sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Opinião | "Os Bridgerton: Felizes Para Sempre" de Julia Quinn

Sinopse:
ERA UMA VEZ UMA FAMÍLIA MUITO ESPECIAL…
Sob a batuta de uma matriarca formidável, os Bridgerton são mais do que uma família, eles são uma força da natureza. Ao longo de oito romances, leitores de todo o mundo riram à gargalhada, emocionaram-se, choraram e apaixonaram-se por estes oito irmãos, pelos seus tios e tias, sogras, sobrinhos e amigos (sem esquecer o cão obeso). De tal forma que, no final, todos os leitores ansiaram por mais.

E perguntaram à autora…
E agora? O que acontece a seguir? O Simon lê as cartas do pai? A Francesca e o Michael têm filhos? Quem consegue a desforra no jogo de palamalho?
Será que o "Fim" tem mesmo de ser o fim?
Também Julia Quinn ansiava responder a estas e outras questões. Por isso, decidiu continuar. Tudo o que ficou por contar é agora revelado em Os Bridgerton: Felizes Para Sempre… até mesmo a história secreta por detrás do amor perfeito de Violet Bridgerton.
Até sempre, Bridgertons! 

Opinião:
Confesso que no inicio, quando lançaram este livro não percebi muito bem a lógica. No entanto, após a sua leitura, fiquei ainda mais fã de Julia Quinn. Este é um livro que nos conta o que acontece aos personagens dos outros livros, após termos terminado de os ler.
Quando termino um livro cujas personagens eu gostei muito, como foi o caso desta família, fico sempre a pensar se o livro continuasse o que aconteceria...
Este último livro da série Bridgertons vem contar tudo sobre o que acontece depois de terminar os livros.
Adorei a leitura, foi muito reconfortante e amei esta série.

Esta leitura foi feita para _ Maratona Final do Ano_ no tópico Aquele que te apetecer ler_.

Classificação de 4**** no Goodreads.

Excelentes leituras!

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Opinião | "A Caminho do Altar" de Julia Quinn

Sinopse:
Gregory Bridgerton procura a sua alma gémea. Acredita fervorosamente no amor verdadeiro, por isso não tem dúvidas de que saberá reconhecer a mulher da sua vida com facilidade. E, de facto, ao conhecer Hermione Watson, o jovem fica rendido.
Mas, oh... que tragédia!, a estonteante Hermione está apaixonada por outro. É aí que entra Lucy Abernathy, a melhor amiga dela, sempre disposta a ajudar. Mesmo quando percebe que ela própria sucumbiu ao incurável romantismo de Gregory.
Infelizmente, existe um outro “mas”... Pois Lucy está noiva, e tenciona colocar a honra acima dos seus sentimentos. Quanto a Gregory, no momento em que finalmente compreende que os desígnios do coração são mais intrincados do que pensava, já a sua amada vai a caminho do altar. Será que é demasiado tarde?
A Caminho do Altar é o oitavo volume da deliciosa série protagonizada pela família Bridgerton.

Opinião:

Mais um livro de Julia Quinn, da série Bridgerton, que não me desilude.
Neste penúltimo livro, temos o irmão mais novo, Gregory em busca de um amor.

Este livro tem algo de fascinante, pois começa pelo fim, isto é, no início temos Gregory a interromper um casamento, a pedir à noiva para ela não se casar. Durante o livro, pelo menos mais de metade, fiquei sem saber qual seria a sua apaixonada. Após saber qual seria, fiquei sem saber se o nosso herói iria conseguir que o amor da sua vida não se casa-se.
A nossa protagonista feminina é a Lucy que confesso ter gostado desde o início, ela é dona de um humor de certa forma sarcástico, gostei muito dela. Adorei quando ela referia que estava virtualmente comprometida e quando ela vai conhecer o seu noivo, que não é muito adepto de mulheres...

Mais um livro que aconselho para quem gosta de romances de época.

Esta leitura foi realizada para a Maratona Final do Ano, no tópico _ Encalhado na estante há mais de um ano _ .

Classificação de  4 **** no Goodreads.

