sábado, 6 de junho de 2020

35 # Opinião | "O dia em que perdemos a cabeça" de Javier Castillo

Sinopse:


Atreva-se a descobrir o mistério do ano sem perder a cabeça
Centro de Boston, 24 de Dezembro, um homem caminha nu, trazendo nas mãos a cabeça decapitada de uma jovem mulher.

O Dr. Jenkins, diretor do centro psiquiátrico da cidade, e Stella Hyden, agente do FBI, vão entrar numa investigação que colocará em risco as suas vidas e a sua concepção de sanidade. Que acontecimentos fortuitos ocorreram na misteriosa Salt Lake City há dezassete anos? E por que estão todos a perder a cabeça agora?

Com um estilo ágil e cheio de referências literárias- Garcia Márquez, Auster e Stephen King - e imagens impactantes, Javier Castillo contruiu um thriller romântico narrado a três tempos que explora os limites do ser humano e rompe com a estrutura tradicional dos livros de suspense.

Amor, ódio, estranhas práticas, intriga e acção trepidante inundam as páginas deste thriller romântico, que se converteu num fenómeno editorial antes da sua publicação em papel.

O escritor Javier Castillo:
Javier Castillo cresceu em Málaga, Espanha, licenciou-se em Gestão de Negócios e fez Mestrado em Gestão da ESCP Europe em Madrid, Xangai e Paris. Trabalhou como consultor de finanças corporativas. O Dia em que Perdemos a Cabeça, o seu primeiro romance, vendeu mais de 275 000 cópias, cruzou fronteiras — em Itália, prepara-se um grande lançamento — e será publicado no México e na Colômbia, além de Portugal. Os direitos audiovisuais foram adquiridos para a produção duma série televisiva. 

Opinião:
Muito honestamente não sei por onde começar a escrever sobre este livro.
Quando comecei a ler nunca tinha lido nada sobre o livro, ao ler a sinopse rendi-me e foi esse o motivo para o começar a ler. O livro começa com um homem a andar pelas ruas, nu e com uma cabeça debaixo da cabeça, isto acontece no dia 24 de dezembro de 2013 em Boston, este homem é preso numa clinica psiquiátrica e chamado por decapitador.
O livro tem 450 páginas, mas lê-se muito bem, tem capítulos curtos, una relativos a 1996, outros a 2013; uns passam-se em Boston, outros Salt Lake e ainda em Quebeque, Canadá.
Este livro tinha tudo para ser um livro de 5 estrelas, as minhas 4 estrelas são mais 3,9 estrelas. Eu li no primeiro dia 157 páginas e não conseguia para, mas a meu ver o escritor colocou demasiadas histórias em capítulos diferentes todas interligadas com o enredo principal, mas que acabaram por me cansar com as mil reviravoltas constantes. Chegou um momento da leitura em que eu parei, voltei a trás para tentar perceber quem estava a narrar aquele capítulo.
O final a meu ver não teve lógica, essa personagem aparece duas vezes no livro e o final está totalmente fora do contexto. Claro que o final é sempre bom quando somos surpreendidos, mas tem que existir uma lógica, o que a meu ver aqui não acontece.
Porquê que dei as quatro estrelas?
O livro está muito bem escrito, este é o primeiro livro deste escritor adorei o enredo até mais de metade do livro e acho que se não tivesse parado de ler durante dois dias, tinha tirado maior proveito da leitura. 
Classificação 5***** no Goodreads.
Excelentes leituras!

Sem comentários:

Publicar um comentário