quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Minha opinião sobre o livro " A cor do Céu" de Julianne MacLean



A cor do céu
Auto-descoberta sobre o que significa viver e amar
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 264
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722348003
Coleção: Grandes Narrativas
Capa:Catarina Sequeira Gaeiras
Preço:14,85 euros

Sinopse:
"Com um fio narrativo que conduz de surpresa em surpresa, este relato de uma experiência de quase-morte vai deixá-lo sem respiração. Sophie Duncan é uma colunista bem sucedida cujo mundo se desmorona depois da doença inesperada da filha e do chocante caso amoroso do seu marido. Como se não bastasse, tem um despiste de automóvel numa estrada coberta de gelo que a projeta para o interior de um lago gelado. Sophie experiencia então, nas águas frias e profundas do lago, algo de extraordinário, que desvenda os segredos do seu passado e que lhe ensina o verdadeiro significado de estar viva. Uma história de amor e uma jornada de auto-descoberta e redenção."retirado do site wook

Minha opinião:
Este é o primeiro livro que leio desta escritora e que pena só ter lido agora, pois já o tenho cá em casa faz algum tempo. É um livro lindo, que mais uma vez me conseguiu por a chorar, este ano ando muito chorosa.
Retrata-nos a vida de um casal muito feliz, que se ama loucamente, têm uma filha, um amor de menina a menina dos olhos dos seus pais, mas nem tudo é um mar de rosas na vida das pessoas.
A criança quando tinha dois anos apareceu-lhe uma nódoa negra no corpo, e depois outra isto acompanhado pela falta de apetite, foi ao médico e o pior foi diagnosticado, Leucemia. Sessões de quimioterapia, radioterapia durante bastante tempo levou à reminiscência das células cancerígenas, Megan  volta para casa e tudo parece voltar ao normal menos a vida de Michael, que tinha sempre muito trabalho e até tarde.  

A criança morre o casal divorcia-se e tudo vai por água a baixo...
Mas Sophie precisa de arrumar o seu passado, o passado que implica o abandono da sua mãe. Então decide ir ao sítio onde pensa ela estar e pede-lhe que conte o porquê de ter abandonado as suas duas filhas e o seu marido.

A sua mãe conta tudo até ao ínfimo dos pormenores o que ajudou Sophie a esclarecer muita coisa na sua cabeça, principalmente o motivo do seu pai a tratar de forma diferente da sua Sea, de um modo mais distante, não desprovido de amor, mas diferente.
Leiam é uma leitura contagiante não conseguimos parar...
E trás ensinamentos de vida que nos fazem reflectir bastante.
Boa leitura;)

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

A escritora _ Julianne Maclean _

"Julianne MacLean é autora de um vasto número de romances históricos, muitos dos quais se tornaram bestsellers nos Estados Unidos e foram distinguidos com prestigiados prémios literários." retirado do site wook

sábado, 24 de janeiro de 2015

Minha opinião sobre o livro Carmilla do escritor_ Joseph Thomas Sheridan Le Fanu _

Carmilla
Edição/reimpressão: 2005
Páginas: 112
Editor: Edições Século XXI
ISBN: 9789728293574
Coleção: Unicórnio
Capa:Inês Sena
Preço:15,00 euros

Sinopse:
"Um conto curto, publicado em capítulos na revista Dark Blue entre 1871 e 1872 e incorporada na coleção de Le Fanu In a Glass Darkly, publicada em 1872. In a Glass Darkly consiste em uma série de casos misteriosos estudados supostamente por um especialista alemão em ocultismo, Dr. Martin Hesselius.
Carmilla é um dos grandes contos de vampiros da literatura, sendo considerado por muitos críticos como o melhor do século XIX no seu tratamento do suspense e erotismo. Carmilla sugere fortemente uma atração sexual de caráter lésbico entre a personagem-título e suas vítimas femininas, introduzindo assim a mulher-vampiro na galeria de personagens da literatura gótica. Bram Stoker leu Carmilla e sua influência, entre outros aspectos, é evidente na caracterização das vampiras que atacam Jonathan Harker no início de Drácula (1897).
" retirado da internet

Minha Opinião:

