sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Opinião l "Terras sem Lei" da escritora Daniela Fogageira Monteiro

Terras Sem Lei
Daniela Fogageira Monteiro
1.º edição:dezembro de 2015
N.º de páginas: 197 páginas
ISBN:978 989 51 6142 3
Colecção: Viagens na Ficção
Género:Ficção
Preço em papel: 13,00 euros
Preço em eBook: 3,00 euros
Este livro foi enviado pela Chiado Editora para eu ler e dar a minha sincera e honesta opinião. Muito obrigada Chiado Editora.

Sinopse:
"Esta obra medievalista e distópica decorre em Chacrasi, um reino que promete causar reflexão sobre as verdadeiras noções do bem, do mal e da justiça. Teresa, a Rainha, procura criar um reino sem crime e sem pecado. Na sua luta pela conquista de justiça plena será confrontada com dilemas éticos e morais, e por um grupo de condenados revolucionários que lutam pela conquista da liberdade perdida. Os destinos de todos os personagens demonstram-se entrelaçados, revelando-nos que o bem e o mal são duas faces da mesma moeda."retirado da Chiado Editora

A escritora_Daniela Fogageira Monteiro_:
"Daniela Fogageira Monteiro nasceu a 16 de Julho de 1993. Nascida em Matosinhos, viveu grande parte da sua vida em Leça da Palmeira, onde ainda hoje reside. Em 2014 conclui a licenciatura em Sociologia, a ciência que mais a apraz. As suas duas grandes paixões são a escrita e as viagens pelo mundo. Escreveu "As Terras Sem Lei" nas suas monótonas viagens de metro e é graças ao apoio da família, amigos e namorado que decide avançar com o seu grande sonho de ver a sua obra publicada."retirado da Chiado Editora
Minha opinião:
Recebi este livro da Chiado Editora já faz algum tempo, não tinha pegado nele ainda para ler por pura falta de tempo e também porque vão sempre aparecendo outros livros e já sabemos como é...uns ficam no cimo da pilha e os que estavam no cimo vão passando para baixo.
Terras Sem Lei é um livro que se enquadra no género ficção distópica. Teresa a rainha de Chacrasi, quer transformar o seu reino num local sem medos, ou seja, sem crimes e sem pecados. Para que isso se torne possível ela expulsa do seu reino todos aqueles que matam, que roubam comida para eles ou para os seus filhos, todos os que são violados e todos os violadores. No fundo ela manda para as Terras do Norte, todas as pessoas do seu reino que considera uma ameaça.
Nas Terras do Norte, dentro de muralhas denegridas com o tempo, não existe experança, impera o medo. Os assassínos estão misturados com os que roubaram para dar de comer aos seus filhos e todos estão condenados a viver naquele pequeno "mundo" onde a única lei que impera é a da sobrevivência.
Mas neste mundo aparentemente cruel, existem pequenas mudanças que vão acontecendo, a amizade entre um grupo de renegados, o amor e a esperança de não morrer num local sombrio como aquele.Tudo isto acontece, após a chegada de uma mulher misteriosa e talvez ou não "perigosa" por querer fugir ao seu passado e se envolver com um membro da dita "realeza"...Agora tudo pode  acontecer.
Um livro encantador, que nos faz refletir na utopia da existência de um mundo perfeito, como a Rainha Teresa queria que o seu reino fosse. Pois tal como refere a sinopse e muito bem, uma moeda tem sempre duas fases.
Ao contrário do que costuma acontecer com os livros da Chiado Editora este livro está muito bem escrito.
Aconselho a sua leitura, até porque sou uma fã incondicional dos novos escritores portugueses, merecem todo o nosso apoio.
Classificação de 4**** no Goodreads.
Boas leituras!

