armentrout LIDO

«O Devorador» de Lorenza Ghinelli LIDO
Leitura conjunta de Agosto- Tema Ficção Científica:
«Admirável Mundo Novo» de Aldous Huxley LIDO

Desafio pessoal-Leitura de Clássicos:
«A Pérola» de John Steinbeck LIDO
«O Estrangeiro» de Albert Camus LIDO

Desafio Reler Harry Potter:
 «Harry Potter e a Pedra Filosofal» de J. K. Rowling  LIDO
"Harry Potter e a Câmara dos Segredos" de J. K. Rowling  LIDO
"Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban" de J. K. Rowling  LIDO
Livro que quero ler que nada tem a ver com desafios:
«O Príncipe» de Sylvain Reynard LIDO
«Caminhos do Coração» de Helena Sacadura Cabral LIDO
CONTO: «Prisão de Gelo» de Ana Ferreira LIDO
CONTO:«Olhos de Vidro» de Carina Rosa LIDO
CONTO:"Anima lusa" de Pedro G. P. Martins  LIDO
CONTO:"A Terrível Criatura Sanguinária" do escritor Nuno Markl   LIDO
CONTO:"A Herança do Escritor" de Hugo Cântara LIDO
CONTO:"A Leitora" de Renato Carreira LIDO
CONTO:"Quartos de Hotel" de Inês Pedrosa LIDO
CONTO:"A Ceia" de Carlos Silva LIDO
CONTO:"Grotesco" de Talys M Cidreira LIDO
«4 Loiras» de Candace Bushnell LIDO

«Queimada Viva» de Souad LIDO
«O Diplomata» de Vasco Ricardo LIDO
«Meu Nome É Alice» de Lisa Genova LIDO
«Cartas da nossa Paixão» de Karen Kingsbury LIDO
"Eu, Malala" de Malala Yousafzai com Christina Lamb LIDO
Estes são os livros que me proponho ler no mês de Agosto, efectuando o Desafio Leitura Conjunta Goodreads com a leitura do livro «Admirável Mundo Novo». Lendo dois livros de Ficção Científica para o Desafio com o mesmo nome do Goodreads. Terminando o Desafio-Férias do Goodreads.

Gostava de salientar que também vou participar juntamente com a Sara do blog O Encanto das Histórias numa Maratona criada pelo Ludgero do blog LUDUTOPIA que se chama Maratona 24 em 7 e consiste em ler 24 horas seguidas.

Este facto irá contribuir muito para o avanço das minhas leituras.

Vamos lá ver como correm as leituras, espero que corram bem, no total tenho  20 livros para ler,tenho plena noção que é um número elevado mas vou tentar, no caso não conseguir fazer alguma leitura destas, obviamente passará para Setembro.

Hoje é dia 27 de Agosto vim aqui actualizar a minha lista de leitura consegui ler os 20 livros e ainda li mais 9 contos.
Ainda estou a ler um livro mas não sei se o consigo acabar para colocar aqui se conseguir virei aqui actualizar novamente as Leituras de Agosto.
Boas leituras!

Como correu a Maratona de Inverno 2015 #MLI2015

A ideia central da Maratona de Inverno 2015 #MLI2015 é ler mais livros do que o é habitual ler durante um mês.
Fora os temas que são sugeridos e que eu cumpri e as semanas temáticas que também foram por mim igualmente cumpridas, também consegui ler mais do que habitualmente leio.

A Maratona de Inverno termina dia 3 de Agosto, mas como já atingi os meus objectivos e tenho outros Desafios que têm início no dia 1 de Agosto e outros já tiveram início, tal como o desafio de ler livros de Ficção Científica até ao dia 31 de Janeiro de 2016, vou dar por terminada a minha participação na Maratona de Inverno.

Gostei muito desta Maratona de Inverno 2015, gostava que por cá também se organiza-se uma Maratona assim, não interessa os prémios, mesmo que não existissem era muito bom, mas só que podia ser com a duração de dois meses para não atrofiar tanto a mente.

O meu desempenho na Maratona de Inverno 2015:
Li um total de 15 livros, quando costumo ler ente 9 a 10 livros, num bom mês de leituras. Destes 15 livros será de salientar que um deles, «Prometo Falhar» de Pedro Chagas Freitas, deixei-o após as 50 páginas por tão fraco que é, no entanto vou contabilizar a sua leitura pois as suas 50 páginas custaram-me mais a ler do que qualquer outro livro desta maratona.
Tenho a plena noção que para o final já estava a ficar um pouco cansada, não da maratona, mas do ritmo que estipulei para mim, e por esse motivo tive de adaptar a maratona retirando alguns livros da última semana. O que me deixou com alguma aborrecida comigo dado que era a semana dos livros de autores nacionais. Mas paciência não consegui ter cabeça para tudo.

