sábado, 24 de junho de 2017

Opinião l "O Leitor do Comboio" do escritor Jean-Paul Didierlurent

O Leitor do Comboio
de Jean-Paul Didierlaurent 
ISBN: 9789897243462Edição
Reimpressão:
Editor: Clube do Autor
Idioma: Português
Dimensões: 153 x 234 x 15 mm
Encadernação: Capa mole 
Páginas: 196 páginas
Sinopse:
"O poder dos livros através da vida das pessoas que eles salvam. Uma obra que é um hino à literatura, às pessoas comuns e à magia do quotidiano.
Jean-Paul Didier Laurent é um contador de histórias nato. Neste romance, conhecemos Guylain Vignolles, um jovem solteiro, que leva uma existência monótona e solitária, contrariada apenas pelas leituras que faz em voz alta, todos os dias, no comboio das 6h27 para Paris.
A rotina sensaborona do protagonista desta história muda radicalmente no dia em que, por mero acaso, do banquinho rebatível da carruagem salta uma pendrive que contém o diário de Julie, empregada de limpeza das casas de banho num centro comercial e uma solitária como ele… Esses textos vão fazê-lo pintar o seu mundo de outras cores e escrever uma nova história para a sua vida.
O Leitor do Comboio revela um universo singular, pleno de amor e poesia, em que as personagens mais banais são seres extraordinários e a literatura remedia a monotonia quotidiana. Herdeiro da escrita do japonês Haruki Murakami, dotado de uma fina ironia que faz lembrar Boris Vian, Jean-Paul Didierlaurent demonstra ser um contador de histórias nato."retirado do site wook
Opinião:
Quando peguei neste livro, desconhecia o tema que era abordado, claro que pelo título, pensei que era um livro que falava sobre livros. Contudo, nunca tinha lido nada sobre ele e não fazia ideia do que me esperava. Antes de o adquirir li a sinopse como é meu hábito, pois gosto sempre de saber o que me aguarda, li a curta biografia do escritor. Mas o que mais me chamou a atenção e me levou a comprar o livro foram estas frases:
"O poder dos livros através da vida das pessoas que eles salvam."

"Um hino à literatura, às pessoas comuns e à magia do quotidiano."

Li os comentários que o livro tem na capa de vários jornais e o que mais me fascinou foi o do jornal L'Express:
"O Leitor do Comboio é um romance de leitura obrigatória. O tom é vivo, a parábola, bonita; a mensagem, otimista.
Porquê ignorar o prazer da leitura? Uma fábula que faz pensar em Fahrenheit 451, com homens-livros que resistem ao genocídio literário."

Parti para a leitura deste livro sem ter lido nenhuma opinião sobre ele, ainda bem que o fiz.
O personagem central é um homem que tem mais de trinta anos e um emprego que odeia, até aqui não existe grande novidade, muitas pessoas fazem o que não gostam para garantirem o seu sustento. Mas a forma como o escritor descreve o trabalho de Guylain Vignolles é simplesmente fantástica. Guylain trabalha com uma máquina a que ele apelida de A Coisa, o seu trabalho consiste em "dar de comer à Coisa", mas o seu alimento são livros. Esses livros são destruídos pela Coisa e a pasta produzida por ela vai servir para a produção de novos livros. Fascinou-me o modo como é retratado o cotidiano de Guylain, desde dos seus dias sempre iguais à leitura que ele realiza, de folhas soltas, no comboio em voz alta, que entusiasma os ouvintes que seguem na mesma carruagem dele.
Mas todas as personagens estão muito bem retratadas ao longo deste pequeno livro. Uma das personagens que me fascinou foi o Giuseppe que já tinha também trabalhado com a Coisa.
O livro deixa muitas portas em aberto, tem um final que a mim me deixou ser eu a decidir o que queria que acontecesse.
Não posso deixar passar, os incríveis textos, que o autor fez sobre uma mulher cujo trabalho era limpar sanitas, são textos fabulosos que me fizeram visualizar todo o contexto laboral desta personagem.
Adorei e recomendo a todos os amantes de livros.
Classificação de 4**** no Goodreads.
Excelentes leituras;)











