sexta-feira, 9 de julho de 2010

Veronika Decide Morrer

                                                       «No dia 11 de Novembro de 1997, Veronika decidiu que havia - afinal! - chegado o momento de se matar.» É assim que começa o romance de Paulo Coelho. Veronika é uma jovem eslovena que decide suicidar-se, cansada que está da vida que leva. Salva no último instante, dá entrada num hospital psiquiátrico. Aí conhece Zedka, internada por depressão, transformada à custa do tratamento numa "mulher louca" e feliz; Mari, advogada que integra o grupo A Fraternidade, organizador de palestras sobre a meditação sufi, e parte para a Bósnia em missão humanitária em busca de aventura; Eduard, um jovem belo e rico que se faz passar por esquizofrénico; e o Dr. Igor, o psiquiatra do hospital. O autor, que esteve em Portugal para o lançamento do livro, revelou ele próprio ter estado internado num hospital psiquiátrico, experiência que lhe valeu para a escrita desta obra sobre a loucura. E também sobre o amor e a sabedoria, as relações com os outros, atravessada pelo esoterismo.
O escritor de língua portuguesa mais vendido no mundo, traduzido em 80 línguas e publicado em mais de 100 países.
O livro foi adaptado ao cinema e depois de lerem o livro aconselho a verem o filme...http://www.youtube.com/watch?v=VkEITSgsqgk

Minha Opnião:

Este foi o livro que mais me marcou do escritor Paulo Coelho, um livro que me costou muito a passar as primeiras páginas devido ao relato feito do suicidio da Verónika, mas atravessadas essas páginas deparamo-nos num mundo diferente, o interior de um hospital psiquiatrico. Aqui vamos encontrar diferentes personagens que nos levam a interrogar até que ponto têm que estar a viver num hospital psiquiatrico.
Mas a bomba rebenta quando Veronika, que tenta o suicidio mas não o consegue de imediato, devido ao elevado consumo de drogas para o efeito, fica a saber que não tem mais que uns dias de vida.
Então chegou a hora de Veronika fazer um balanço da sua vida, e agora Veronika que se tinha tentado suicidar será que quer mesmo morrer?
Este livro encaminhou-me pelas ruelas da importância da valorização das pequenas coisas do dia-a-dia, os cheiros, os amigos, os sabores, as cores...
E que por vezes nos fechamos na nossa concha e só conseguimos ver o nosso mundo esquecendo que infelizmente existem pessoas com muitos problemas, e continuam a viver cada um dos dias com um sorriso nos lábios.
Definitivamente ler Paulo Coelho não se escolhe a hora nem o momento mas sim quando sentimos que é a hora de ler Paulo Coelho.

1 comentário:

  1. Também gostei muito deste livro, para mim dos melhores de Paulo Coelho.
    Adorei "nas margens do Rio Piedra me sentei e chorei". E anos mais tarde quando fui a Lourdes lembrei-me imenso deste livro.
    Bjs
    Dulce

    ResponderEliminar