Excelentes leituras;)

domingo, 10 de novembro de 2019

Opinião | "O Ar que ele Respira" de Brittainy C. Cherry



Sinopse:
"Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim."

Opinião:
Este foi o primeiro livro que li desta autora, contudo confesso que quero ler mais, muito mais, mesmo!

"O Ar que ele respira" é acima de tudo uma história de superação após o luto. Ao longo deste livro fui surpreendida por lindas frases que me fizeram refletir sobre a importância das pessoas na minha vida e o medo que tenho de as perder.

Tristan, ou Pluto perdeu a mulher e o filho, num acidente de automóvel, em que a sua mãe ia a conduzir e foi a única sobrevivente.

Elizabeth e Emma, perderam respetivamente o marido e o pai, num acidente de automóvel.

Estas três pessoas tiveram de superar a perda. 

Tristan é o novo vizinho de Elizabeth, claro que já se está a adivinhar o que vai acontecer, mas a forma como acontece é que tornou esta leitura maravilhosa. 

Aconselho vivamente a leitura deste livro.

Esta leitura foi realizada para a Maratona Final do Ano, no tópico _ Mais recente na tua  estante _.

Classificação de 5***** no Goodreads.

Excelentes leituras.

sábado, 9 de novembro de 2019

Opinião | "Aquele Beijo" de Julia Quinn


Sinopse:
"Gareth St.Clair vive momentos difíceis. Após a morte do irmão, passa a ser o único herdeiro da fortuna do pai. Infelizmente, o ódio deste por Gareth é tanto que prefere desbaratar o seu património a vê-lo nas mãos do filho. Resta-lhe como legado um velho diário, escrito pela avó paterna, que poderá conter os segredos do seu passado e a chave para o seu futuro. O único problema é que… o diário foi escrito em italiano, uma língua que o jovem não domina de todo.
Por um golpe de sorte, Gareth conhece Hyacinth Bridgerton, a mais jovem menina do conhecido clã, que nunca recusa um desafio, embora o seu italiano deixe muito a desejar. Além disso, Gareth intriga-a, pois parece estar sempre a rir-se dela.
Juntos, embrenham-se nas páginas do velho diário, mas aquilo que vão descobrir transcende as palavras escritas em papel, e manifesta-se sob a forma de um simples - mas inesquecível - beijo…"

Opinião:

Este é oitavo livro da série Bridgertons da escritora Julia Quinn. Confesso que estou a amar esta série, mais concretamente, a família Bridgertons, e obviamente a escritora Julia Quinn.

Neste oitavo livro a personagem principal é a mais inteligente, astuta  e a filha mais nova da família Bridgertons, a querida Hyacinth. Como é norma nesta série e em todos os bons romances de época é que este livro está carregado de romance.

A filha mais nova desta família é uma pessoa teimosa, não no mau sentido, claro... mas é uma menina que já está na sua terceira época e ainda só teve seis pretendentes na totalidade das épocas. Não por não interessante, mas ela era muito impetuosa, sabia, por ser mais nova, o que responder aos cavalheiros e isso intrigava-os, deixando-os na dúvida se queriam uma esposa tão respondona.

O seu par romântico é Gareth St. Clair, um belo homem que tem uma grande desavença com o pai , carregando com ele um segredo que tem medo que seja revelado.
Gareth é uma personagem forte, cheia de vida e interessante. 

Como seria de esperar, Hyacinth mostrou ser uma mulher de força, que sabe o que quer e como quer,  certa altura ela começa a sentir "coisas" estranhas em relação a Gareth neto, de Lady Danbury. Sendo ambos portadores de fortes personalidades era de esperar que se confrontassem, mas acabaram por em pouco tempo sentir que eram feitos um para o outro.
Gostei muito das terças-feiras em que Hyacinth ia a casa da Lady Danbury ler um capítulo do livro (romance de época, foi o que me pareceu), gostei muito dos diálogos e desavenças entre as duas, pois são muito parecidas.

Gostei muito deste livro, li em dois dias, confesso que foi uma leitura deliciosa.

Esta leitura foi realizada para a Maratona Final do ano no tópico _ Comprado numa promoção_.