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Opinião l "A Escola do Terror" da escritora Diana Pinto

A Escola do Terror
Diana Pinto
Editora: Chiado Editora
1.ª edição: outubro de 2015
N.º de páginas: 203 páginas
ISBN: 978 989 51 5085 4
Colecção: Viagens na Ficção
Género: Ficção
Preço em Papel: 11,00 euros
Preço em eBook: 3,00 euros
Sinopse:
"Uma escola. Vários alunos. Uma turma. A Angelina acaba de chegar à escola sem saber o que a espera. Rapidamente descobre que está no meio de colegas estranhos. Vários assassinatos ocorrem no estabelecimento escolar sem motivo aparente. Os colegas são tudo menos boas pessoas. O mundo escolar pede estudo e empenho, mas nesta turma existe tudo menos isso. Apostas entre alunos, mudanças e escolhas. Quem fala que os adolescentes são bons está certamente enganado.
Será que a Angelina saberá escolher bem as companhias?" retirado do site Chiado Editora
A escritora_Diana Pinto_:
"Diana Pinto nasceu em Lisboa em 1995. O gosto pela leitura iniciou-se na infância. No início lia apenas livros infantis, mas depressa a sua preferência passaram a ser os livros policiais. O gosto pela escrita também veio cedo após começar a escrever pequenos textos para aperfeiçoar a sua caligrafia."retirado do site Chiado Editora
Minha opinião:
Este livro chamou a minha atenção pelo título "A Escola do Terror", após ler a sinopse fiquei muito intrigada e coloquei logo no cimo da pilha para ler.
A história tem um enredo muito interessante que não foge em nada ao que está na sinopse, o que me agradou bastante. Estamos numa escola, para onde Angelina entra pela primeira vez e vai frequentar a turma do 9.ºC. Contudo, Angelina nota que existe algo de estranho nesta turma, os colegas, mais concretamente um grupo da turma tem um comportamento estranho. Entretanto, logo na primeira semana, vários professores aparecem mortos...
Mas será que o que aparenta ser é realmente?
Gostei do livro, principalmente da história, no entanto acho que quando comecei a ler não existiu aquela parte introdutória que faz com que eu fique a conhecer as personagens. Os nomes iam surgindo, e chegou a uma altura que eu já não sabia se aquele personagem fazia parte do grupo dos alunos auto-intitulados de assassínos, ou se era uma personagem não pertencente ao grupo.
O livro tem um quê de terror...mas que devido ao rápido desenvolvimento dos factos, acabou por não me conseguir fazer sentir assustada.
Uma coisa que não gostei foi a partir de determinada altura, a escritora questionar no final do capítulo ou a meio o que ia acontecer a seguir. Mas isto é a minha opinião e vale o que vale.
Mais uma vez a Chiado Editora falha flagrantemente na revisão do texto, muitos erros de construção frásica o que começa a ser já característico desta editora.
Contudo, gostei muito do livro, lê-se num ápice e quando damos conta parece que estamos dentro da história. Para mim isto é fundamental quando estou a ler.
Aconselho a sua leitura.
Classificação de 4**** no Goodredas.
Boas leituras!

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Opinião I "Felicidade Roubada" do escritor Augusto Cury

Felicidade Roubada
Augusto Cury
1.º edição: outubro de 2015
ISBN: 978 989 687 282 3
N.º de páginas: 208 páginas
Editor: Pergaminho
Preço: 15,50 euros
Este livro foi oferecido por uma pessoa muito especial na minha vida, obrigada por existires. Tinhas razão o livro é ....


