quarta-feira, 5 de julho de 2017

Opinião - "Crime na Universidade" do escritor Pedro Macedo

Sinopse:
"Quando Edward e a sua equipa do FBI, são chamados à Universidade para resolver um homicídio, nada fazia prever a sucessão de acontecimentos que viriam a acontecer. Com a ajuda de uma bela e sensual jornalista, os agentes precipitam-se numa vertiginosa luta contra o tempo, onde ninguém parece dizer a verdade e todos têm algo a perder." retirado da contracapa do livro

Autor_Pedro Macedo_:
"Pedro Miguel Moura Macedo, nascido em Mirandela em 13 de Setembro de 1979, iniciou os seus estudos musicais na Escola Profissional de Arte de Mirandela em 1991. Concluiu os seus estudos na Escola Profissional de Arte de Mirandela em 1998 e ingressou na Academia Nacional Superior de Orquestra. Em 2001 ingressou no Instituto Politécnico de Bragança, tendo concluído a Licenciatura em Educação Musical em 2006. Desde 2009, é professor de Violino no Conservatório de Música e Dança de Bragança." retirado da aba do livro

O autor Pedro Macedo já conta, para além deste livro, com mais dois livros, todos eles lançados pela Chiado Editora. Sendo eles os seguintes:
Lançado em Dezembro de 2013
8 meses após o lançamento do livro "Crime na Universidade"
Lançado em Dezembro de 2015

Opinião:
Começo a minha opinião, talvez não da melhor forma, mas com algo que me fez e continua a fazer uma imensa confusão. A Chiado Editora, pela qual eu tenho um enorme carinho e apreso, dado o seu interesse pelos escritores nacionais e não só, aposta e muito bem no lançamento de novos escritores. Contudo, sempre que leio algum livro desta editora, já sei que tenho que fechar os olhos aos erros ortográficos, má construção frásica e falta de pontuação. Acho que seria muito bom, que os escritores que se lançam nesta editora, sabendo à posteriori que não existe revisor literário, tivessem mais cuidado ao fazerem eles próprios a revisão do livro.
Dito isto, saliento que se fosse ter em consideração todos os fatores supracitados, a classificação seria má. Contudo, quando parto para a leitura de algum livro desta editora, já sei o que me espera, assim sendo limito-me a avaliar (por mais que me custe) somente o enredo do livro, assim foi o que fiz ao longo da leitura do livro de Pedro Macedo.

Gostei do enredo e da forma como os acontecimentos foram sucedendo. O livro prendeu-me logo no inicio, sendo que no primeiro capítulo o Agente do FIB, Edward depara-se com um caso insólito. Uma jovem de 17 anos aparece morta no seu quarto, numa residência universitária feminina. Os contornos do crime são no mínimo macabros, a jovem está deitada na sua cama, ao que parece foi asfixiada, está seminua com as mãos e pés atados com marcas em forma de cruz no peito, sem o coração e com o número um desenhado na perna direita. Mas o caso não fica por aqui mais tarde são encontradas na mesma residência mais duas raparigas assassinadas, apresentando o mesmo padrão do primeiro homicídio, só muda uma coisa, o número...uma tem o número sete e a outra tem o que parece ser um zero ou quem sabe um ponto final. Mais tarde surge uma quarta vítima, esta ao contrário das anteriores, foi encontrada numa sala de aula da Universidade e com o número oito, a esta vítima não foi retirado o coração. No quadro da mesma sala, onde foi encontrada a quarta vítima, estava escrita a palavra FIM.
Este livro contem a meu ver tudo para ser perfeito, é um livro de suspense com um serial killer que tem contornos, como já referi, macabros e que não deixava qualquer tipo de pistas, dado que não abusava sexualmente das vítimas e em principio usava luvas.
Até o aparecimento da jornalista Cameron, uma excelente profissional, que rapidamente é colocada a trabalhar com o detetive Edward, para auxiliar a ver pormenores que por vezes podem passar despercebidos aos agentes. Até este facto, está brilhante, sabemos que mesmo na vida real temos repórteres a auxiliar em muitos casos de policia.
Devo referir que até às últimas páginas do livro, em que finalmente é revelada a identidade do serial killer, nunca suspeitei quem seria na realidade, facto que foi muito bom, pois prendeu-me muito ao desenrolar dos acontecimentos e me levou a questionar várias vezes quem seria capaz de cometer tais atrocidades. Confesso que em certas alturas, estava tão revoltada como os próprios agentes do FBI devido à falta de provas.
Acho que já contei algumas coisitas a mais, mas foi no sentido de perceberem que temos aqui um excelente livro, um policial muito bem concebido história, com principio, meio e fim.
Gostei muito do livro, convém referir que foi lido para o Desafio 1: Ler um livro cuja a ação seja à volta de um serial killer da Maratona DARK-A-THON

Classificação de 5***** estrelas no Goodreads, mas tendo em conta tudo o que foi mencionado no inicio da minha opinião, vou atribuir aqui no blogue 4,5 estrelas.


Muito obrigada à Chiado Editora pela oferta deste livro, que mais uma vez me proporcionou uma leitura agradável apesar de todos os sês.
Excelentes leituras para todos;)

Sem comentários:

Enviar um comentário