segunda-feira, 30 de junho de 2014

Minha opinião sobre o livro _ As Pessoas Felizes Lêem e Bebem Café_ de Agnès Martin-Lugand_

As Pessoas Felizes Lêem e Bebem Café
de Agnés Martin-Lugand
 
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 208
Editor: Editora Guerra & Paz
ISBN: 9789897021077
Coleção: Clube do Livro SIC

Sinopse:
romance que conquistou mais de 150.000 leitores em França.

Depois da morte do marido e da filha num brutal acidente de automóvel, Diane fecha-se em casa durante um ano, imersa em recordações, incapaz de reagir. Mas, quando já nada parece poder mudar, é precisamente uma dessas recordações que a faz escolher Mulranny, uma pequeníssima aldeia na Irlanda, como destino.
Instalada numa casa em frente ao mar, Diane é gentilmente recebida por todos os habitantes - todos menos um. Será Edward, o bruto e antipático vizinho, a resgatar Diane da apatia em que parece estar novamente a mergulhar. Primeiro, pela ira e pelo ódio. Mas depois, contra todas as expectativas, pela atracção. Como enfrentar este turbilhão de sentimentos? O que fazer com eles?

Minha Opinião:contém muitos spoilers

Diana, seu marido Colin e a filha do casal,Clara,viviam felizes e em harmonia que em nada parecia poder ser destruída. Contudo nem tudo na vida segue o caminho que queremos e o destino traçou para Diana uma das maiores partidas, uma das maiores dores que alguém pode ter, a morte de Clara e Colin num acidente de automóvel.
Será que podemos imaginar a dor, o sofrimento e a angústia em que Diana ficou?

É sobre esta perda, que Diana tem que atravessar sozinha, pois a dor que ela sente é só dela e por mais que digam, seja o que for não adianta. Muitos são os que dizem para ela fazer o luto e que a dor acaba por passar com o tempo, que sempre é o melhor remédio, nada disso adianta dizer.

Félix o seu melhor amigo e sócio do café-literário, "As Pessoas" tenta por tudo ajudar a amiga mas não consegue, Diana está só na sua casa em França a fazer o seu luto, mas já passou um ano do acidente e ela esqueceu-se dela e os outros acham que ela é fraca não tem forças para continuar.
Diana decide abandonar França e isolar-se numa aldeia irlandesa de nome Mulranny, para poder sofrer a sua dor sem ter ninguém a puxar por ela, para a vida, porque ela não queria viver queria sim ter morrido com Colin e Clara.

Diana adorou a pequena aldeia irlandesa, principalmente porque ninguém sabia nada sobre ela, as pessoas eram simpáticas e afáveis, excepto o seu vizinho Edward, que era antipático, bruto.

E nada mais vou dizer, a não ser para lerem o livro tem um final que me apanhou de surpresa, leiam não se vão arrepender.

Boas leituras! 

Sem comentários:

Enviar um comentário