Sinopse:
"Novo romance do best-seller Augusto Cury. E se de repente você perdesse a capacidade de fazer aquilo que dá sentido à sua vida? E se fosse paralisado pelos seus medos? Alan de Alcântara é um neurocirurgião bem-sucedido, que dedica grande parte do seu tempo à medicina. Cético e pragmático, não reconhece qualquer sinal de fraqueza em si e tem dificuldade em lidar com pessoas lentas. A sua vida profissional suga toda a sua energia, e, apesar de amar a sua inteligente filha Lucila e a sua adorável esposa Cláudia, mal convive com elas. Pensa que o amor é algo incondicional e não precisa de ser cuidado... Durante uma cirurgia, no entanto, Alan é acometido por uma crise de pânico e não é capaz de terminar o procedimento, deixando a responsabilidade para o seu auxiliar. Alan convence-se de que está a sofrer um ataque cardíaco, e não admite o diagnóstico: transtorno psíquico. O seu mal-estar jamais poderia ter origem emocional, pensa; isso é para fracos. Alan verá as suas certezas desmoronarem-se perante a doença - que irá significar, em última instância, uma oportunidade rara de se reconstruir como ser humano."retirado do site wook
Minha opinião:
Este é o segundo livro que leio deste afamado psiquiatra e psicoterapeuta Augusto Cury.
Quando li "A Saga de um Pensador" fiquei rendida com a forma subtil com que Augusto nos mostra de uma forma delicada e brutal os nossos medos, as nossas ansias e os nossos limites.
Agora que peguei neste livro "Felicidade Roubada" confesso que fiquei rendida ao modo como este psiquiatra mostra ao leitor os contornos e as armadilhas da mente humana.
Acima de tudo a grande lição que tirei desta leitura é que temos que cuidar da nossa mente, pois a qualquer momento ela pode pregar uma partida.
Uma vez a conversar com uma colega de trabalho sobre as depressões e outras doenças do foro psiquiatríco ela disse-me algo que nunca mais esqueci, e que se enquadra muito bem neste livro. A vida é como andar em cima de uma linha mas essa linha é tenua e a qualquer momento podemos cair e vamos para um poço escuro e profundo onde habitam os nossos monstros.
Este livro tal como a Saga de um pensador fez-me refletir sobre a importância de cuidar-mos de nós, da nossa sanidade mental, para que não deixemos os monstros da nossa mente tomarem conta do nosso dia e da nossa noite. Acreditem todos nós temos monstros escondidos na nossa mente.

Excelente leitura.

Classificação de 5***** no Goodreads.

Excerto:
"Loucura é remover lixo da mesa e papéis do chão mas não remover a enorme quantidade de lixo da nossa mente. Loucura é ser educado para falar com o mundo mas não aprender a conectar-se consigo próprio. Loucura é fazer a higiene oral diariamente e não fazer a higiene mental sequer uma vez por ano..." página 183

Boas leituras!

domingo, 21 de agosto de 2016

Opinião I "A Floresta" da escritora Sophia de Mello Breyner Andresen

A Floresta

de Sophia de Mello Breyner Andresen

Ilustração:Sofia Arez 

Editora: Porto Editora
Edição ou reimpressão: julho de 2013
ISBN: 978 972 0 72625 4
Preço:12,15 euros
Sinopse:
"Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 5.° ano, destinado a leitura orientada. 


«Confia nas crianças, nos sábios e nos artistas.»

Seguindo esta recomendação do Rei dos Anões e com a ajuda de Isabel e do professor de música, o Anão vai conseguir cumprir a missão de que estava incumbido, transformando o tesouro numa possibilidade de partilha e libertação."

Minha opinião:

Este livro foi lido no contexto da maratona literária de verão No Conforto dos Livros, uma das categorias obrigatória era ler um livro que me fizesse lembrar a infância.
Devo confessar que tive dúvidas entre duas escritoras uma foi a que acabei por escolher e a outra foi Alice Vieira.
Já li todos os livros infantis de Sophia de Mello Breyner Anderson, por isso, a leitura de "A Floresta" foi uma releitura, contudo devo confessar que não me lembrava de nada da história.
Este livro foi escrito no ano de 1968, algo que descobri quando estive a pesquisar na internet sobre qual das obras desta escritora que iria reler.
A personagem principal é uma menins de onze anos que se chama Isabel. Isabel vivia numa casa muito grande rodeada por florestas e lagos. Um certo dia, quando andava a passear na sua quinta, a menina encontrou uma árvore e as suas raízes pareciam que davam para construir uma casa para anões, assim sendo Isabel começou a construir uma casa para esses seres mágicos.
Certo dia quando regressou à grande árvore onde havia construido a casa para os anões, Isabela encontrou um anão de verdade e tornou-se sua amiga. Claro que agora que já sabem que este é um livro que tem muita magia podem imaginar o quanto fiquei fascinada com a sua leitura.
A escrita de Sophia é maravilhosamente bela e ao ler este livro recordei com saudade um outro livro seu, que gostei muito que foi "O Rapaz de Bronze".
O objetivo foi mesmo cumprido, com a leitura deste livro regressei à minha infância e fiquei com o bichinho de procurar os outros livros desta escritora na minha estante.

