terça-feira, 22 de outubro de 2019

Opinião | "Raparigas como nós" de Helena Magalhães


Sinopse:
Uma história de amor irresistível, que é também o retrato de uma geração que cresceu sem redes sociais. Pode uma paixão da adolescência marcar o resto da vida?

Festivais de Verão, tardes na praia, experiências-limite com drogas, traições e festas misturam-se com amores improváveis e velhas amizades. Um romance intemporal nos cenários de Lisboa, Cascais e Madrid, que mostra tudo o que pode esconder-se atrás da vida aparentemente normal de uma rapariga… como tu.

«Beijamo-nos ao som daquela música que ouvia em casa sozinha deitada na minha cama. Durante o resto da vida, não importaria o que estivesse a fazer ou onde, quando ouvisse os primeiros acordes […], recordar-me-ia do olhar do Afonso fixado em mim, da sua mão no meu rosto, do meu coração a tremer e de me sentir a rapariga mais feliz do mundo. Porque Lisboa está cheia de bares a abarrotar de miúdas bonitas que, num piscar de olhos, se colocariam de gatas a ronronar nas suas pernas. Mas ele viu-me a mim.»
«Se algum dia se sentirem sozinhas, estranhas, deslocadas do mundo que vos rodeia, lembrem-se da Isabel, da Alice, da Luísa, da Marina e até da Marisa das argolas… Raparigas como nós.» 

Opinião:
  Este é um livro diferente dos que tenho lido este ano. 
  Gostei deste livro, fez-me recordar a minha adolescência e isso  foi muito bom. A escrita  da Helena  é cinematográfica , na medida em que fez com que eu conseguisse visualizar tudo o que estava a ser retratado e de certa forma fizesse um regresso ao passado.
  
  Temos numa primeira fase do livro em 2004 em a Isabel conhece o adorável Afonso, confesso que gostei muito deste rapaz. Depois passamos para 1999 onde a Isabel vai recordar a sua grande paixão, a primeira paixão da sua vida que a fez fazer muitas coisas patetas, próprias de uma adolescente apaixonada. Esta fase foi aquela em que eu mais me ri, mesmo. No entanto, também me trouxe à memória situações limite, que todos os adolescentes passam ou vêm os seus amigos, conhecidos a passar. Entretanto, nesta adolescência da Isabel ela está apaixonada pelo Simão que no capítulo seguinte ela volta a encontrar, claro que aqui estão os dois mais crescidos e a Isabel fala com um Simão que ela na sua adolescência achava que conhecia mas não conhecia nada. 
  Não vou contar mais nada, gostei da leitura, mas acho que menos 100 páginas no livro não faria mal.

Esta leitura foi realizada para a Maratona Final do Ano, para o tópico - Terminar um que estejam a ler -.

Classificação de 4**** no Goodreads.

Boas leituras!

Sem comentários:

Publicar um comentário