terça-feira, 21 de abril de 2020

31 # Opinião | "A mulher à janela" de A.J.Finn

Sinopse:
"Anna Fox não sai à rua há dez meses, um longo período em que ela vagueou pelos quartos da sua velha casa em Nova Iorque como se fosse um fantasma, perdida nas suas memórias e aterrorizada só de pensar em sair à rua. A ligação de Anna ao mundo real é uma janela, junto à qual passa os dias a observar os vizinhos. Quando os Russells se mudam para a casa em frente, Anna sente-se desde logo atraída por eles - uma família perfeita de três pessoas que a fazem recordar-se da vida que já teve. Mas um dia, um grito quebra o silêncio e Anna, da sua janela, testemunha algo que ninguém deveria ter visto e terá de fazer tudo para encobrir o que presenciou . Mas mesmo que decida falar, irá alguém acreditar nela? E poderá Anna acreditar em si própria?
Um thriller eletrizante onde nada nem ninguém é o que parece."
O Escritor A.J.Finn:
"A. J. Finn é o pseudónimo de Daniel Mallory. Possui uma licenciatura pela Universidade de Oxford e tem colaborado como crítico literário em publicações como o Los Angeles Times, The Washington Post e The Times Literary Suplemment. Natural de Nova Iorque onde reside atualmente, viveu em Londres durante dez anos. O seu livro de estreia, A Mulher à Janela, foi já vendido para 38 países e está a ser adaptado ao cinema pela Fox."
Opinião:(pode conter spoilers) 
A leitura deste livro foi realizada para a Maratona estações do ano e para a Maratona Primavera no goodreads,  nos dois desafios para a categoria_ Livro do teu género favorito, foi também lido para a o Desafio A Ler Vamos Chamar PRIMAVERA _ Letra M.
Este livro tem uma capa que a meu ver é  muito bem conseguida, só reparei neste fato quando peguei no livro, e após ler o primeiro capítulo e relacionando com o título achei a capa simples mas muito elucidativa. As riscas azuis são os estores da janela e uma parte deles está para baixo dando a sensação que a mulher espreita por ali.
Anna Fox é a mulher que está à janela, desta forma é a personagem principal deste livro. Anne está em casa à dez meses, isto porque sofre de agorafobia.(eu fui pesquisar mais sobre esta doença, deixo aqui o que descobri)
O que é Agorafobia?
Agorafobia corresponde ao medo de ficar em ambientes desconhecidos,ambientes cheios, transporte público e cinema, por exemplo. Até mesmo a ideia de estar num desses ambientes pode fazer com que a pessoa fique ansiosa e apresente sintomas semelhantes ao da síndrome do pânico, como tonturas, aumento da frequência cardíaca e falta de ar. 
Este transtorno psicológico pode ser bastante limitante e ter impacto negativo na qualidade de vida da pessoa, pois como não consegue frequentar outros lugares ou relaxar quando se está em ambientes cheios, por exemplo, a interação com outras pessoas pode ser prejudicada, o que pode levar ao isolamento da pessoa.
O tratamento da agorafobia é feito por meio de sessões de terapia com um psicólogo ou psiquiatra e tem como objetivo ajudar a pessoa a enfrentar o medo e a ansiedade, tornando-a mais segura e confiante.Dependendo o grau dos sintomas, o psiquiatra pode indicar o uso de medicamentos para controlar os sintomas e a pessoa se sentir mais relaxada diante de determinadas situações.

Anne Fox não tem contacto com muitas pessoas, aliás contam-se pelos dedos de uma mão as pessoas com quem ela contacta pessoalmente, temos a sua fisioterapeuta, o seu psiquiatra
é o seu inquilino, David. Sozinha, separada do seu marido e filha, Anne vive enfiada com sempre com muito álcool e remédios para esquecer a sua solidão.
Anna está sempre observar toda a vizinhança, ela conhece cada um deles, as suas rotinas, os seus horários, observando-os através das  lentes de sua câmara fotográfica. Mas existe uma família que se mudou para a sua pacata rua e que desperta muito a atenção de Anne, é a família Russell, composta por mãe, pai e filho. Anna acompanha a chegada da família e acaba sendo a única testemunha de um crime que acontece naquela casa. Anna chama o 112 e a polícia, contudo com todo o álcool que ela tinha consumido e a quantidade de medicamentos ingeridos, ela percebe que talvez as coisas não tenham sido como  viu e embora tenha certezas, os acontecimentos ao seu redor começam a confundi-la.
Ao longo da leitura ficamos a saber o porquê de Anne não viver com o resto da sua família, claro que se deve ao divorcio mas também sabemos o porquê do mesmo. Desta forma, vamos tendo conhecimento do acidente de automóvel que ela sofreu com a sua família, esta foi a causa da sua doença.
Anna para além de vigiar os seus vizinhos também gosta de filmes de suspense da década entre cinquenta e setenta, gosta de jogar xadrez online e faz parte de um grupo em que ela como psicóloga ajuda outras pessoas que estão na situação dela.
Confesso que no início a leitura estava a ir bem rápida e interessante, mas depois começou a ser mais do mesmo, acho que o livro tem um excesso de descrições e devaneios desnecessários, coisas que não influenciam em nada na história tornando-a monótona. O livro demorou mais de cem páginas até acontecer algo interessante. Contudo, mesmo após essa parte o livro volta ao mesmo. Perto dos 80% da leitura, acontece o inesperado e uma reviravolta daquelas que me agarrou.
Quando terminei o livro, concluí que devia ter menos cem páginas e assim seria um livro top.
Gostei da leitura mas gostaria mais se tivesse um desenrolar mais rápido.
Classificação de 4**** no Goodreads.
#FicaEmCasa ❤
Boas leituras!




Sem comentários:

Publicar um comentário