Carmilla, um verdadeiro clássico do género fantástico, da autoria de J. Sheridan Le Fannu, que correspondeu ao que eu estava à espera quando peguei no livro, principalmente depois de ter lido a sinopse e a biografia do autor, achei que ia ser uma leitura de seca. No entanto, tenho que admitir a minha ignorância em relação à importância que esta obra teve na época e também para a escrita do livro Drácula.
Um livro de poucas páginas, mas com uma elevada qualidade literária, o autor transporta-nos para uma bela paisagem, repleta de mistérios, e dá-nos a conhecer a jovem Laura, que vive isolada na companhia do pai, numa vida rotineira, até ao momento em que ambos acolhem em sua casa uma bela e misteriosa hóspede, de nome Carmilla.
Várias vezes transportada para o cinema, a novela Carmilla, vem renovar a grande tradição do vampirismo e anunciar, à distância de duas décadas e pouco, o Drácula. Considerada por isso a sua importante ancestral, ela vale ainda pela ousadia do tema que, indo muito além de uma história de vampiros, foca uma das formas de sexualidade mais reprimidas na época vitoriana: o lesbianismo. Aspecto esse que trouxe bastantes dissabores com a censura a Le Fannu mas que em muito terá contribuído para o seu rotundo êxito em toda a parte.
Uma leitura simples e que me prendeu bastante nas suas páginas este é um livro que recomendo para os amantes do vampirismo gótico.
Boas leituras!

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

O escritor_ J. Sheridan Le Fanu_

"Joseph Thomas Sheridan Le Fanu (Dublin28 de agosto de 1814 -Dublin,7 de fevereiro de 1873) foi um escritor irlandês de contos góticos e romances de mistério. Ele foi o primeiro escritor de histórias de terror do século XIX e teve uma influência seminal sobre o desenvolvimento deste género na era vitoriana.
Le Fanu nasceu em Dublin numa família de literatos de origem huguenote. Entrou no Trinity College da cidade em 1833, onde se destacou academicamente. Começou a publicar relatos curtos na Dublin University Magazine em 1838. A partir de 1840 passou a ser dono de jornais como o Warden e o Dublin Evening Mail.
Em 1844 casou-se com Susanna Benett, com quem teve quatro filhos. O casamento passou por tempos economicamente difíceis, e a mulher faleceu em 1858 por causas desconhecidas. Le Fanu culpou-se a si mesmo pela morte da esposa, e passou muito tempo afastado da vida pública após o incidente. Entre 1853 e 1861 não publicou nenhuma obra.
Em 1861 Le Fanu passou a ser dono e editor da Dublin University Magazine, onde publicava suas histórias de maneira seriada. Mais tarde, essas histórias eram reunidas em livros. Le Fanu vendeu a Magazine em 1869 e morreu em Dublin em 1873.
Obras:
Le Fanu escreveu em vários géneros literários, mas é principalmente conhecido hoje por suas obras de mistério e horror. Entre suas obras principais figuram:
  • Uncle Silas (1864): considerada sua principal novela gótica.
  • In a Glass Darkly (1872): coleção de histórias curtas intituladas:
  • The Green Tea
  • The Familiar
  • Mr Justice Harbottle
  • The Room in the Dragon Volant
  • Carmilla: a personagem do título é uma vampira que ataca jovens mulheres, numa trama com conotações lésbicas. Teve grande influência em Bram Stoker, autor de Drácula (1897)." retirado da wikipedia

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Minha opinião sobre o livro "Protegida" de Catarina Broco

Protegida
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 72
Editor: Edições Vieira da Silva
ISBN: 9789898545756
Coleção: Ficção
Capa:Rui Pedro fotografado por Catarina Broco
Preço:8,50 euros

Sinopse:
"Estranhos e coincidentes acontecimentos ocorrem na vida de Aleera Luce, uma adolescente italiana, cujo nascimento ficou marcado na cidade de L’Aquila. Ziel, um rapaz atraente e misterioso, entra inesperadamente na sua vida e altera-a por completo. Uma história de um amor proibido por vários segredos." retirado do site wook

Minha Opinião:

Este é o primeiro livro-conto de Catarina Broco, mas nem por isso deixa de ser um livro-conto de qualidade, pelo menos eu gostei muito. Gostei da história em si e da forma como é relatada, da forma como a escritora escreve.
O livro-conto inicia com um acontecimento catastrófico que leva ao nascimento da personagem principal, Aleera Luce, que com o seu nascimento levou à morte da sua amada mãe. Dezassete anos mais tarde Aleera, quando tenta salvar o seu cão Sam de ser atropelado, fica fascinada por um estranho que a auxilia nos momentos de maior aflição relatados ao longo do livro, o seu nome é Ziel. Órfã de mãe, ela vive na sombra da mesma que não conheceu mas idolatra. Com o avançar da história ela acaba por conhecer melhor o seu passado. Isto porque a sua amável vizinha conta-lhe algo que a mãe de Aleera queria que só a sua filha soubesse, a sua mãe tem uma coleção de diários onde relata toda a sua vida e a primeira coisa que Aleera leu, no recanto do seu quarto, foi que a mãe tal como ela via Ziel, a sua mãe ouvia uma voz, e essa voz disse-lhe que se ela engravidasse só uma ia sobreviver. Tal facto foi um choque para a jovem Aleera. Afinal Aleera tinhas muitas presencias com a sua amada mãe. Aleera acaba por descobrir o grande segredo de Ziel.
Estamos perante uma história de amor e mistério que vai crescendo nos encontros e desencontros destas duas personagens principais. Ciúmes e desilusões são algo que é previsto no desenvolver da história. E que acaba sempre por ser uma boa forma de prender o leitor.
A história desenrola-se a uma velocidade vertiginosa, podendo ter sido em algumas partes mais explorada, desenvolvida, pois acho que só teria a ganhar em termos de enredo e evitava um final a deixar o leitor a querer saber mais.
Apesar de saber que existe o livro Protegida II acho que poderia ter sido tudo compilado num único livro, talvez fosse mais interessante.
Não quero com isto dizer que não gostei, antes pelo contrário, gostei bastante, o problema agora é encontrar o segundo livro, daí poder ser tudo num só livro.

Aconselho a leitura é rápida e interessante. 

A escritora _ Catarina Broco_

Catarina Broco nasceu a 27 de outubro de 1992 em Bragança.
Mudou-se mais tarde para a cidade de Macedo de Cavaleiros onde concluiu os seus estudos - 12.º ano.
Teve aulas de ballet com a Professora Liciulla Zanella, participando em alguns espectáculos, sendo de destacar "A Caixa Mágica".
Tornou-se Bombeira Voluntária, onde encontrou uma segunda família e viu uma profissão que pensou seguir como profissional.
Actualmente estuda na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Seguidamente vou transcrever uma entrevista dada na altura em que o livro Protegida foi lançado, e que achei interessante para os leitores mais atentos do blogue.

"A jovem macedense Catarina Broco lançou este sábado, às 15h o seu primeiro romance “Protegida”.
A apresentação da obra contou com a composição de uma música da autoria de Rui Pedro.
Foi entrevistada pelo jornalista Miguel Midões (leia ou ouça a entrevista aqui: (ENTREVISTA CATARTINA BROCO)
Como surge este “Protegida”?
O título só foi escolhido no fim. A obra em si só surgiu no ano passado quando eu estava a acabar de ler um livro na piscina. Achei que talvez tivesse chegado a altura de escrever alguma coisa que alguém quisesse ler.
Em traços gerais o que nos conta?
A história não se passa cá, passa-se em Itália, numa cidade medieval, em l’Áquila. A obra surge com um terramoto, que foi real, que aconteceu. Foi por aí que comecei.
Mas, esse facto verídico tocou-te de alguma maneira, que te tenha levado a transportá-lo para a ficação?
Sim, foi daí que surgiu o resto da história. Não tinha a ideia de escrever um romance. Foi surgindo à medida que fui escrevendo o texto. Escrever sempre me agradou bastante. Para escrever o livro pesquisei muito na internet. A bse é algo que já aconteceu a algumas pessoas, mas é tudo ficcionado.
Este livro já foi lançado em Lisboa, como correu?
Correu bem. Não teve tanta gente como aqui em Macedo de Cavaleiros, mas correu bem. Foi lançado na Faculdade de Letras e, neste momento estamos em exames.
Boas leituras!