quinta-feira, 15 de junho de 2017

Opinião I "Cinco Dias de Sonho" do escritor Leonardo Silva

Opinião:
Após a já divulgação do livro aqui no blog, conclui a leitura do mesmo.
Eu tenho a perfeita noção que demorei muito tempo a ler este livro e desde já gostaria de referir que em nada teve a ver com a qualidade do livro mas somente com o muito trabalho que tenho tido.
Quando o escritor brasileiro Leonardo Silva me contactou a pedir para ler o seu livro, fiquei muito feliz (ainda estou, muito obrigada, Leonardo), ainda para mais por saber que foi a editora que lhe disse para entrar em contacto comigo (muito obrigada, Chiado editora). Mas quero que fique bem patente que a minha opinião em nada foi influenciada por estes factos.

Comecei a ler este livro um pouco com o pé atrás, por dois motivos principais, que vou referir:
1.º eu não sou (ou não era) amante de ficção científica, sou um peixe fora de água, neste género literário;
2.º detesto livros finos...fico sempre com a sensação de que não vai lá estar tudo, para eu achar que li um bom livro.

Quando o livro me chegou às mãos eu li logo de enfiada 4 capítulos, simplesmente adorei. Depois como já mencionei anteriormente tive de parar e ir lendo, até que o terminei hoje. Tenho pena, mesmo muita pena, de não ter lido o livro de enfiada, dado que é um livro que tem só 111 páginas e com um estilo de escrita que me foi agarrando sempre.
O enredo é muito original, mas atenção eu não sou perita em ficção científica. O livro tem um início que agarra, acho que a qualquer leitor. Já imaginaram como seria acordar num outro planeta? Pois esta é a base do livro. A Terra tem um planeta irmão que se chama Luz. No planeta Luz, onde a personagem principal, Davi, acorda, tudo é diferente mas acaba por ser também tudo um pouco parecido com o planeta Terra. Isto é, as pessoas do planeta Luz são iguais às do planeta Terra, mas no planeta Luz existem dois sois, logo nunca existe noite.
Davi, acorda no planeta irmão da Terra e conhece de imediato Ana que fica muito animada ao saber que Davi é um habitante da Terra, pois isto só vem confirmar que as teses do seu falecido pai estavam corretas. O pai de Ana dizia e tinha provas da existência de fendas entre o planeta Luz e a Terra, por essas fendas poderiam passar pessoas nos dois sentidos.
Não me vou alargar mais, mas este livro, para mim que não era amante de ficção científica deixou-me completamente rendida e muito curiosa por ler mais livros deste género literário.
Adorei o livro, mesmo muito, até porque foi um despertar para um género literário que eu tinha a certeza que nunca iria gostar. Só por ter-me feito descobrir que eu afinal até gosto de alguma ficção científica já valeu a pena.

Devo confessar que estava na dúvida quando atribui a classificação, estava entre dar cinco estrelas ou quatro, optei por atribuir 4 **** no Goodreads, mas aqui no blog dou 4,5. Porquê não atribuir 5 estrelas? Não o fiz por alguns motivos, mas os mais importantes são o facto de não ter um elo de comparação com nenhum livro de ficção científica, para puder comparar o livro com o género (espero que entendam o que quero dizer) um outro motivo, que provavelmente é pateta, mas para mim, que li o livro é válido, este livro devia ter mais páginas... podia ter sido mais aprofundado nas características do nosso planeta irmão e na existência de fendas intergalácticas.

Recomendo vivamente a sua leitura, não façam como eu, e leiam este livro numa tarde ou até menos.

Classificação de 4**** estrelas no Goodreads.

Mais uma vez, o meu muito obrigada ao Leonardo Silva, porque despertou em mim o interesse por outro género literário.
Não posso deixar de agradecer à Chiado Editora por ter permitido a leitura do livro de forma gratuita.

