sábado, 30 de abril de 2011

"As velas ardem até ao fim" de Sándor Márai

"As velas ardem até ao fim"
de Sándor Márai
Edição/reimpressão: 2004
Páginas: 160
Editor: Dom Quixote
ISBN: 9789722020626
Sinopse
"Um pequeno castelo de caça na Hungria, onde outrora se celebravam elegantes saraus e cujos salões decorados ao estilo francês se enchiam da música de Chopin, mudou radicalmente de aspecto. O esplendor de então já não existe, tudo anuncia o final de uma época. Dois homens, amigos inseparáveis na juventude, sentam-se a jantar depois de quarenta anos sem se verem. Um, passou muito tempo no Extremo Oriente, o outro, ao contrário, permaneceu na sua propriedade. Mas ambos viveram à espera deste momento, pois entre eles interpõe-se um segredo de uma força singular..." (retirado do site wook)
Clique Aqui para saber mais sobre o escritor Sándor Márai e sobre obra "A Herança de Eszter"

A minha opinião:

Ao contrário do primeiro livro que li de Sándor Márai (clique aqui), "A Herança de Eszter", pelo qual não tinha qualquer tipo de espectativa aquando da sua leitura. O inicio desta leitura estava carregado de espectativas, que me indicavam que ia iniciar uma leitura de um tratado sobre a amizade. Ainda bem que assim foi. Este livro não me desiludiu em nada. Foi uma leitura muito agradavel e de uma sensiblidade extraordinária, uma leitura que recomendo vivamente.
Dois homens uma amizade, uma espera de 41 anos, uma carta. Mais uma vez Sándor dá inicio ao desenrolar da história através de uma carta que anuncia a chegada de uma pessoa que era aguardada à 41 anos. Com este inicio a história tem o seu desenrolar até ao confronto dos dois homens, outrora tão próximos como irmãos mas que foram afastados pelos meandros da vida. É o relato deste encontro o remecher de um passado, que nos vai levar a enterder o valor da amizade entre estes dois homens.
Uma leitura que recomendo, foram umas horas muito bem passadas.
Boa leitura;)

7 comentários:

  1. É um belo livro, sem dúvida. No entanto impressionou-me a inacção. Ás vezes é irritante esta tendência que o ser humano tem para se recusar a correr atrás da felicidade; essa melancolia, esse ficar à espera tem o seu quê de poético mas irrita-me :)
    Mas isso são impressões minhas; a verdade, verdadinha é que se trata de uma grande obra literária.

    ResponderEliminar
  2. Olá Manuel
    Pois entendo o teu ponto de vista, tavez esteja relacionado com a vivência do próprio escritor. Digo isto porque o outro livro que li dele também revela esse aspect.
    Boas leituras;)

    ResponderEliminar
  3. Está na lista a ler. Só ainda não o adquiri porque li algumas páginas e fiquei com a sensação de nostalgia e, para ler livros assim tem de ser na altura certa.

    Bjinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
  4. Olá Jojo
    Tens toda a razão é muito mostalgico e tem que ser lido no momento certo;)
    Beijinhos e boa leitura;)

    ResponderEliminar
  5. Olá Carlinha,
    Fiquei satisfeita por saber que gostáste do livro.
    Realmente é um hino à amizade.
    Continua animada e a fazer boas leituras.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  6. Olá amiga,
    Também sou maluca por leitura. E bons livros é que não faltam, não é mesmo? Às vezes, entro nas livrarias e quase fico doida querendo comprar toda a literatura que encontro. Seu blogue é lindo.
    Gostei muito. Já estou lhe seguindo e voltarei sempre aqui.
    Visite-me em meu cantinho e, se gostar, siga-me e deixe um recadinho para mim. ok?
    Afetuosos beijos,
    Maria Paraguassu.

    ResponderEliminar