Globalmente atingi o objectivo da Maratona de Inverno 2015 #MLI2015, tendo contudo de abdicar de muitas horinhas de sono, talvez por isso as leituras da  última semana não tenham corrido como o previsto, no entanto, não falhei nenhum dos pontos do desafio, nem nenhum dos temas das quatro semanas.

Parabéns para mim...iupiiiiii ;) 
Boas leituras!

Opinião sobre o livro «As Aventuras de Alice No País Das Maravilhas» do escritor Lewis Carroll

As Aventuras de Alice no País das Maravilhas
Lewis Carroll
Coleção:  Clássicos
Encadernação:  Capa dura
ISBN:  9789896334888
Páginas:52
Idioma:Português
Preço:6,95 euros

Comecei a ler:31-07-2015

Terminei de ler:31-07-2015




Uma história clássica escrita pelo autor Lewis Carroll e com ilustrações de Robert Dunn. Histórias que continuam a fascinar os mais novos e com uma lição de moral.
Sinopse:
«Desce pela toca do coelho até ao País das Maravilhas, um lugar onde há chás da tarde loucos e jogos de cróquete com cartas de baralho.
Encontrarás lá um gato que ri, uma curiosa lagarta azul e a Rainha de Copas, que quer decapitar a Alice! Irá a Alice conseguir encontrar o caminho de regresso a casa?»retirado da contracapa do livro

Alice no País das Maravilhas (Walt Disney)...

Minha opinião:
Este é um conto infantil que virou um clássico com todo o mérito inerente a um grande clássico.
O livro que li não foi o livro original de Lewis Carroll mas sim um conto adaptado por Ronne Randall para crianças de 8 anos, contudo a beleza da escrita e as ilustrações maravilhosas de Robert Dunn, fizeram-me regressar à minha infância.

Adorei o livro, gosto sempre da personagem do gato e da lagarta azul, mesmo no filme são as personagens que gosto mais, não sei  explicar o porquê, talvez por serem as que eu acho mais fantásticas, neste mundo que já por si é de fantasia. Gosto muito da parte em que Alice está sempre a aumentar e a diminuir o seu tamanho é hilariante e com muito espírito de fantástico. 

Bom foi uma leitura muito rápida, feita em menos de uma hora, estava com insónias e não sabia o que ler, então decidi ler este conto maravilhoso.

Gostei muito e recomendo a sua leitura.
Classificação: 4 estrelas no Goodreads 
Boas leituras!

O escritor_Lewis Carroll_

Lewis Carroll

«Informações biográficas de Lewis Carroll:

Idade: 183 anos
Data do Nascimento: 27/01/1832
Data da Morte: 14/01/1898
Nasceu há 183 anos
Morreu aos 65 anos
Lewis Carroll (1832-1898) foi escritor e matemático inglês. É o autor do livro "Alice no País das Maravilhas". Foi um dos precursores da poesia de vanguarda.
Lewis Carroll (1832-1898) nasceu em Daresbury, Inglaterra, no dia 27 de janeiro de 1832. Filho de um clérico de província, nasceu no presbitério de Deresbury. Estudou no Christ College, em Oxford, recebendo o diploma de matemático em 1845. Permaneceu em Oxford até 1881, trabalhando como professor e conferencista.
Em 1951, passou a dedicar-se a desenhar e fotografar crianças. Passava a maior parte de suas horas livres em companhia das crianças das famílias MacDonald e Liddell. Inventava longas histórias. Em 1862, ao passear de barco com as meninas Alice, Edite e Lorina, da família Liddell, começou a criar a história "Alice no Pais das Maravilhas", publicada em 1865. Em seguida escreveu "Alice Através do Espelho", publicada em 1872, onde o tema é uma partida de xadrez e os personagens são as peças do jogo.
Lewis Carroll publicou também "Um Programa para um Plano de Geometria Aplicada", "Euclides e seus Rivais Modernos" e "Matemática Curiosa", todos com seu nome verdadeiro. Sob o pseudónimo, pelo qual ficou conhecido, publicou "Dinâmica de uma Partícula", "Parques Desertos" e "Belfry". Escreveu as poesia "O Caçador de Serpentes" e "Fantasmagoria", onde introduziu uma forma original de verso: utilizava o sobrenatural e o absurdo, como temas, estilo que foi imortalizado na "Canção do Jardineiro Maluco".
Foi o livro "Alice no País das Maravilhas", que o consagrou. Ao criar os personagens, baseou-se em pessoas da sociedade e da aristocracia da Inglaterra. Há quem afirme que a rainha do Pais das Maravilhas, era a Rainha Vitória.
Lewis Carroll (Charles Lutwidge Dodgson) faleceu em Guildford, Inglaterra, no dia 14 de janeiro de 1898.»retirado do site e-biografias
Boas leituras!