Excelentes leituras para todos;)

terça-feira, 6 de junho de 2017

Divulgação Editora Marcador - Junho - "Passageiros do Tempo" da escritora Alexandra Bracken


ROMANCE FICÇÃO - JUVENIL
PÚBLICO – Público em geral
Nº DE PÁGINAS – 392pp.
FORMATO –15,5x23,5cm 
PREÇO (c/IVA) – 18,95€
ISBN – 978-989-754-316-6 
DATA DE LANÇAMENTO – 07-06-2017

Sinopse:
Para mudar o futuro,  é preciso voltar ao passado.
"Numa noite devastadora, em Nova Iorque, Etta Spencer, uma violinista prodígio, perde tudo o que conhece e ama. Enganada por uma mulher estranha e misteriosa, Etta vê-se subitamente a viajar, não apenas milhares de quilómetros, mas centenas de anos, descobrindo assim um dom herdado de uma família que ela nem sequer conhecia.
Nicholas Carter, ex-escravo, está feliz com a sua vida no mar, a bordo de um navio pirata, após se livrar da poderosa família Ironwood, nas colónias inglesas da América do Norte. Mas, com a chegada de uma passageira invulgar ao seu navio, o passado volta a agarrá-lo e Nicholas vê-se de novo nas garras da família que o subjugou.
Juntos, Etta, uma miúda nova-iorquina do século XXI, e Nicholas, um marinheiro negro do século XVIII, embarcam numa viagem perigosa através dos séculos e de vários continentes, da Revolução Americana à Segunda Guerra Mundial, das Caraíbas a Paris, seguindo e interpretando pistas deixadas por um viajante do tempo que fez tudo para esconder dos poderosos Ironwood o objeto misterioso."

A Autora Alexandra Bracken:

ALEXANDRA BRACKEN nasceu e cresceu no Arizona, Estados Unidos. Depois de terminar o liceu, frequentou a Universidade William & Mary, na Virgínia, onde se formou em Inglês e História. Escreveu o seu primeiro romance no último ano de faculdade e depois mudou-se para Nova Iorque, onde trabalhou numa editora de livros infantis. Após seis anos, arriscou e decidiu passar a escrever a tempo inteiro. Atualmente, vive no Arizona, com o seu cão, Tennyson, numa casa cheia de livros. 

Mais uma excelente aposta da Editora Marcador.

Boas leituras na companhia de bons livros...

domingo, 4 de junho de 2017

Divulgação Editora Marcador - Junho - "A Sereia" da escritora Kiera Cass




A Sereia
Autora: Kiera Cass
ISBN: 9789897543081
Edição:
Editor: Marcador
Idioma: Português
Páginas: 272

Sinopse:
O mesmo discurso foi feito centenas de vezes a centenas de lindas raparigas que entram na irmandade das sereias. Há anos que Kahlen segue as regras, esperando pacientemente pela vida que poderá considerar sua. Mas quando Akinli, um ser humano, entra no seu mundo, ela não consegue continuar a viver segundo as regras. De repente, a vida pela qual tem esperado não parece tão importante como a que está a viver agora.
Nota do autor:
«Se tens estado pacientemente à espera de algo num mundo não relacionado com A Seleção, aqui o tens! Deram-me a oportunidade de reescrever o meu primeiro livro, A Sereia. Este conta a história de Kahlen, uma sereia, enquanto vive com as suas irmãs ao serviço de Oceano, afundando navios com o seu canto e mantendo em segredo o seu dom mortífero. Kahlen vai gerindo as coisas o melhor que se pode esperar de uma rapariga que está proibida de falar, cantar e rir, até conhecer Akinli, um rapaz ligado a Oceano à sua maneira. E então, a vida que ela poderia ter agora, ainda que breve e cheia de segredos, parece valer o risco, mesmo que isso signifique desistir do futuro para o qual tem trabalhado.»
                                   Kiera Cass
                                   


Marcador Editora a editora mais perto do leitor.

Excelentes leituras.