Aquisições do mês de Janeiro

Admito perdi a cabeça, coisa que não me acontecia à muito tempo mas os livros que adquiri foram todos livros que tinha de baixo de olho faz algum tempo, mesmo assim não se justifica tanta compra. Eu tinha dito que este ano queria comprar menos livros e logo no primeiro mês do ano estraguei tudo ehehhehe....
Adquiri 13 livros logo já ultrapassa um livro por cada mês do ano de 2015, meu deus tenho que me controlar, e fiz duas reservas da saga de Caçadores de Sombras o número 3 e o 5, logo não dá 13 mas 15 livros. No comment, please!

E os livros são...













Quando receber os outros dois da saga A Cidade dos ossos coloco aqui no blog, pois em princípio só vem daqui a um mês.
E aqui estão as minhas aquisições do primeiro mês deste ano e que espero não se repetirem na quantidade nos próximos meses, começando por no mês de fevereiro não adquirir nenhum livro...espero conseguir...
Beijocas e boas leituras...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

A minha opinião sobre o livro:"Só te amo até Terça-feira" de Rosa Luna

Só te Amo até Terça-feira
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 176
Editor: Livros d'Hoje
ISBN: 9789722048002
Coleção: Tiara
Capa: Maria Manuela Lacerda
Preço:13.90 euros

Sinopse:
"Mariana nasceu sete minutos depois de Rosa Maria. A sua vida estava destinada a ser pequena e esquecida, com um namorado SEM DINHEIRO que ainda vivia com a mãe. Num finca-pé pouco habitual, Mariana conseguiu tirar um curso administrativo, um de inglês e outro de francês e começou a trabalhar numa grande empresa. Era a Mariana ao fundo da sala, competente mas sem história. Tudo se transforma com a chegada do filho do patrão, Diogo Vargas, um homem estonteante, bem vestido, perfumado, com um sorriso irresistível. Ainda não tinham trocado uma palavra e Mariana já imaginara o casamento, os filhos, o sexo extraordinário. Nada seria possível sem uma autêntica revolução. Esta chega pelas mãos de umas amigas - um par de lésbicas bem dispostas e atrevidas - que obrigam Mariana a mudar o visual. Radicalmente. O patinho feio torna-se um cisne com cabelo assimétrico, roupa de outlet e sapatos com cunha. Depois? Diogo repara na Mariana ao fundo da sala e vão jantar. Nada corre como seria de esperar. Ou será que Mariana conseguirá o seu sonho? Uma coisa é certa: o amor não escolhe nem tempo, nem lugar."retirado do site wook

Excerto
«Quando te vi pela primeira vez, imaginei o nosso casamento, o meu vestido, o nosso beijo. Senti-me a tua princesa.»
Só te Amo até Terça-feira de Rosa Luna

Minha Opinião:
Um livro que me prendeu desde o início até ao final, apesar de ser uma história curta despertou em mim todo o tipo de sentimentos, ri, sorri e até chorei o que é raro em mim quando leio uma história de amor.
Mas este livro não é só uma simples e mera história de amor, este é um livro que nos fala do crescimento pessoal de Mariana. Da Mariana insegura que tinha um namorado, Rui,que era um individuo egoísta a todos os níveis, só se preocupava com ele até nas relações sexuais o que lhe interessava ela o seu prazer e nada mais e que acaba por trocar Mariana pela sua prima Renata. Mariana tem uma irmã Rosa Maria que é uma pessoa, fruto do meio onde vive, cabeleireira,cusca,sempre pronta a colocar Mariana na mó de baixo. Mariana no fundo é uma lutadora, tira dois cursos vai trabalhar para uma grande empresa, mas não passa da Mariana da última secretária lá ao fundo, onde ninguém a vê e que é loucamente apaixonada pelo Diogo o seu chefe, o filho do patrão.Para o poder ver todos os dias, passa longas horas no Facebook, a estudar o seu perfil e a decorar os traços do seu rosto, não lhe bastam. Duas amigas decidem ajudar Mariana a conquistar Diogo e, para tal, é necessária uma mudança de visual radical. Dos pés à cabeça é transformada, passando de uma mulher discreta e simples para uma mulher atraente, sensual e confiante. No mesmo dia que regressa ao TRABALHO com o seu novo visual, Diogo repara em Mariana pela primeira vez e convida-a para jantar. Será que Diogo é mesmo o homem dos seus sonhos, tal como ela imagina? Será Mariana corajosa e destemida, tal como aparenta com o seu novo visual? 
Leiam vale a pena este livro é lindo, só um à parte quando fui para a cama às 23 horas ia na página 25 só me deitei quando acabei de ler o livro todinho, mais uma vez ri e chorei mas valeu a pena ter passado uma noite quase em claro, pois acordei às 8 horas e deitei-me perto das 5 horas ( eu sou muito lenta a ler ), não se vão arrepender é uma leitura linda. Faz muito tempo que não lia um livro assim tão bonito.
Boas leituras!