Minha opinião sobre o livro «A Cidade dos Ossos» da série Caçadores de Sombras da escritora Cassandra Clare

A Cidade dos Ossos
Caçadores de Sombras 1
de Cassandra Clare
Edição/reimpressão:2013
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896570231
Preço:15,08 euros

Comecei a ler:28-07-2015
Terminei de ler:31-07-2015




Sinopse:
«No Pandemonium, a discoteca da moda de Nova Iorque, Clary segue um rapaz muito giro de cabelo azul até que assiste à sua morte às mãos de três jovens cobertos de estranhas tatuagens. Desde essa noite, o seu destino une-se aos dos três Caçadores de Sombras e, sobretudo, ao de Jace, um rapaz com cara de anjo, mas com tendência a agir como um idiota…» retirado do site wook

Outras Críticas
«Caçadores de Sombras cria um mundo onde eu adoraria viver.»
Stephenie Meyer

«A atmosfera onde se encontra Clare está influenciada, em partes iguais, pelo terror gótico e a tendência para a fantasia moderna de Neil Giam. Os mais fervorosos fãs de terror, de que o exemplo máximo é Buffy, o Caçador de Vampiros, ficarão rendidos perante esta série.»
Publishers Weekly

«Divertida, obscura e sexy. Um dos meus livros preferidos.»
Holly Black

Thriller a cidade dos ossos
Minha opinião:
Tinha esta saga já fazia algum tempo cá por casa. Vou ser muito sincera estava com muito receio de começar a ler e me desiludir. Como na altura em que a adquiri não pensava nos gastos e contenções a ter com o dinheiro, comprei a saga completa, os seis volumes. Logo se não gostasse deste livro era algo que não me perdoaria, dado o meu desleixo.

Graças a deus isso não aconteceu, estou maravilhada com a história deste primeiro volume da saga Caçadores de Sombras. A escrita é brilhante, os meus sinceros parabéns à escritora Cassandra Clare, consegui criar uma história extraordinária. Note-se que este livro é somente a introdução ao que vai vir nos outros livros.
Cassandra Clare conseguiu com mestria, juntar caçadores de sombras, com feiticeiros, demónios, fadas, duendes, lobisomens, nefelins, Irmãos Silenciosos que habitam a cidade silenciosa, anjos e os mundis - que são os humanos. Tudo isto está também estruturado, bem construído, que ao ler este livro só me veio à cabeça uma coisa:
Depois de Harry Potter temos Caçadores de Sombras. Finalmente uma saga que se pode comparar pela sua escrita, mestria e complexidade.

Contém Spoilers...
Clarissa Fray, que é a personagem principal, pelo menos neste volume, tem uma vida normal apesar de ter perdido o pai quando era uma bebé. Contudo mesmo sem pai, ela sempre soube que podia contar com a sua mãe Jocelyn, pintora, com Luke, o melhor amigo de Jocelyn e com o seu melhor amigo e companheiro de todas as horas e de todas as aventuras, o Simon.

Num dia como muitos outros Clary vai com o Simon à Discoteca Pandemónio, que estava muito na moda principalmente para adolescentes, a intenção é aproveitar noite com Simon. 

