sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

Opinião | "Até os mares serem desertos" de Julia Quinn, Eloisa James, Connie Brockway

Sinopse:
Taran Ferguson, aristocrata arruinado, está cansado de esperar que os seus dois sobrinhos assegurem a linhagem de família através do matrimónio. Perante a passividade dos jovens, resolve tomar medidas (no mínimo) drásticas: invade o baile de um lorde com o objetivo de raptar três potenciais noivas. Mas a situação complica-se quando, inadvertidamente, rapta uma noiva a mais. Entre as eleitas encontram-se agora uma jovem lindíssima, uma herdeira de reputação ligeiramente duvidosa, uma beldade inglesa e uma incauta donzela sem nome e sem fortuna...
E no regresso a casa a situação complica-se ainda mais. Taran não só terá de lidar com a ira de Lord Bretton, que por azar se encontrava no lugar errado à hora errada, como com o forte nevão que os encurrala a todos no decrépito castelo. À medida que as horas vão dando lugar a dias, a tentação vai insinuar-se entre o insólito grupo. Quem entre eles irá ceder?
Escrito em conjunto por três das mais talentosas escritoras da literatura romântica contemporânea , Até os Mares Serem Desertos é uma combinação harmoniosa de talento e emoção. Um romance original, refrescante e pleno de magia!

Opinião:
Mais um romance de época,  desta vez escrito a três mãos tal como um lido no mês de novembro. Já não é segredo para ninguém que eu adoro Juila Quinn, estou habituada a livros muito bons dela. Gostei muito desta leitura, nunca li um livro escrito somente por uma das outras escritoras, mas esse facto não me pode levar a gostar menos do livro, ou mais.
Este livro teve um efeito excelente sobre mim, aliás dois efeitos... O primeiro efeito foi tirar-me de uma resaca literária, andava muito em baixo nas leituras e não sabia o que ler, começava a pegar num livro e logo colocava de lado, este livro prendeu-me, apesar de já ter pegado nele anteriormente e não me ter dito nada, desta vez, foi diferente, gostei logo mal comecei a ler. O segundo efeito e que foi por ele que atribui 4 estrelas e não 3, fartei-me de rir com todos os personagens deste livro, mas sobretudo com o Taran, adorei este personagem hilariante. Ao longo da leitura deste livro deparei-me com três histórias de amor, cada uma com o seu encanto. 
O enredo do livro começa  com a hilariante personagem de Taran que tem entre mãos, aquilo que ele considera ser um grande problema... Taran tem dois sobrinhos, e tem de arranjar esposas para eles, pois caso contrário a fortuna da família não ficará com a mesma.Assim sendo Taran vai proceder como ele acha melhor, ou seja, rapta jovens casadoiras de um baile e leva-as para o seu castelo, para que os seus sobrinhos possam escolher.
As jovens raptadas são:  uma bela e desbocada herdeira e a sua irmã, uma inglesa linda e muito rica e uma descuidada donzela escocesa sem fortuna nem título. Contudo, algo engraçado acontece no meio das donzelas também vem o Lord Bretton que só por acaso é um dos homens mais ricos e cobiçados. A história tem três casais que se apaixonam e quatro que se casam. Não conto mais nada, acho melhor lerem e rirem-se muito, pelo menos eu achei muita piada a este livro.
Este livro foi lido para a maratona final do ano, no tópico _ Lembre ou se passe na época de natal_.

Classificação de 4**** no Goodreads.

Boas leituras!

Sem comentários:

Publicar um comentário