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

A escritora _ Rosa Luna_

"Rosa Luna é chilena, vive em Boston há mais de 20 anos e nunca se casou. Teve, como afirma, casos amorosos que lhe devolveram ou roubaram a alma. Rosa Luna nasceu em 1956. Teve um acidente de viação aos 12 anos e mantém-se, desde então, numa cadeira de rodas. Diz que o verbo desistir não se aplica ao dicionário da sua vida. Ao mesmo tempo, por razões pessoais, recusa-se a fazer lançamentos ou a dar entrevistas pessoalmente, apenas por escrito. Diz ela: «O que importa são os livros. Nada do que eu diga fará diferença.» Começou a escrever no âmbito de uma oficina de escrita criativa, um curso de verão numa universidade local, e nunca mais parou. Rosa Luna publicou dois livros anteriormente, mas apenas este, Só te Amo até Terça-Feira», está traduzido na Europa." retirado do site wook

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Minha Opinião sobre o livro "Encontra-me no Fim do Mundo" de Nicolas Barreau

Encontras-me no Fim do Mundo
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 216
Editor: Quinta Essência
Capa: Neusa Dias / Oficina do Livro,Lda.
ISBN: 9789897260513
Preço:14,40 euros

Sinopse:
"Jean-Luc Champollion é aquilo a que os franceses chamam um homme à femmes. O encantador proprietário de uma galeria bem-sucedida ama a arte e a vida, é muito sensível ao encanto das mulheres, que de bom grado lho retribuem, e vive num dos bairros da moda de Paris, em perfeita harmonia com o seu fiel dálmata Cézanne. Tudo corre bem até que, uma da manhã, Jean-Luc encontra no correio um envelope azul, e a sua vida muda para sempre. A missiva é uma carta de amor, ou melhor, uma das declarações de amor mais apaixonadas que o galerista já viu, mas não vem assinada: a misteriosa autora decidiu esconder-se e convida-o a descobrir quem é. Jean-Luc fica inicialmente confuso, mas decide alinhar. A remetente anónima forneceu-lhe um endereço de e-mail e desafia-o a responder. Mas a tarefa não é fácil. Em breve, Jean-Luc tem apenas um objetivo: descobrir a identidade da caprichosa desconhecida, que parece conhecer muito bem os seus hábitos e gosta de o provocar incessantemente. Assombrado pelas suas palavras, Jean-Luc segue as pistas dispersas na correspondência, cada vez mais incapaz de resistir à mais doce das armadilhas. O objeto da sua paixão existe apenas no papel e na sua imaginação, mas ele sente conhecer melhor esta mulher do que os quadros expostos na sua galeria, mesmo que nunca tenha visto o seu rosto. Ou será que viu?" retirado do site wook

Vídeo promocional do livro:


Minha Opinião:
Este é o primeiro livro que leio de Nicolas Barreau, apesar de ter em casa o outro livro tão falado:"O Sorriso das Mulheres". Devo dizer que comecei por ler este primeiro porque gostei muito do título e da sinopse, não que não tenha gostado da sinopse do primeiro livro que ele escreveu, mas tem dias e calhou de pegar neste.
O mistério das cartas anónimas foi logo o primeiro ponto que me prendeu quando li a sinopse e quando comecei a ler o livro achei muita piada pois Jean-Luc na sua adolescência tem um grande desastre na tentativa de escrever uma carta romântica, dado ter revelado não ter jeitinho nenhum para a "coisa", diga-mos assim. 
Outra coisa que me cativou bastante foi o desenrolar rápido da adolescência para a fase adulta, em que nos deparamos com uma personagem mas segura e sem grandes receios perante a vida. Jean-Luc é um homem com a vida profissional muito preenchida, a sua vida social também e é considerado um homem com muitas mulheres, ou um homem desejado por muitas mulheres e muito solícito para com elas.
Isto até ao dia em que recebe a primeira carta anónima da Principesca que conseguiu dar como se costuma dizer "a volta ao miolo" do nosso Jean-Luc. Após essa carta seguem-se uma troca de cartas por e-mail, cartas românticas e algumas mais ousadas. 
Ao fim de muita correspondência trocada o final foi a meu ver inesperado, contava com todas menos com aquela pessoa...
O livro tem partes um pouco massudas, a meu ver podia ser mais activo, mais dinâmico tal como nas últimas vinte páginas.
Gostei, recomendo a sua leitura, tem partes cómicas e engraçadas.
Boas leituras! 

