19 de Agosto de 2014

Incertezas literárias....quem me ajuda a escolher o livro...

Quem já acompanha o meu blog à algum tempo sabe que de vez em quando, passo pela fase das incertezas, ou seja, no meio de quase 800 livros (da minha biblioteca pessoal), eu fico sem saber o que ler. Com livros de todos os gostos, desde policiais, a romances, a romances históricos e romances sensuais. Trilogias e livros únicos tenho de tudo por aqui, vampiros e anjos, diários e ficção, etc...
Simplesmente começo a ler e coloco de parte pois não estou a conseguir entrar na leitura, ou não me identifico com as personagens o tempo histórico, ou simplesmente não estou a gostar.

Estou novamente a atravessar essa fase parva e pateta em que para onde olho não me consigo sentir atraída ou motivada.

Existem sempre bons motivos para ler e no post que está a seguir eu destaco, (todos são importantes)o quinto..."Viagem sem sair do lugar","Descoberta de novos mundos" e "Alegria e encantamento".
Neste momento ando com uma enorme dificuldade de, como já referi entrar nos livros, e fico triste pois ando muito com os pés na terra e eu gosto de viajar para outros mundos que me tragam algo de novo, alegria, pesquisa, paixão e tudo aquilo que um livro me trás quando desfolho as suas páginas.

Mas não vou desistir tenho que ler para me sentir normal e bem disposta, vou continuar a tentar e vou apostar num policial. Não vou ler James Patterson, apesar de ser o meu escritor favorito, porque já está destinado para uma maratona literária. Tenho muitos outros policiais mas neste momento tenho entre mãos dois que julgo, qualquer um deles me vai prender.

The Killing II_ do escritor David Hewson, que é baseado num sucesso televisivo que agora se tornou num acontecimento literário.
Podia colocar aqui o The Killing volume 1_Crónicas de um assassínio_ mas como não tenho o segundo volume, e não faço tensão em adquirir livros tão cedo, terei que começar pela segunda temporada, que é um livro único com 634 páginas.Tenho pena que não tenham feito o mesmo na primeira temporada, isto é, um livro único.
OU

Pena Capital do escritor Robert Wilson, que já ouvi e li muitas opiniões positivas de um livro dele, que por acaso não o tenho (emprestar livros significa ficar sem eles) que Cego de Sevilha.

Agora tenho de escolher entre estes dois qual vou pegar se alguém me poder ajudar na escolha agradecia...

Boas leituras e AJUDEM-ME ;)

13 de Agosto de 2014

Tributo ao actor Robin Williams

Retirado da Internet

Um dos filmes que mais me marcou ainda hoje choro na cena final


METADE

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio;
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca;
Porque metade de mim é o que eu grito,
Mas a outra metade é silêncio...

Que a música que eu ouço ao longe
Seja linda, ainda que tristeza;
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante;
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade...

Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece
E nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta
A um homem inundado de sentimentos;
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo...

Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço;
E que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada;
Porque metade de mim é o que penso
Mas a outra metade é um vulcão...

Que o medo da solidão se afaste
E que o convívio comigo mesmo
Se torne ao menos suportável;
Que o espelho reflita em meu rosto
Um doce sorriso que me lembro ter dado na infância;
Porque metade de mim é a lembrança do que fui,
A outra metade eu não sei...

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
para me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais;
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço...

Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade para faze-la florescer;
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção...

E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade... também.

Retirado da Internet

8 de Agosto de 2014

Arrumação feita...

Finalmente consegui acabar a arrumação da minha estante-Big- onde estão somente os livros que tenho por ler.
Fiquei feliz porque consegui colocar os livros todos à vista, não tive que fazer duas fiadas, pois se tivesse nunca sabia os livros que estavam por detrás da primeira fila.

Por outro lado fiquei triste, no bom sentido (se é possível), se é que me entendo. É assim se eu tivesse poucos livros podia ir acompanhando os novos que vão saindo, mas isso infelizmente não acontece comigo, não quero dizer que não gosto de ter muitos livros mas os meus muitos são um total de, não se assustem por favor, 771 livros não lidos.