Classificação de 5***** no Goodreads
Aconselho vivamente a leitura dos livros desta brilhante escritora e poetisa portuguesa.

Boas leituras.

sábado, 6 de agosto de 2016

Opinião I "As Cores de Branca" da escritora Lara Morgado

As Cores de Branca
Lara Morgado
Editora:Porto Editora
1.º edição: abril de 2016
N.º de páginas: 224 páginas
ISBN: 978 972 004 812 7
Preço:13,95 euros
Quero agradecer desde já o envio deste livro pela Porto Editora, para eu o ler e dar a minha singela opinião.
Sinopse:
"António Galvão, o homem mais importante de uma pequena vila do interior, decide dar o mesmo nome a todas as filhas. Elas eram apenas a espera, o desgosto, o antes, as vidas que apenas existiam para que o homem chegasse. Mas a natureza não colaborou com os seus planos e António viu nascer sete Brancas.
Uma macabra tragédia abate-se sobre a família Galvão e um inesperado fenómeno começa a ser construído naquela pequena localidade. Da palidez do nome daquelas meninas, da ferida de toda a insignificância daquelas irmãs nasce uma revolução sem precedentes que deixará Galvão, para sempre, na história dos homens.
Os galvenses olharam para o céu e o dia iluminou-se. Os galvenses olharam para a terra e as obras descobriram-se. Eram todas. Eram todos."retirado daqui

Minha opinião:

Este não foi o primeiro livro que li de Lara Morgado e mais uma vez fiquei rendida aos encantos da sua escrita e ao modo como ela cria uma história com um enredo tão fabuloso.
Este livro fala sobre a família Galvão, que é dona de uma vila à três gerações. António Galvão casado com Branca quer a toda a força ter um filho homem e vive obsecado com isso. Contudo, e para desventura de António e da própria população da vila, Branca dá à luz sete meninas a que António batiza todas elas de Branca. Ao  fim de sete Brancas terem nascido eis que nasce o tão esperado filho homem, batizado com pompa e circunstância com o nome de Bartolomeu. A partir deste momento tudo acontece...não vou dizer o que vais acontecer, leiam o livro e ficaram a saber.
Fabuloso, prendeu-me de uma forma maravilhosa. Esta é uma história que fala da natureza humana e tem muito mistério à mistura.

Aconselho vivamente a sua leitura.

Classifucação de 5***** no Goodreads.

Boas leituras!

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Divulgação dos livros enviados esta semana pela Chiado Editora

Mais do que instantes
Débora Macedo Afonso
Editora: Chiado Editora
Data de publicação: Abril de 2016
N.º de páginas:149 páginas
ISBN:978 989 516 969 6
Coleção: Viagens na Ficção
Género: Ficção
Preço em papel:11,00 euros
Preço em eBook: 3,00 euros
Este livro foi gentilmente enviado pela Chiado Editora, para eu ler e dar a minha sincera opinião. Muito obrigada Chiado Editora.

Sinopse:
"Todos estão cá. Todos vieram, todos querem ver, todos querem testemunhar, todos querem festejar aquele que é o nosso amor. Aquele que o tempo conquistou silenciosamente, aquele que aprendeu a dar valor sem perder, aquele que perdoa, aquele que duplica a alegria e divide a tristeza, aquele que faz questão de ser único, de ser amor, de ser o nosso amor.
Hoje aqui, em frente ao espelho, vejo o reflexo do sonho de uma menina, vejo aquilo que desde os meus dez anos imaginei como seria. É branco, arrasta pelo chão, tem uma cauda relativamente grande e um decote coberto de renda, simplesmente lindo, um autêntico vestido da realeza."retirado daqui

