quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Susanna Tamaro


"Escritora italiana, Susanna Tamaro nasceu a 12 de dezembro de 1957, na cidade de Trieste, no Nordeste do país. Oriunda de uma família aparentada com o célebre escritor Italo Svevo, foi posta aos cuidados dos avós maternos, já que os pais de Susanna se divorciaram logo a seguir ao seu nascimento. Cresceu escutando as histórias que o avô lhe contava sobre as duas terríveis guerras mundiais que devastaram a região. 
Em 1963 deu início aos seus estudos primários na escola local, dividida em duas secções, uma masculina e a outra feminina. 
Terminando o ensino secundário em Trieste, recebeu, em 1976 uma bolsa de estudos para frequentar o Centro Experimental de Cinematografia de Roma, para onde se transferiu. Aí veio a apresentar, como tese de licenciatura e em coautoria com dois outros estudantes, uma curta-metragem de animação, com o títuloL'Origine del Giorno e della Notte
Em 1977 começou a colaborar com o realizador Salvatore Samperi, tornando-se eventualmente sua assistente em 1979. Passou depois a rodar documentários para a televisão. Seguiu-se um período de trabalhos precários, durante o qual colaborou esporadicamente para o departamento de programação da cadeia de televisão RAI. 
Susanna Tamaro havia começado a escrever em 1978 e, em 1981, completou o seu primeiro livro, Illmitz, que não conseguiu publicar. Não obstante, acabou por publicar o seu primeiro trabalho em 1989, La Testa Fra Le Nuvole (Com a Cabeça nas Nuvens), romance que venceu o Prémio Elsa Morante. Seguiu-se Per Voce Sola (1991, Para Uma Voz Só), obra que não passou despercebida ao famoso realizador italiano Federico Fellini, que dela disse: "Só Dickens me conseguiu comover tanto". Foi galardoada com o Prémio do Pen Club no mesmo ano. 
Em 1992 apareceu o seu primeiro livro para crianças, Cuore Di Ciccia e, em 1994 publicou aquele que foi considerado o livro italiano de maior sucesso no século XX, Va' Dove Ti Porta Il Cuore (Vai Aonde Te Leva o Coração), romance de justiça e perdão, em que o ódio e a intolerância se desvanecem com a reconciliação. Escrita sob a forma de cartas enviadas por uma avó moribunda à sua neta que vive nos Estados Unidos da América, e que tenta convencer a refletir sobre o passado, a obra foi galardoada com o Prémio Donna Cittá di Roma. 
Em 1997 publicou Anima Mundi (A Alma do Mundo), um romance de compaixão e comoção, e Cara Mathilda(Querida Mathilda), recolha de correspondência e reflexões diversas, e que haviam aparecido anteriormente no periódico Famiglia Cristiana. Entre outras obras, publicou também Respondimi (2001, Responde-me) ePiù Fuoco, Più Vento (2002, O Fogo e o Vento)." (retirado na integra da Infopédia)
Boas leituras!

Sem comentários:

Enviar um comentário