Classificação de 5***** no Goodreads.

Excelentes leituras!

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Opinião | "A Dama mais desejada" de Julia Quinn, Eloisa James, Connie Brockway


Sinopse:
PRIMEIRO VOLUME DA DUOLOGIA "A DAMA MAIS..."
"Três das estrelas mais brilhantes dos romances de época convidam você para uma festa na casa de campo do ilustríssimo marquês de Finchley.

Hugh Dunne, o irresistível conde de Briarly, precisa de uma esposa. Para ajudá-lo, sua irmã convida as mais elegantes damas da sociedade, assim como alguns cavalheiros, para uma festa em sua propriedade.

A reunião inclui a incrivelmente bela (e dolorosamente tímida) Gwendolyn Passmore, a sincera e adorável Katherine Peyton e a viúva lady Georgina Sorrell, além de alguns condes e até um arrojado herói de guerra.

Durante o evento, que promete ser o grande acontecimento da temporada, Hugh terá tempo suficiente para eleger a dama que mais deseja. A não ser que outro cavalheiro seja mais rápido.
Nesse caso, quem sabe ele acabe cortejando uma moça que definitivamente não está no mercado casamenteiro, e que vai exigir uma boa dose de perseverança."

Opinião:

Gostei muito desta leitura, acho que estou a ficar fã de romance de época, ou melhor dizendo, voltar a ficar fã ;)
Mas após a leitura do livro "O Homem dos Sussurros" de Alex North, soube muito bem fazer esta leitura. 
Fiquei apaixonada pela escrita destas três escritoras, pois este romance foi escrito a três mãos. Apesar de só conhecer a escrita de Julia Quinn (da série Bridgertons), dado que nunca li nada das outras escritoras, mesmo assim achei o livro muito engraçado, ri muito, confesso que li mesmo na altura certa. Outro facto que demonstra como gostei do livro é o facto de o ter começado a ler às 15horas de hoje e ter terminado à menos de 30 minutos, com as paragens necessárias, obviamente.

Este livro retrata o  Conde de Briarly que é um cavalheiro muito cobiçado, sendo o seu único problema o de arranjar uma noiva... Mas este não é o seu único problema, pois Conde de Briarly, mais conhecido por Hugh, é completamente fanático pelos seus cavalos. O motivo de ele querer casar está relacionado com o facto de ele querer um herdeiro e já ter 30 anos.
Assim sendo, Hugh pede ajuda à sua irmã para fazer uma lista das jovens mais cobiçadas da temporada, assim como, organizar uma festa de vários dias na residência, onde estarão as damas mais desejadas da região. 
Na lista realizada pela irmã estão:
Gwendolyn, Katherine e a viúva Kady Georgin, que a princípio são as favoritas para ocuparem o coração do conde de Briarly.
Mas é de salientar que também foram convidados outros cavalheiros para estarem presentes. A presença de outros senhores, fez com que eventualmente as primeiras escolhas de Hugh talvez lhe escapassem pelos dedos.

Ao longo deste livro, vamos ter não só um pedido de casamento, como era previsível mas três pedidos de casamento.

Não vou contar mais sobre o enredo pois não quero fazer spoilers.

Só um aspecto, quando eu verifiquei que existiam três histórias de amor, percebi e espero que bem, cada história deve ter sido escrita por uma das três escritoras. No fundo faz uma certa lógica, acho eu.

Aconselho vivamente a leitura desde romance de época.

Classificação de 4**** no Goodreads.

Esta leitura foi realizada para a Maratona Final do Ano no tópico _ um que te apeteça ler_.

Excelentes leituras;)

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Opinião | "O Homem dos Sussurros" de Alex North


Sinopse:

«Ao longo dos anos, disse-te inúmeras vezes que não deverias ter medo de nada. Que os monstros não existiam. Desculpa ter-te mentido.»

«Após a morte da mulher, Tom Kennedy muda-se com o seu filho, Jake, de 7 anos, para uma pacata povoação chamada Featherbank em busca de um recomeço de vida. Mas Featherbank tem um passado sombrio.