O que aconteceu na Discoteca não chamou a atenção de mais ninguém – ninguém nem sequer ficou a saber o que tinha acontecido lá – mas Clary viu tudo, e ela sabe que não está louca: ela tem certeza daquilo que viu: um grupo de jovens de pele tatuada matarem um demónio no depósito da discoteca.
Clary não sabia o que fazer depois de ter sido a única testemunha do estranho assassinato, mas ela não esperava que um dos assassinos – o convencido e irresistível Jace Wayland – fosse atrás dela no dia seguinte, e não para mata-la mas para encontrar respostas. 
Por que Clary o viu quando ninguém mais podia ver? Por que ela, uma simples mundi, teria sido capaz de ver a morte de um demónio?
Isto aconteceu porque Clary é como Jace: uma Caçadora de Sombras.
Designados a matar demónios que invadem a terra, os Caçadores de Sombras são sobre-humanos que através de Marcas do tipo ruínas gravadas na pele adquirem poderes temporários, como tornarem-se invisíveis ou curarem-se rapidamente. 
Clary só conseguiu ver o assassinato do demónio na discoteca por ter a Visão que só uma Caçadora de Sombras pode ter.

Então instala-se a dúvida... 

Um Caçador de Sombras só nasce de duas formas: 1.ª.Bebendo o líquido poderoso do Taça Mortal, 2.ª.Descendendo de uma família de Caçadores de Sombras. 

Logo Clary não bebeu nada de Taça nenhuma, pelo menos que ela se lembre, o que só deixa uma alternativa: Jocelyn, a simples mãe super-protectora é um membro da Clave de Caçadores de Sombras.
Clary quer exigir da mãe umas boas explicações, mas o problema maior é que Jocelyn foi raptada naquela mesma noite por Valentim, o temível Caçador de Sombras que todos achavam que estava morto.
O que Valentim poderia querer com Jocelyn, afinal?
A própria Taça Mortal.
O artefacto angelical que permite a quem beba dele tornar-se um Caçador de Sombras pode vir a ser a principal arma de Valentim. Ao que parece, ele pretende usar a Taça Mortal para criar um exército de Caçadores de Sombras rebeldes dispostos a destruir a Clave e reerguer um novo reinado de Caçadores de Sombras, mais rígidos e mortais.

Clary está mais envolvida em toda esta loucura de Valentim do que poderia imaginar. Com a ajuda de Jace, Alec e Isabelle, ela precisa amadurecer como Caçadora de Sombras e encontrar a Taça Mortal antes de Valentim.
Para piorar toda esta situação temos Simon, o amigo de todas as horas que decidiu ser mesmo um amigo de todas as horas, inclusive as mais perigosas e mortais. Tem também Jace, que com seu jeito metido e mal-educado vai aos poucos conquistando Clary, e Luke, o melhor amigo da mãe, que admite de uma hora para outra que sempre odiou Clary e Jocelyn. Não me posso esquecer,temos também a vizinha de Clary que abriga demónios e foragidos em sua casa,  e um feiticeiro gay excêntrico que apaga a memória de Clary de vez em quando.

Que outras surpresas o mundo guarda para Clary? A verdade é que as surpresas desagradáveis estão só a  começar...

Fim dos Spoilers...
Esta é uma saga que aconselho vivamente, pelo primeiro volume e pelo modo inesperado como termina, promete seguramente ser uma saga e tanto.

Eu gosto muito de fantasia mas não é de qualquer fantasia tem de ser uma boa fantasia e estou definitivamente rendida aos Caçadores de Sombras e à escrita de Cassandra Clare.

Recomendo vivamente a sua leitura.
Classificação de 5 estrelas no Goodreads

Excerto:
«A biblioteca era circular com um tecto afunilado, como se tivesse sido construído dentro de uma torre. As paredes estavam repletas de estantes alinhadas com livros que elevavam tão alto que havia escadas colocadas ao longo delas a intervalos regulares. Não eram livros vulgares - encadernados em cabedal e veludo, tinham robustos fechos e cantos de cobre e prata. As lombadas eram cravejadas com jóias brilhantes e, no interior, tinham iluminuras douradas. Pareciam ter sido manuseados de um modo que lhes dava a aparência não só de serem antigos, mas igualmente bem usados e amados.» pág.68
Boas leituras!

A escritora_Cassandra Clare_

  Cassandra Clare
«Cassandra Clare nasceu no Irão e passou os primeiros anos a viajar pelo mundo com a família e vários baús cheios de livros de fantasia, entre os quais As Crónicas de Nárnia. Mais tarde trabalhou como jornalista em Los Angeles e Nova Iorque. Cassandra Clare vive em Massachusetts com o marido, os gatos e ainda mais livros.» retirado do site wook

Livros que tenho desta escritora cá em casa por ler:
Todos estes livros são da série Caçadores de Sombras.
Boas leituras!