Morro Contigo
A. Francis
Editora: Chiado Editora
Data de publicação: Setembro de 2015
N.º de páginas:252 páginas
ISBN:978 989 513 930 9
Coleção: Viagens na Ficção
Género: Ficção
Preço em papel:11,00 euros
Preço em eBook: 3,00 euros
Este livro foi gentilmente enviado pela Chiado Editora, para eu ler e dar a minha sincera opinião. Muito obrigada Chiado Editora.
Sinopse:
"Dois jovens estiveram ao dispor de quem os quisesse a troca de dinheiro vivo.
Luxuosamente, Simão Mago, estudante em Teologia, e Rodrigo Rei, estudante em Medicina Dentária, acompanhavam mulheres que os idolatravam, não fossem eles euses respeitadores de suas mais íntimas fantasias. Era uma atividade extracurricular exigente mas eles foram sempre muito cumpridores e o sucesso não se fez esperar.
“E a vida é uma montagem de momentos; perfeitos, imperfeitos, imprevistos.” O caminho idealizado afigurou-se-lhes mais escarpado do que as veredas do inferno. No final do curso, cada um seguiu por trilhos diferentes. Nenhum dos dois era feliz. Um silenciou o coração. Outro perdeu-se em ditames sociais respeitáveis. “Sabe-se que a vida dá cambalhotas incríveis.” E foi inesperadamente o que aconteceu…"retirado daqui

Boas Leituras!

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Opinião I "Finais Felizes Acontecem..." do escritor Eduardo Martins

Finais Felizes Acontecem...
Eduardo Martins
Editora: Chiado Editora
Data de publicação: março de 2016
N.º de páginas: 236 páginas
ISBN:978 989 516 480 6
Coleção: Compendium
Preço em Papel: 14,00 euros
Preço em eBook: 3,00 euros
Este livro foi-me enviado pela Chiado Editora, para eu ler e dar a minha honesta e modesta opinião.
Obrigada Chiado Editora!

Sinopse:
"Até que ponto estamos a tempo de alterar o nosso próprio destino?

Ricardo é um português milionário, emigrado em Los Angeles, mas desiludido com a vida. Após a morte trágica do seu amigo Peter, Ricardo volta a sonhar e a acreditar que ainda pode ser feliz.

Depois de refletir sobre o seu passado, decidido, vai à procura do amor da sua vida e inicia uma jornada alucinante, assombrada pelos crimes terríveis que cometera e pelos mistérios da sua família, na busca da redenção e do seu final feliz..."retirado da contracapa do livro

O escritor_ Eduardo Martins_

"Eduardo Martins é um jovem de 26 anos, natural de Reguengos de Monsaraz, que vive em Lisboa. Possui um Mestrado em Gestão, na especialidade de Marketing, pela Universidade de Évora. Ao nível profissional é sócio fundador da empresa Rural Home Trip e Director de Marketing da Clínica Extensão Médica.

O livro "Finais felizes acontecem..." é o seu primeiro romance, surgido da sua imaginação, criatividade e sua adoração pelo cinema. O romance também é inspirado nas suas experiências e reflexões pessoais.

Conheçam melhor o autor e sigam a sua página no Facebook em: facebook.com/espm.martins e no instragram em:@esp_martins." retirado do livro

Minha opinião:
Gostei muito do livro, principalmente da história, carregada de intriga e de muito suspense, para não falar dos segredos que vão sendo revelados ao longo do desenrolar do mesmo.
Considero que é um daqueles livros que se pega e não se quer largar até chegar ao fim, devido ao modo como o escritor consegue cativar o leitor através de uma história cheia de tramas e muito suspense.
Não vou falar muito mais sobre a história do livro pois a sinopse já diz o suficiente.
Só vou alertar que tem um final completamente surpreendente, deixou-me literalmente de boca aberta, contava com tudo menos com aquilo. Parabéns ao escritor!
Só gostava de deixar aqui uma nota de atenção, que para mim como leitora, habituada a ler os livros da Chiado Editora, me deixou bastante "triste". O livro tem muitas falhas ao nível do português, não só ao nível da construção das frases como ao nível gramatical. Cuidado com estas revisões literárias pois podem deitar a baixo a carreira de um escritor. Por acaso o enredo é brilhante e eu consegui ultrapassar a muito custo muitos dos erros com que me deparei. Contudo, suponhamos que o enredo não era assim tão viciante e empolgante. Certamente eu não tinha lido o livro até ao final, garanto.
Chegou uma altura em que eu, apesar de ler sempre, antes de começar a ler um livro, tanto a sinopse como o que nos é fornecido sobre o escritor, tive de consultar algumas vezes a nacionalidade do mesmo, pois o português era do brasil, o que nos dias de hoje não se justifica, isto porque existem excelentes revisores literários no mercado dos livros. Até porque não posso deixar de referir que é a primeira vez que tal acontece com um livro que eu tenha lido da Chiado Editora.



