sexta-feira, 29 de junho de 2018

Opinião - "O Lado de Cá do Lado de Lá" do escritor Vicente Delmar


Sinopse:
Um homem, um passado criminoso que nunca quis feito na rota da droga, a flexibilidade conveniente do sistema judicial e o subproduto humano produzido pela prisão.E a pergunta!
Como medir dentro de um homem a culpa, a maldade e o arrependimento?
“Porque há quem mate sorrindo e quem roube chorando.”
Como o sentiu na pele, e isso lhe dá o direito, a personagem acusa a sociedade de apenas pensar a justiça, sem a sentir.
Ficcionado em dois mundos reais, empresta o autor à personagem conhecimento pessoal, sobre os dois lados dos muros prisionais.
No “Lado de Lá, “o seu “fundo do poço” na queda desamparada da droga, entre o desenrolar de histórias,de crimes e homens, talvez maus talvez bons, Civic, a personagem, assumindo o seu crime, rejeita o peso da condenação. E do “Lado de Cá”, sente-se agora, pelo erro frio da desproporcionalidade, portador de crédito com a justiça, para a praticar:
“Tenho plena consciência de que muitos, são os cancros do mundo e o que vou fazer, não passa da eliminação de uma das inúmeras metástases, de um deles.”
Justiceiro, dir-se-á! Psicopata talvez. Tem no gato com quem divide casa,seu alter-ego,
“Reconheço que a sensação de que ele me responde e contesta, colocando-me na mente frases e mesmo respostas, embora já não me incomode, roça sem dúvida a loucura. Ou não!?” e como alvo na sua justiça, a pessoa de um ex-político pedófilo. A sua missão!
“Missão a que a própria sociedade afere sentido, sempre que poupa os poderosos e faz dos fracos exemplo, sempre que aplica dois pesos, quando o poder alivia um deles e a silenciosa mafia das influências se faz sentir”

Opinião:
Vicente Delmar mostra com este seu primeiro livro ser um escritor de mão cheia. Continua não desistas...
Este livro foi lido com muita calma, isto porque, foca temas que  mexem muito comigo pois já os vivenciei muito de perto (através do voluntariado). O tema do livro é o  mundo do crime,seja ele qual for, os meadros de um mundo escuro de criminosos que são tratados de forma diferente. O puder desta história é a meu ver, a frieza das personagens, que exactamente por este facto, torna a leitura muito real.
Delmar consegue atráves da criação da personagem Civic, retratar todos os lados emocionais e psicológicos que um ser humano pode carregar dentro de si. Após um percurso de vida doloroso, que leva este homem a fazer escolhas que são apontadas de forma negativa pela nossa sociedade, desde o consumo e tráfico de drogas, Civic vê-se do lado de lá do muro, preso. Mas os criminosos não são todos iguais, numa mesma prisão podemos encontrar  criminosos como o Civic, violadores, pedófilos, homicidas, etc...
Tem uma frase na sinopse que resume a  crueldade e o sofrimento que podemos encontrar num criminoso: 
"Porque há quem mate sorrindo e quem roube chorando." Na minha singela opinião esta frase marca a essencia que Delmar nos tenta e consegue, a meu ver, transmitir sobre os diferentes tipos de criminosos.
Civic como qualquer ex-recluso, quando passa para o lado de cá do muro, para fora das grades, enfrenta o estigma social para com qual já pagou pelos seus erros. Gostei muito da forma como a "personagem" do gato de algum modo influência os atos de Civic, parece que existe um diálogo inconsciênte mas ao mesmo tempo muito consciênte entre o homem e o animal.
Um livro me deixou a refletir sobre afinal o que é um criminoso e onde andam eles. 

Aconselho a sua leitura.
Classificação de 4,5 estrelas no Goodreads.

Excelentes leituras!

Sem comentários:

Enviar um comentário