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Blog novo visitem...50 páginas por dia

Nestas minhas pesquisas que faço pelo google descobri um blog muito interessante, é um cantinho novo com um nome super giro:
50 páginas por dia este blog nasceu em Junho deste ano a pessoa que o criou é uma menina, que tem leituras e opiniões muito interessantes e muito próprias.

Então pensei porque não divulgar o que existe de novo no âmbito dos blogs literários? Afinal todos nós quando entramos neste mundo precisava-mos de uma mão amiga para divulgar o nosso trabalho, eu não a tive, talvez por isso queira ajudar quem precisa dela.

Vá lá visitem o blog 50 páginas por dia , não custa nada e se gostarem sigam afinal todos nós já passamos pelo estado embrionário do nosso blog, e acreditem e este vale a pena e só tem dois seguidores eu e a responsável pelo blogue.
Vão lá encontrar opiniões dos seguintes livros:
O Velho e o Mar - Ernest Hemingway;
O Mar Infinito - Rick Yancey;
- A Improvável Viagem de Harold Fry - Rachel Joyce;
O Diário de Anne Frank - Versão Definitiva;
A Educação de Felicity - Marion Chesney;
- A Metamorfose - Franz Kafka.

Para já estes são os livros que estão lá opinados e classificados, fiquei muito bem impressionada com o blog por isso, depois de perguntar à responsável do mesmo se o podia divulgar aqui, e de ela ter ficado muito contente e ter aceite, aqui está o meu pequeno contributo que dou aos blogues literários novos com valor que vão surgindo na nossa blogosfera.

Não se esqueçam 50 páginas por dia um blogue a visitar e seguir, não se vão arrepender.
Boas leituras! 

terça-feira, 28 de julho de 2015

Minha opinião sobre o livro_"A Vida Num Sopro"_ do escritor José Rodrigues dos Santos

A Vida Num Sopro
de José Rodrigues dos Santos
Um romance para compreender o Século XX português. Um thriller histórico surpreendente.
Edição/reimpressão:2008
Páginas: 616
Editor: Gradiva
ISBN: 9789896162764
Preço:23,22 euros

Comecei a ler:25-07-2015
Terminei de ler:28-07-2015

Sinopse:
«Portugal, anos 30.
Salazar acabou de ascender ao poder e, com mão de ferro, vai impondo a ordem no país. Portugal muda de vida. As contas públicas são equilibradas, Beatriz Costa anima o Parque Mayer, a PVDE cala a oposição.
Luís é um estudante idealista que se cruza no liceu de Bragança com os olhos cor de mel de Amélia. O amor entre os dois vai, porém, ser duramente posto à prova por três acontecimentos que os ultrapassam: a oposição da mãe da rapariga, um assassinato inesperado e a guerra civil de Espanha.
Através da história de uma paixão que desafia os valores tradicionais do Portugal conservador, este fascinante romance transporta-nos ao fogo dos anos em que se forjou o Estado Novo.
Com A vida num sopro, José Rodrigues dos Santos traz o grande romance de volta às letras portuguesas.»retirado do site wook

Críticas de imprensa...
"Um estilo literário prodigiosamente poético e melódico"
Literaturzirkel Belletristik, Alemanha

"Com uma escrita clara e escorreita, mantém o leitor colado à história"
Corriere della Sera, Itália 

"José Rodrigues dos Santos fascina e informa, ao mesmo tempo que entretém"
Shelf Awareness, Estados Unidos 

"Para ler com prazer"
El Correo Gallego, Espanha

"Escrito com bom humor e uma erudição que resultam numa linguagem fluida"
Bravo, Brasil

"O português dos Santos escreveu de facto um grande romance"
Bild am Sonntag, Alemanha 

"Um thriller histórico refrescante"
Kirkus Reviews, Estados Unidos 

"Um romance misterioso e atraente"
Il Messagero di Roma, Itália

Minha opinião:
«A vida num sopro» fez justiça ao nome pois nunca pensei quando peguei no livro, que tem nada mais nada menos que 611 páginas, que a sua leitura fosse feita num sopro.
Este livro prendeu-me desde a primeira página e quando cheguei ao fim, senti saudades das personagens e tive pena de ter acabado o livro. Esta foi daquelas leituras que quando terminei de ler não consegui evitar parar de pensar nas personagens e no enredo por um segundo. Deitada na minha cama pelas 6 horas da madrugada ou da manhã, a olhar para o tecto, esta leitura levou-me à mais profunda e simples reflexão.