Gostei muito do enredo do livro, fantástico.
Classificação de 4**** no Goodreads, saliento que não dou as 5 estrelas precisamente devido ao aspecto negativo que já mencionei anteriormente.
Boas leituras!

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Opinião I "Diz Ela Destruir" da escritora Marguerite Duras

Diz Ela Destruir

Marguerite Duras
Editor: Livros do Brasil
Coleção: Dois Mundos
Edição ou reimpressão: 1988
N.º páginas: 134 páginas
ISBN: 9789723802948

Sinopse:

"Dans cet hôtel à l'orée de la forêt, trois clients qui ne se connaissent pas, silencieux, solitaires : Élisabeth Alione, Max Thor qui la regarde, et Stein qui regarde Max Thor. Plus tard viendront Alissa Thor, puis Bernard Alione... Fulgurant comme l'amour, silencieux comme la mort, grave comme la folie, âpre comme la révolution, magique comme un jeu sacré, mystérieux comme l'humour, Détruire dit-elle ne ressemble à rien."retirado do Goodreads

A escritora_ Marguerite Duras _

"Escritora e cineasta francesa, Marguerite Duras nasceu no Vietname em 1914 e veio a falecer em 1996 em França. A sua obra, habitada por personagens em busca de amor até aos limites da loucura ou do crime, foi visceralmente marcada pela juventude passada na Indochina. O romance autobiográfico L'Amant (1984) foi adaptado ao cinema. Escreveu também o argumento do filme Hiroxima meu amor e realizou Nathalie Granger (1973) e India Song(1975)."retirado do site wook

Minha opinião:

Este foi o primeiro livro que li da enorme coleção de livros escritos por esta escritora.
Não sabia com o que podia contar mas já sabia que o seu mais afamado livro é O Amante. Comecei a ler com as espectativas muito elevadas e foi este o meu erro, devia ter partido para a leitura com as espectativas mais baixas. Mas como já tinha lido "coisas" brilhantes sobre esta escritora esta muito empolgada.
Não posso dizer que não gostei, porque estaria a mentir redondamente, mas também não foi um livro extraordinariamente belo.
Duras tem uma escrita muito acessível e ao mesmo tempo requer muita atenção por parte do leitor.
«Neste livro Destruir - Diz Ela, fala sobre sobreviver..., destruir..., sobreviver à destruição que o paciente deve poder experimentar em um meio profissionalmente confiável, ou seja, como salienta Winnicott, "que protege do imprevisível", essa é a tarefa do analista. Ficar vivo, estar presente e ser confiável, é a tarefa que Winnicott designa ao analista! Trata-se de ir ao encontro das necessidades, e isso sem utilizar o paciente para fins eróticos ou narcísicos. 
Por outro lado, o paciente deve poder utilizar o analista, consumi-lo inteiramente, e que este sobreviva, ou seja, continue o mesmo, visto que tudo isso acontece num "outro palco", segundo a bela expressão de Octave Mannoni. Continuar o mesmo, sobreviver no sentido winnicottiano do termo, é o que nos é requisitado. Qualquer outra posição seria da ordem de um "abandono" que repetiria uma catástrofe inaugural. Engajar-se na "care cure", é engajar-se nessa ética, ser aquele que não "abandonará".»retirado da net
Toda esta complexidade do livro fez-me realmente concluir que Duras era uma mulher muito à frente no seu tempo.
Um livro que me fez pensar muito, sobre a mulher e o homem e tal como referi sem erotismos.

Gostei muito de descobrir esta escritora.

Classificação de 4**** no Goodereads.

Boas leituras!