Há 20 anos, Frank Carter, um perverso assassino em série, raptou e assassinou cinco rapazes. Ficou conhecido como «o Homem dos Sussurros», pois atraía as suas vítimas à noite sussurrando-lhes da janela. Logo após o seu quinto homicídio, Frank acabou por ser detido.
Estando o assassino atrás de grades, Tom e Jake não deveriam ter motivos de preocupação. Só que agora um novo rapaz desapareceu, e as semelhanças entre este acontecimento e os crimes de há 20 anos são desconcertantes. É então que Jake começa a comportar-se de modo estranho…»



Diz escutar sussurros vindos do lado de fora da janela do seu quarto...


«Um enredo fantástico, maravilhosamente bem escrito, com nuances de Thomas Harris e Stephen King, mas brilhante por mérito próprio.» 
C.J.Tudor, autor bestseller internacional

«Primeiro é sinistro. Depois, assustador. Depois, aterrador. E depois… bem caro leitor… avance por sua conta e risco. Um thriller ambicioso e profundamente gratificante – uma mistura Harlan Coben, Stephen King e Thomas Harris.»
A. J. Finn, autor bestseller internacional

«O Homem dos Sussurros é o thriller mais perturbador que li desde O Boneco de Neve, de Jo Nesbø. Muito mais do que a soma das suas partes, atormenta e desassossega, comove e presta homenagem à vida.»
Alex Michaelides, autor bestseller n.º 1 do New York Times

«Um thriller sombrio e arrepiante com um coração gigante no seu âmago. Raios… Alex North sabe escrever!»
Stuart MacBride, autor bestseller internacional

«O thriller mais espantoso que lerá este ano.»
Liz Nugent, autora bestseller do Sunday Times

«O melhor thriller da década.»
Steve Cavanagh 

Críticas de imprensa
«Um livro apaixonante e assustador que tem as complexidades da paternidade no seu núcleo.»
Kirkus Reviews


O escritor Alex North:

Alex North é o pseudónimo de um conhecido autor inglês.
Estudou Filosofia na Universidade de Leeds, onde depois trabalhou no departamento de Sociologia, antes de se tornar escritor. Vive em Leeds, no norte de Inglaterra, com a mulher e o filho.

"O Homem dos Sussurros", o primeiro thriller que escreveu sob este pseudónimo, foi um verdadeiro êxito internacional, tendo os seus direitos sido vendidos para mais de 20 países.


Opinião: 


Mais um livro que li do género "thriller", que gostei. Gostava de referir que não considero este livro do género acima citado, a meu ver é um policial com suspense à mistura. 
Confesso que a capa deste livro é fantástica, a borboleta com os cadáveres nas assas está muito bem conseguida. Na capa também vem um selo que diz:
"O melhor thriller da década" Steve Cavannagh, eu pessoalmente discordo, completamente, nem do ano, quanto mais da década. Mas esta é tão somente a minha opinião,..., nada mais...

Gostei da leitura, o livro tem um enredo excelente e está muito bem escrito. Gostei da personagem Pete, foi daquelas que me marcou bastante, fiquei tristonha com o seu final. 

Adorei o Jake, o miúdo está muito bem retratado, mesmo...amei as conversas dele com a menina de vestido azul e branco (gostei muito do pormenor do cabelo levantado). Jake fez-me lembrar o menino que entra no filme "Sexto Sentido". A personagem que fala com espíritos e os desenhos que Jake fazia ao longo do livro, sempre que estava mais nervoso ou ansioso.

Gostei também do relato da relação Tom e Jake, pai e filho, achei que estava muito bem relatada. O que a meu ver muitas vezes corresponde à realidade, numa situação traumática para ambos que foi a perda da esposa/mãe.

Apesar de ter gostado do livro, acho que como eu estava a contar com um thriller assustador, acabei por ter criado espectativas muito elevadas, apesar de ser um bom livro, não era o que estava a contar ;)

Classificação de 4**** no Goodreads.

Leitura realizada para o tópico _livro thriller/suspense_ da Maratona Final do Ano.

Boas leituras!