domingo, 21 de julho de 2019

Opinião | "Estou na tua Casa" de Lucy Clarke

Sinopse:
Na janela está uma palavra. CASA. Olho com mais atenção. Não é uma palavra. É uma frase. Estou na Tua Casa.

Estou dentro da tua casa…. 
Elle vive sozinha numa casa isolada e magnífica em frente ao mar. Um dia, decide alugá-la por um curtíssimo período de tempo. Durante as duas semanas em que está fora, corre tudo bem. E quando regressa, continua tudo bem. Não há nada a apontar… exceto a arrepiante sensação de que não está sozinha.

Dentro da tua cabeça....
Será apenas a sua imaginação a pregar-lhe partidas? Afinal de contas, Elle é escritora e tem uma imaginação fértil. Mas então como se explica o estilhaço de vidro que encontra na alcatifa? As dedadas na janela? A mensagem gravada na sua secretária?

E conheço o teu segredo...
Aterrorizada, Elle sente-se uma prisioneira na sua própria casa. Terá alguém desenterrado o segredo que ela sempre guardou tão bem? Como fazer para expulsar um intruso invisível? Alguém que ela própria deixou entrar? 


Realista, tenso e absolutamente aterrador, Estou na Tua Casa vai fazê-lo pensar duas vezes antes de abrir as portas da sua casa a estranhos.

Opinião:
   Quem diria que eu algum dia gostaria de ler o género thriller?     Quando iniciei a leitura deste género literário estava completamente fora da minha zona de conforto, agora confesso que estou apaixonada e quero ler mais, muito mais.

   Este livro agarrou-me logo desde o início, recordo que comecei a ler aproximadamente pelas 23 horas de sexta-feira dia 19 de julho e só me consegui deitar perto das 5 da madrugada, não peguei no livro no sábado (devido a assuntos familiares) e peguei hoje de manhã, terminei agora mesmo, por volta das 20horas do dia 21. Não consegui parar das duas vezes que peguei no livro, é a meu ver uma leitura que agarra.  A história está narrada em três perspetivas, na de Elle, na atualidade,  que é a protagonista da história, depois temos a de Elle nos anos 2003/2004 e por fim temos uma outra narração que tem como titulo Anteriormente. 
Ao longo da leitura, comecei a notar que o autor escreve de maneira a que quem vai lendo, encontra-se a desconfiar ora de uma pessoa ora de outra pessoa, contudo, muito honestamente acho que é quase impossível desvendar o responsável e o contexto final.

Elle é uma jovem escritora que acabou de lançar o seu primeiro livro e encontrando-se a escrever o segundo livro, contudo, tem de se deslocar até França durante 15 dias e decide alugar a sua casa durante esse período de tempo. Quem trata de tudo é a sua irmã Fiona, que é casada com o Bill e tem um filho de 2 anos o Drake, afilhado de Elle. 
Quando Elle regressa sente que a casa foi invadida, que está sempre a ser observada, coisas estranhas acontecem e também aparecem em diferentes zonas da casa "coisas" que lá não estavam quando Elle foi para França.
Honestamente arrepiou-me a sensação de Elle sentir-se observada, ouvir  ruídos estranhos e houve uma altura que até o som das ondas do mar, que a Elle ouve, à noite me "assustava" (moro pertinho do mar).
A primeira suspeita, para mim, foi a Elle, isto porque, este é um thriller em que existe muito consumo de álcool, por parte da Elle e muita falta de descanso, devido a constantes insónias. Como já referi eu desconfiei de algumas personagens numa ou noutra parte do livro.
A escritora está de parabéns, não considero  fácil conseguir fazer o leitor mudar de suspeito com facilidade, devido às encruzilhadas de escrita da autora.
Adorei… Adorei… Adorei… 
Aconselho a sua leitura.
Classificação de 5***** no Goodreads.

Boas leituras!

Sem comentários:

Publicar um comentário