sábado, 11 de abril de 2020

29 # Opinião | "O Sacrifício de um Homem" de Sandra Brown

Sinopse:
"Ella Baron é uma mulher só embora viva rodeada de pessoas. Cuida do seu filho Solly, de dez anos, com dedicação extrema. Com o país mergulhado numa recessão profunda, ela gere a sua pensão com a eficiência de um militar e a gentileza de uma aristocrata. Aconteça o que acontecer, não pode pôr em risco o seu sustento. Mas quando o reputado médico da vila lhe pede para aceitar um novo hóspede e apresenta David Rainwater, algo dentro dela se retrai.
David é atraente e gentil, mas não passa de um desconhecido. Perante a hesitação de Ella, o médico comete uma inconfidência: o seu novo hóspede não vai ficar por muito tempo pois está a morrer.

Os ventos da mudança sopram fortes e Ella sente que algo indizível está a avolumar-se no horizonte.

Ao ver-se envolvida numa sucessão de estranhos acontecimentos, esta extraordinária mulher rapidamente percebe que a vida tal como a conhece vai mudar para sempre. E é neste clima de medo e tensão que David se vai revelar um pilar de tranquilidade, altruísmo e retidão. E, aos poucos, Ella aprende a confiar no misterioso homem… até à noite mais quente e mais sangrenta desse verão, em que os limites de todos eles serão postos à prova.


Inspirado por uma história da família de Sandra Brown, 
O Sacrifício de um Homem decorre em 1934, 
em plena Grande Depressão, e é o livro mais pessoal da autora.

Opinião:

Ella Barron é uma mulher forte, determinada e decidida, a vida não foi propriamente meiga para ela. Ella é dona de uma pensão e o seu ganha pão provêm da boa gestão que ela realiza.Sozinha cuida com muito amor do seu único filho que se chama Solly. Solly é rapazinho de dez anos com muitas dificuldades de aprendizagem. A vida de Ella vai mudar no dia em que aceita instalar na sua pensão o senhor Rainwater, Ella faz isso porque  ele vem com o médico e tem um segredo que o último lhe confidencia: não lhe resta muito tempo de vida.
A história deste livro decorre no período da Grande Depressão em que a maldade dos homens poderosos é imensa e o sofrimento dos pobres é enorme. Nesta altura, quem é rico torna-se mais rico e quem é pobre é cada vez mais pobre. 
Este foi o único livro que li desta escritora, sei que não tem nada a ver com o seu género literário, e que foi escrito entre dois livros. Gostei da forma como as personagens estão constuídas e da forma como ela faz a descrição de alguns acontecimentos macabros. A situação da época não é relatada de forma exaustiva, mas existem episódios, como a do Irmão Calvin e a do Solly que são reveladoras do racismo que se vivia na época.
Como seria de esperar entre Ella e o senhor Rainwater, vai crescendo um sentimento forte e maduro, assim como o interesse do do senhor Rainwater pelo Solly.
Gostei da leitura, mas tenho a prefeita noção que não o deveria ter lido agora. Isto porque é um livro que me fez sair da minha zona de conforto, e fora da zona de conforto já andamos todos com esta situação do isolamento social. Julgo, posso estar errada, que se tivesse lido numa outra altura tinha dado mais valor ao livro. Eu peguei no livro e larguei muitas vezes, só o terminei agora porque me "obriguei" a ler. Tenho noção que a escrita de Sandra Brown é muito boa, pelo menos neste livro, o que me deixou com a pulga atrás da orelha para os policiais que ela tem. Eu julgo ter um livro dela aqui na estante que é "Obsesão" e tenho que ler, pois gostei muito da sua escrita.
Classificação de 4**** no Goodreads.
Excelentes leituras!
#FicaEmCasa ❤

Sem comentários:

Publicar um comentário