quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

"Cão como nós" de Manuel Alegre


Título original: "Cão Como Nós"
Edição/reimpressão: 2002
Páginas: 120
Editor: Dom Quixote
ISBN: 9789722023016

Sinopse:

"É um épagneul-breton a personagem principal do novo livro de Manuel Alegre. Com "manchas castanhas e uma espécie de estrela branca no meio da cabeça". Cão... como nós. Como nós, porque sabe da amizade (o cão é o melhor amigo do homem), da solidariedade, protege a criança, consola o dono, pressente a desgraça, 'chora' a morte. Mas também é altivo e irrequieto. Às vezes desobediente e exibicionista. Chama-se Kurika, e acompanhou o escritor e a sua família ao longo de anos. Aliás, ele 'é' parte da família, diz Manuel Alegre. Um livro alegre e comovente." 

Críticas:
"...sendo sobre um cão, o livro é sobre os homens. Certos homens com um certo tipo de valores só aparentemente contraditórios: a liberdade e a fidelidade, a solidariedade, a independência, a altivez.
"(...) um belíssimo poema de amor de um homem a um cão. Como nós.
"(...) Por isso (a minha cadela, a gata) me tocou tanto este livro. E tenho a certeza que a tantos outros leitores, novos e velhos, pobres, ricos, remediados. Cada um a ver no Kuirika dos Alegre o seu Leão, o seu Tejo, o seu Farrusco, o seu Saikó, o seu Jimmy, a sua Mimi, a sua Ró-ró."
Adelino Gomes, Publico, Mil Folhas 

"Na prosa desta pessoalíssima novela em forma de pequenas reflexões, Alegre consegue um equilíbrio perfeito entre um registo poético e humorístico. (...) Uma obra para ser lida por quem sabe de experiência própria. E porventura também pelos outros, já que não raras vezes... este cão fala por nós." 
S.B.L., Visão

Minha Opinião:(releitura)
ADOREI...FANTÁSTICO...COMOVENTE...REAL.
Não foi a primeira vez que li este livro, por isso é uma releitura, e provavelmente ainda irei pegar neste livro outra vez. Porquê? São vários os motivos, não os vou explanar aqui todos, mas um dos motivos é que eu adoro animais então cães, são a minha paixão e rafeiros de preferência, são mais fieis e menos caprichosos, sabem desenrascar-se com mais facilidade ( esta é só a minha opinião ). 
Este foi o único livro que li deste escritor, é de leitura leve, com capítulos curtos e intensos. Ao longo do livro recordei muitas vezes o meu Pai, era caçador tal como o Pai do narrador, mas não dizia "um cão é um cão, nada mais do que isso", quer dizer eu não me recordo de ele dizer isso. Recordo que ele tinha um grande amor pelos seus cães fossem de caça ou não. Posso até dizer que no fundo eles eram os melhores amigos do meu pai, acredito que ele devia falar com eles o que não podia ou não devia falar com mais ninguém. Talvez, seja por esta relação estreita entre este livro e as lembranças do meu Pai, que eu releiu este livro.
Aconselho vivamente a sua leitura, acreditem que vão gostar, principalmente os apaixonados por cães.

Classificação: 6_Excelente 
Boas leituras!

Sem comentários:

Enviar um comentário