sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Minha opinião sobre o livro "A História da Minha Máquina de Escrever" do escritor Paul Auster

A História da Minha Máquina de Escrever

de Paul Auster
Ilustrações de Sam Messer
Edição/reimpressão:2006
Páginas: 68
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789724147345
Preço:4,90 euros
Comecei a ler:15-01-2016
Terminei de ler: 15-01-2016
Sinopse:
"A História da Minha Máquina de Escrever é um tributo à relação - intensa e muitas vezes determinante - entre um escritor e a sua máquina de escrever. Ao longo de 30 anos, a velha máquina Olympia de Paul Auster foi a corrente de transmissão dos romances, contos e textos de um dos mais emblemáticos escritores norte-americanos. 
Paralelamente, os vigorosos e obsessivos desenhos e pinturas que Sam Messer dedica ao autor e à sua máquina de escrever conseguiram, como escreve Paul Auster, «converter um objecto inanimado num ser com personalidade, com uma presença no mundo»."
retirado do site wook
Críticas de imprensa:
"Uma extravagância deliciosa."
The New York Times
"Um estranho e cativante livro de arte."
Publishers Weekly
"A paixão conduziu a um livro encantador e original."
Vogue
O escritor Paul Auster:
"Autor de culto, nome cimeiro da actual literatura norte-americana, Paul Auster nasceu em Newark em 1947. 
Escritor de romances sobre almas solitárias, o seu nome é familiar aos devotos da literatura de ficção. A sua obra caracteriza-se por histórias fortes e prosa limpa. O confronto entre o Indivíduo e o vazio, o poder da contingência, a natureza da solidão e memória, são alguns dos temas abordados nos seus romances. Nos seus romances, a narração é geralmente levada a cabo por personagens cuja perturbação vai aumentando à medida que a acção se desenvolve. Realismo, fantasia, acaso e potencialidades realizadas e irrealizáveis vão-se fundindo de forma indestrinçável. 
Paul Auster também se dedicou ao cinema e em 1998 realizou o seu primeiro filme a solo Lulu on the Bridge, com argumento seu. Actualmente (Junho de 2006) encontra-se em Portugal a rodar um novo filme, "The Inner Life of Martin Frost", produzido por Paulo Branco. Paralelamente à carreira de escritor, entre 1986 e 1990 ensinou escrita criativa na Universidade de Princetown, em Nova Iorque. 
Em 1993 Paul Auster foi nomeado em França Cavaleiro da Ordem das Artes e das Letras e nesse mesmo ano ganhou o Prémio Médicis para Literatura Estrangeira.
Em 2006 foi-lhe atribuído o Prémio Príncipe de Astúrias das Letras. 
As Loucuras de Brooklyn, editado pelas Edições ASA, é o seu último romance."
retirado do site wook
Minha opinião:
Este livro fala-nos da máquina de escrever que acompanhou Paul Auster durante 30 anos, a máquina tem o nome de Olympia. Para o escritor já era mais que uma simples máquina era uma companheira de viagens escritas e de viagem.
O que mais me fascinou neste livro é o carinho com que Paul trata a sua Olympia, o modo diferente com que o escritor escreve sobre um objecto, que deixa de ser, pois já tem alma e faz parte integrante da vida do escritor.
Um dos maiores fascínios deste livro são as excelentes ilustrações de Sam Messer, são excelentes, transmitem sentimento puro, a mim como leitora, mesmo sem conhecer a máquina Olympia através das ilustrações foi como se a conhecesse.
Recomendo vivamente a leitura deste livro.
Classificação de 4**** no Goodreads.
Excelentes leituras!

2 comentários:

  1. Olá Carla
    Quero muito ler algo deste autor e este parece ser uma boa opção :)
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sara,
      Eu quero ler A trilogia em Nova Iorque, já tenho faz tempo cá na estante e é considerado o melhor dele.
      Beijinhos e boas leituras.

      Eliminar