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

O escritor _ Nicolas Barreau _

"Nicolas Barreau nasceu em 1980 em Paris, filho de mãe alemã e de pai francês, estudou Literaturas Românicas e História na Sorbonne.
Durante algum tempo trabalhou numa livraria da Rive Gauche em Paris, até que finalmente se dedicou à escrita. 
Gosta de restaurantes e de culinária, acredita no destino, é muito tímido e reservado e não gosta de aparecer em público.
Os seus três romances, publicados originalmente por uma pequena editora alemã, alcançaram um enorme êxito, em especial O Sorriso das Mulheres, que se tornou um fenómeno editorial na Alemanha, em Itália e em Espanha." retirado da contracapa do livro

domingo, 11 de janeiro de 2015

Minha opinião sobre o livro "Se eu Ficar" de Gayle Forman

Se Eu Ficar
de Gayle Forman; Tradução: Rita Graña
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 216
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722353939
Preço: 13,95 euros

Sinopse:
"Naquela manhã de fevereiro, quando Mia, uma jovem de dezassete anos, acorda, as suas preocupações giram à volta de decisões normais para uma rapariga da sua idade: permanecer junto da família, do namorado e dos amigos ou deixar tudo e ir para Nova Iorque para se dedicar à sua verdadeira paixão, a música. É então que ela e a família resolvem ir dar um passeio de carro e, numa questão de segundos, um grave acidente rouba-lhe todas as escolhas. Nas vinte e quatro horas que se seguem e que talvez sejam as suas últimas, Mia relembra a sua vida, pesa o que é verdadeiramente importante e, confrontada com o que faz com que valha mesmo a pena viver, tem de tomar a decisão mais difícil de todas." retirado do site wook

Adaptação à sétima arte:



Minha opinião:

Este é o primeiro livro que leio desta escritora e certamente não será o último, pois já tenho cá em casa "Espera por mim" que é uma sequência deste. Gostei muito do livro, achei que está muito bem abordado o tema da morte e do coma, mas agora vou falar um pouco do livro.
Mia é uma adolescente feliz que vive num ambiente familiar feliz e tem um namorado que adora e a adora a ela também. É doida por música clássica e toca violoncelo, tendo como objectivo ir para uma das faculdades mais conceituadas na área.
Ou seja, pode-se dizer que Mia tem tudo para ser feliz até que numa manhã de Fevereiro, num passeio de carro com os pais e o seu irmão mais novo, têm um acidente e só ela sobrevive.
Após o acidente Mia entra em coma e vai para o hospital. E quando a sua "alma" sai do seu corpo vamos acompanhar as 24 horas de Mia após o acidente onde ela vai reflectir sobre o que é realmente importante.O livro retrata estas 24 horas que decorrem após o acidente e onde ficamos a conhecer Mia e todas as pessoas que fazem parte da sua vida. Durante 24 horas, Mia vai recordar vários episódios da sua vida e assim vamos ficando a saber mais sobre ela: a sua relação com os pais e irmão e restante família, a relação com os amigos, namorado e com  música a sua grande paixão. Mas também vamos viver o impacto de Mia quando ela se depara com o pai e a mãe mortos no local do acidente e pensa que seu irmãozinho mais novo sobreviveu mas ficou noutro hospital.
Mia tem uma longa batalha pela frente, ou continua a sua luta pela vida ou deixa de lutar e junta-se aos seus que já partiram.
Ao longo do livro são dados a conhecer ao leitor factos da vida de Mia tanto a nível familiar, conhecemos a sua grande amizade por Kim e o seu grande amor por Adam. Este é um livro fabuloso que não deve perder a sua leitura, para mim foi uma lição de vida, na medida em que me alertou a dar mais valor a cada minuto, a cada segundo em que estamos vivos.
Um livro brilhante, carregado de uma forte carga emocional principalmente, na parte em que o leitor espera ansiosamente qual vai ser a decisão de Mia, que aconselho vivamente a sua leitura.
Certamente vai ser um dos livros do ano. 