«A Vida Num Sopro» é a história de Luís e Amélia, que se conhecem ainda adolescentes, num liceu em Bragança. A amizade de ambos rapidamente dá lugar a uma paixão de adolescentes, vivida no caminho entre a esquina da rua da casa de Amélia, onde Luís a espera todos os dias, e a porta do liceu, onde rapazes e raparigas têm aulas separadas, em alas separadas, como muitas vezes a minha mãe me conta que assim era.
Contudo, o entusiasmo do namoro dos jovens não é partilhado pela mãe da rapariga, que tem outros planos para a filha. Planos esses, que ignorando a vontade e a felicidade de Amélia visam um casamento conceituado socialmente, onde a filha desempenhará o seu papel de esposa dedicada. E é assim que Luís se vê separado da sua amada, de forma inesperada e abrupta.
Mas, se a separação foi conseguida, os sentimentos de Luís não foram apagados, e mesmo em Lisboa, enquanto estudante de Medicina Veterinária, é Amélia quem ele procura nas relações fugazes que vai mantendo.
Discreto, mas de ideias e ideais muito próprios formados, Luís não está de concorda com o caminho que o país está a tomar e emite as suas opiniões, o que lhe vai trazer alguns dissabores futuros e encontros alguns encontros com a Polícia de Vigilância e Defesa do Estado - PVDE, sendo este organismo o responsável pelo fim inesperado desta história.
Ao longo da leitura do livro tomei conhecimento de factos que ignorava, tais como alguns relatos de situações do antigo regime, sobre a discrepância na lei para homens e mulheres, isto era do meu conhecimento, mas não da forma como é revelada no livro. Como exemplo o livro fala-nos da Lei de Depósito do homem sobre a sua mulher. Esta lei já existia deste 1910 mas tinha sido abolida, contudo, com o Estado Novo voltou a estar em vigor. A lei consistia no seguinte: se a mulher por algum motivo saísse de casa, o marido podia fazê-la regressar de forma compulsiva. Em contraponto, o Estado dizia que tinha dado à mulher o poder de voto, embora todos soubessem que sendo a mulher mais conservadora e católica votaria no Governo vigente. Contudo, o artigo sobre o poder dos homens era esclarecedor: a mulher não podia exercer comércio nem sair do país sem autorização do marido. O marido podia ainda anular o casamento se descobrisse que a mulher não casou virgem. Para além disto tudo, para um caso semelhante as sentenças eram diferentes dependendo se eram para o homem ou para a mulher. Por exemplo, o marido tinha permissão para poder violar a correspondência da mulher, mas o contrário não era válido. Outra situação prevista pela lei era no caso de adultério tínhamos duas sentenças distintas: uma pena branda ao marido que assassinasse a mulher caso a apanhasse em flagrante adultério, se fosse a mulher a apanhar o marido em flagrante adultério e o matasse, a pena seria pesada.
Voltando ao enredo do romance, temos Luís que acaba por se casar com Joana, irmã mais nova de Amélia e responsável pelo reencontro dos dois, mas Amélia é e será sempre a mulher que ele ama e amará. Amélia está casada com um superior hierárquico de Luís, mas nunca esqueceu o seu amor por Luís, a sua paixão de juventude. O encontro entre Amélia e Luís e o sentimento que os une vai levá-los a uma vida clandestina, que apesar de curta será marcada pela tragédia: um assassinato, a que ambos assistem e que terão de ocultar, a bem dos bons costumes.
Queria tanto que este livro fosse ainda maior. O livro já tem muitas páginas, mas eu gostava que fosse ainda mais pormenorizado, que esmiuçasse todos os pormenores. Principalmente na parte do romance entre o Luís e a Amélia.
A personagem que mais detestei, mas que está enquadrada na época foi a mãe da Amélia.
Um pequeno aparte, não contém com um livro sobre o Estado Novo ou a guerra em Espanha. Esperem antes um livro sobre a vida, tão pura ou trágica como era naquele tempo, e que por acaso se insere alguns factos históricos.
Gostei muito dos pormenores históricos como a gíria do povo, o destino que os soldados da guerra tinham pela frente, entre outros aspectos.

Este livro lê-se muito bem pois tem muitos diálogos é um livro muito directo e sem grandes floreados.

Adorei o livro e recomendo vivamente a sua leitura.
Classificação 5 estrelas no Goodreads
Boas leituras!