terça-feira, 19 de abril de 2011

"A Praia do Destino" de Anita Shreve

A Praia do Destino
de Anita Shreve
Edição/reimpressão: 2004
Páginas: 416
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789724139463
Sinopse
A arrebatadora história de um amor impossível. Uma meditação sobre o erotismo feminino e os preconceitos sociais. Olympia Biddeford é a filha única de um proeminente casal de óston – uma jovem precoce a quem o pai afastou das instituições académicas com o objectivo de lhe garantir uma educação refinada e pouco convencional. No Verão de 1899, Olympia tem quinze anos e a sua vida está prestes a mudar para sempre. Cheia de ideias e entusiasmada com os primeiros arrebatamentos da maturidade, é admitida no círculo social do pai, que contempla artistas, escritores, advogados e, entre eles, John Haskell, um médico carismático. Entre ambos nasce uma impensável e arrebatadora paixão. Sem ter em conta o sentido das conveniências ou da auto-preservação, Olympia mergulha de cabeça numa relação cujos resultados serão catastróficos - John tem quarenta anos, é casado e pai de quatro filhos… (retirado do site Wook)

Críticas de imprensa
"O talento de Anita Shreve é assombroso; A Praia do Destino é uma obra cheia de força e magnificamente escrita."
Sunday Times
"Um excelente romance sobre os segredos que guardam as pessoas que pensamos conhecer intimamente."
Daily Telegraph
"O livro ideal para ler numa noite de Verão com o som do mar como pano de fundo. Anita Shreve é uma excelente contadora de histórias, tem um assombroso talento para manter o leitor na expectativa até ao fim."
Washington Post
"A Praia do Destino é um livro de leitura compulsiva. Anita Shreve descreve com precisão, intensidade e subtileza a forma como uma rapariga adolescente mergulha numa paixão arrebatadora e condenada."
Boston Globe

Anita Shreve
Natural do Massachusetts, onde ainda hoje reside, Anita Shreve graduou-se na Tufts University, foi professora e acabou por enveredar pelo jornalismo após uma das suas histórias ter ganho o O. Henry Prize, em 1975, escrevendo então artigos para revistas como a Quest, Us e Newsweek. Mais tarde, publicou dois livros de não ficção a partir de artigos publicados na The New York Times Magazine. Em 1989 abandonou o jornalismo e dedicou-se apenas à literatura, alcançando um grande sucesso internacional – as suas obras venderam já mais de 7 milhões de exemplares em todo o mundo. Em 1998, recebeu o PEN/L.L. Winship Award e The New England Book Award para ficção.

Minha Opinião:
Nunca tinha lido nada desta escritora por isso quando iniciei a leitura estava na espectativa do que me aguardava, isto porque, já tinha lido muita "coisa" boa sobre este livro, logo  tinha um certo receio de me desiludir. Mas isso felizmente não aconteceu, antes pelo contrário, esta é uma escritora a seguir...ups ainda bem, pois tenho várias obras de Anita Shreve aqui por casa;)
O modo como é feito o relato da época, século XIX ano de 1899, é maravilhoso e certamente muito bem documentado, quando dei por mim parecia que estava por detrás de uma qualquer porta a ver o desenrolar da história. Claro está que se trata de um romance, mas um romance de época, muito bem estruturado e em que o narrador nos dá uma prespectiva fabulosa dos acontecimentos. Até o modo de vestir das personagens está relatado de uma forma, quase que poderei dizer, apetitosa.
Olympia é uma jovem adulta, ou  melhor escrevendo, uma jovem que se encontra no fase de transição entre adolescente e mulher, com todas as características que daí advêm e com todos os precausos que podem ser acarretados nessa idade.Uma jovem mulher que vai descobrir o mais poderoso e doloroso sentimento- AMOR- nos braços de um homem mais velho, bastante mais velho, casado e pai de quatro filhos. Numa época bem diferente da que a actualmente vivemos, em que as paixões eram vividas de uma forma escondida e muito  arrebatadora. Esta criança mulher vai amar até à exaustão um homem que não lhe é permitido amar e, com ele ela vai  descobrir todos os precalços que um grande amor pode trazer. Após um Verão de paixão vem a fase de "tortura", para além da descoberta deste amor proíbido, o que vai deixar de rastos a família de Olympia e a esposa do amante de Olympia, algo mais dessastroso vai acontecer... Olympia está grávida e afastada do seu amor. Será que o Pai de Olympia vai permitir que a filha fique com este filho? Com base na resposta a esta pergunta vai-se desenrolar uma história fabulosa de luta interior e social, crescimento pessoal e amor...
Com uma escrita muito fluente e atrativa, Anita Shreve, retrata este amor e esta época de uma forma tão única que não me cansarei de referir que me pareceu que estive lá a ver e a tentar mostrar a minha compreensão a cada uma das personagens. Um romance, muito bem escrito, de certo modo simples mas arebatador e muito comovente, que termina do modo que eu menos contava, dada a evolução das personagens ao longo do livro.
Uma leitura que considero obrigatória para quem é fã de romances históricos.
E uma leitora que entrou com este livro para o grupo dos meus escritores favoritos.
Adorei e recomendo vivamente...

Outras obras da escritora:
"Casamento em Dezembro", "Luz na Neve","Tudo o que ele sempre quis" e "Testemunho", tenho-os a todos na minha estante, tendo sido este o primeiro que li desta autora.

Boas leituras;)

5 comentários:

  1. É o melhor dela, sem dúvida..

    ResponderEliminar
  2. Olá Lia
    Gostei muito mesmo;)
    Boas leituras.

    ResponderEliminar
  3. Olá, blog muito interessante, continue. Também foi um dos livros que já li, e gostei. Sem dúvida,que esta história nos envolve, ficamos na expectativa de ver o que acontece e debatemos certas questões. Se quiser passe no meu recente blog lufadadearimpregnada.blogspot.com.

    ResponderEliminar
  4. Obrigada Sahra
    Eu também gostei muito mesmo deste livro.
    Passarei pelo teu blogue;)
    Beijocas e boas leituras.

    ResponderEliminar
  5. Olá,
    Acabei de ler este livro recentemente. Confesso que a decisão de Olympia depois da sentença do tribunal deixou-me perplexa. Muito sinceramente não percebi o que a fez agir assim.
    De resto, adorei o livro. A história em si, a mentalidade e as tradições daquela época e, principalmente, o amor proibido entre os protagonistas.

    ResponderEliminar