A escritora Gayle Forman

"Gayle Forman iniciou a sua carreira escrevendo para a revista Seventeen , em que a maioria de seus artigos tinham em foco os jovens e as suas preocupações sociais. Mais tarde, ela  tornou-se uma jornalista freelance para publicações como Details Magazine , Revista Jane , Glamour Magazine , The Nation , revista Elle e Cosmopolitan Magazine . Em 2002, ela e seu marido Nick fizeram uma viagem ao redor do mundo. A partir de suas viagens, ela acumulou uma riqueza de experiências e informações que mais tarde serviu como base para o seu primeiro livro um livro de viagens Você não pode chegar lá a partir daqui: A Year à margem da Um mundo cada vez menor. Em 2007, ela publicou seu primeiro romance adulto jovem Irmãs em Sanity que ela teve por base um artigo que tinha escrito para a Seventeen.
Em 2009, Forman lançado If I Stay , sobre uma rapariga de 17 anos chamada Mia que esteve envolvido em um trágico acidente de carro. O romance segue a experiência de Mia enquanto ela está em coma plenamente consciente do que está acontecendo ao seu redor e o que  todos os seus visitantes dizem e fazem. Sentindo a agonia da perda das pessoas mais próximas a ela ainda consciente do amor abundante daqueles que permanecem, ela deve fazer a escolha para pendurar ou deixar ir. Forman venceu o NAIBA Book of the Year Awards 2009 e 2010 é um vencedor Indie Choice Award Honor para If I Stay. A adaptação para o cinema de "If I Stay", estrelado por Chloë Grace Moretz , foi lançado nos Estados Unidos em 22 de agosto de 2014. A sequela de "If I Stay", intitulado "Espera por mim", foi lançado em 2011. Contada do ponto de vista de Adam, o romance é sobre o relacionamento de Adão e Mia após o acidente.
Em janeiro de 2013, Forman lançou "Just One Day". O romance segue Allyson Healey, que, no último dia de uma turnê européia pós-graduação, conhece um ator vagabundo holandês chamado Willem. Em um incaracterístico, spur-of-the decisão de momento, Allyson vai para Paris com Willem, o que leva a "um dia de risco e romance, libertação e intimidade.: 24 horas que vai transformar a vida de Allyson" [1] A sequela de " Just One Day ", intitulado" Just One Year ", foi lançado em outubro de 2013. O romance segue o mesmo caminho cronológica como a história de Allyson, mas contada a partir da perspectiva de Willem. A última parcela de Allyson e Willem história, intitulada "Just One Night", é uma novela de 50 páginas que deverá ser lançado em formato ebook em 29 de maio de 2014.
Outros prêmios literários notáveis ​​de Forman incluem o Prêmio britânico Fantasy (2010), um Quick Pick ALA / Yalsa para Reluctant Readers Jovem Adulto (2010), South Carolina Book Award Nomeado Jovem Adulto Book Award (2011), TAYSHAS Segundo Grau Lista de Leitura para (2010 ), Goodreads Choice Award Nomeado para Fiction Jovem Adulto (2009), Milwaukee County adolescente Book Award Nomeado (2010).
Gayle reside em Brooklyn, New York com o marido e duas filhas, uma das quais é adotado. Ao anual Los Angeles Times Festival of Books , Forman participou de painéis de discussão. Ela estava no painel "Young Adult Fiction: Adolescentes e agitação" com Jandy Nelson , Cynthia Kadohata e moderador Sonya Sones . durante o evento de 2010 [2]"  retirado da internet

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Minha opinião sobre o livro "Grita" de Laurie Halse Anderson

Grita
Ela tem um segredo que mais ninguém sabe.
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 176
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892316833
Preço:14,90 euros

Sinopse:

"Desperdicei as últimas semanas de agosto a ver desenhos animados da treta. Não fui ao centro comercial, ao lago, à piscina, nem atendi chamadas. Entrei na escola secundária com o cabelo errado, a roupa errada, o feitio errado. E não tenho ninguém sentado a meu lado." 