Ora isto implica que não compro mais livros, sem ler os que tenho em casa e será que vou ter uma longa vida para poder ler tantos livros, dado que eu lei-o muito devagar mas o lado bom é que não gasto mais dinheiro, pois quando quiser ler um livro dos que saem vou à biblioteca municipal de Vila do Conde, que é bem recheada. 

Bom como podem imaginar arrumar uma estante com 771 livros não foi nada fácil ...mas aos poucos lá fui colocando pelos autores, depois já era complicado, e fui colocando por ordem dos que quero ler e depois pelos tamanhos. Tenho pena de não ter máquina fotográfica no telemóvel, gostava de partilhar com vocês a minha estante.

Convêm referir que todos os que tenho são livros que tive o cuidado de quando os comprei saber que eram do meu gosto, isso é ainda melhor pois tenho uma estante de livros que gosto muito.

Bom e dou por terminado esta minha arrumação da estante, só tenho pena de ter três trilogias em que tenho os dois primeiros volumes e não tenho o último, mas como já disse tenho a biblioteca municipal, onde posso sempre recorrer.

Queria agradecer as dicas que foram dadas pelos seguidores sobre o modo como organizar a estante.





Boas leituras! 

Cheirinho dos livros...

Adoro fazer isto aos livros...cheira los...não sei porquê. E quanto mais velhinhos são mais gosto de os cheirar... pancas!
Boas leituras! 

4 de Agosto de 2014

Minha opinião sobre o livro, "A rapariga das laranjas" do escritor Jostein Gaarder


Rapariga das Laranjas
 
Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 128
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722330947
Coleção: Grandes Narrativas

Sinopse:
O que fazer quando um pai, falecido demasiado cedo para nos lembrarmos dele, decide falar com o filho, através de uma carta escrita há onze anos? Esta é a experiência de Georg Roed, de quinze anos, quando a família descobre a carta do seu pai. Juntos, Georg e o pai vão dialogar e manter finalmente a conversa de adultos que não puderam ter em vida. Nessa carta, Jan Olav, o pai de Georg procura uma bela rapariga carregada com um saco de laranjas. Nada o demove, nem o facto de não saber nada dela, nem o nome. Procura-a com todo o entusiasmo da juventude, enquanto imagina qual a razão que a leva a atribuir um valor tão grande às laranjas que ele, desastradamente, fez rolar nesse primeiro encontro. Georg mergulha nesta aventura descrita com grande paixão pelo pai, falecido quando ele tinha apenas quatro anos.
Autor do bestseller internacional O Mundo de Sofia que em 1995 foi o romance que mais vendeu em todo o mundo, registando 25 milhões de cópias, Gaarder traz-nos em A Rapariga das Laranjas um romance mais direccionado ao público jovem. Através de uma belíssima carta de amor para um filho de quem o pai sabe que não poderá acompanhar o crescimento, esta obra é um hino à vida e ao mistério insondável que ela encerra.

Minha opinião:
No fundo este livro trata-se de um pai que morre e deixa uma carta para ser entregue ao filho quando este tiver 16 anos de idade. Na carta ele para além dos conselhos que vai dando ao filho, conta uma história de uma beleza extrema sobre uma rapariga das laranjas, tinha esta designação por andar sempre com um saco de laranjas muito suculentas e bem cheirosas.
Esta história levou-me às lágrimas de tão bela que é, por vezes penso que não sabemos dar valor ao que temos e o pior deste pensamento é que não sabemos mesmo.
Aconselho vivamente a leitura deste livro pequeno mas de um grande valor.
Boas leituras!

O escritor_Jostein Gaarder_

Jostein Gaarder

Jostein Gaarder nasceu em Oslo a 8 de Agosto de 1952. Formou-se em Filosofia, tendo leccionado durante alguns anos as disciplinas de História das Ideias e História das Religiões no Ensino Secundário. A partir de 1993, depois do grande sucesso de O Mundo de Sofia dedica-se totalmente à actividade literária e diz inspirar-se nas reacções dos seus dois filhos ao mundo que os rodeia, para a criação de muitos dos seus livros. Atribui, todavia, o segredo do seu sucesso ao facto de preencher uma das necessidades fundamentais de qualquer ser humano - a de que lhe contem histórias.