Melinda Sordino é a pessoa mais odiada do Liceu de Merryweather. No final do verão chamou a polícia, acabando com uma festa e colocando em sarilhos alguns dos finalistas mais populares da escola. Mas Melinda tem um segredo que guarda bem fundo, dentro de si, e que não pode contar a ninguém. Mas Melinda está a ser corroída pelo que aconteceu, e o mundo de reclusão que construiu para si ameaça ruir a qualquer momento.


Críticas de imprensa
“O realismo duro e pungente do livro e a dura metamorfose que Melinda sofre vão sensibilizar e inspirar os leitores.” 
Publishers Weekly

"O humor sarcástico de Melinda, a sua sinceridade e coragem tornam-na uma personagem memorável, cujo derradeiro triunfo irá inspirar os leitores" BOOKLIST

"O primeiro romance de Laurie Halse Anderson é um tributo ao adolescente marginalizado. O final triunfante, no qual Melinda encontra a sua voz, é motivo de celebração (embora muitos leitores possam verter uma ou duas lágrimas). Depois de ler Grita, será difícil para qualquer adolescente olhar para o bode expiatório da turma sem alguma compaixão e compreensão...pois essa pessoa pode estar a gritar sob o seu silêncio" AMAZON.COM

VENCEDOR DO
MICHAEL PRINZ AWARD
Uma obra-prima vencedora (e finalista) de inúmeros prémios sobre uma jovem que opta por se calar em vez de dizer a verdade. Grita encantou tanto os leitores como os educadores, alunos e professores. Um romance transformador, corajoso, capaz de nos fazer refletir sobre temas fundamentais - porém espinhosos, como o bullying - do quotidiano dos adolescentes. Para ser lido com o coração e, principalmente, relido com a alma. Grita (Speak no original)foi adaptado ao cinema em 2004, tendo como protagonista Kristen Stewart. 

Adaptação à...Sétima arte:


Minha Opinião:
Este é o primeiro livro que li desta escritora e é simplesmente brilhante. Depois de tudo que já escrevi pouco me resta para dizer mas sempre tenho algo a opinar. Como professora que sou este livro mexeu bastante comigo, não que não tenha já convivido com casos de bullying, infelizmente já me deparei com muitos, mas porque este caso retratado neste livro me fez lembrar um muito especial que me passou pelas mãos. E foi precisamente o termo grita que era abafado durante anos por aquele adolescente, viver com a indiferença dos outros, com o desprezo, viver com a violência psicológica e física, quando ainda não se é estruturalmente formado deve ser, e é certamente algo tremendamente destruidor, dilacerante...eu apliquei o termo viver mas não é viver mas sim sobreviver, pois cada dia é uma luta, cada noite uma batalha para estas crianças se prepararem para o que será no dia seguinte. Cabe a toda a comunidade escolar e aos pais estarem alerta para estas situações limites e tremendamente dolorosas.
Leiam este livro, talvez deixem cair algumas lágrimas de revolta de angústia de todos os sentimentos que vos assaltem a alma, mas não deixem de o ler. Vejam o filme deixem que as emoções tomem conta de vocês e transmitam a alguém para ler o livro e ver o filme, façam uma corrente, porque o bullying existe hoje pode ser ele amanhã podes ser tu, hoje pode ser o filho do seu amigo ou talvez já esteja a ser o seu.
Como alguém disse uma vez num programa da televisivo este livro e filme é "UM ABRE OLHOS" e eu acrescento para a sociedade em que vivemos, que pensa que o mal só acontece aos outros e tem o hábito de enfiar a cabeça na areia como a avestruz e fazer de conta que não é nada com eles.

Em relação ao livro só tenho que dar os parabéns à personagem Melinda por ter tido a coragem de ter telefonado quando foi preciso... não vou adiantar mais sobre a história pois acho que muito já foi dito e ao mesmo tempo nada.

Um livro muito bom que recomendo a todos sem excepção.
Boa leitura!